NBA muda regras sobre 'Hack-a-Shaq'

Para evitar que o jogo fique 'chato', comissário Adam Silver mudou as regras de faltas propositais

NBA muda regras sobre 'Hack-a-Shaq'
Foto: Divulgação/NBA

A NBA anunciou mudanças nas regras de faltas propositais. Foram alteradas três regras para faltas defensivas feitas fora da bola (away-from-the-play, como chamam os americanos), visando melhorar principalmente aquelas caracterizadas como 'Hack-a-Shaq', que são faltas propositais em cima de jogadores com baixo aproveitamento na linha de lance livre.

Segundo o repórter Steve Aschburner, que escreve para o site oficial da NBA, foram feitos três ajustes significativos nas regras de faltas propositais, porém as mudanças radicais não estão nos planos da liga. As faltas propositais costumam rondar os jogadores com baixo aproveitamento em lance livre.

Na década de 90, Dennis Rodman - pivô do Chicago Bulls de Michael Jordan - costumava sofrer com essas faltas. Porém, as faltas propositais costumaram a ser feitas com mais proporção no início da década de 2000, com Shaquille O'Neal. Nos últimos anos, os pivôs Dwight Howard, Andre Drummond e DeAndre Jordan são os principais alvos.

Apesar da críticas dos fãs e especialistas de basquete, a tática do 'Hack-a-Shaq' costuma ser utilizada por alguns técnicos, entre eles o principal é Gregg Popovich, do San Antonio Spurs. Apesar de ser uma das maiores vítimas da tática, Shaquille O'Neal se posicionou contra o fim do hack.

"Os Blazers tentaram usar o hack contra mim e acertei os lances livres. Os Spurs tentaram e não deu certo. Até os Mavericks utilizou, quando já estava em Miami, e respondi a altura. Não acho que a regra deva ser alterada. É claro que isso deixa tudo lento e chato, mas também desacelera a equipe que comete as faltas. É uma rua de duas mãos", declarou Shaquille O'Neal.

Confira as mudanças abaixo:

1) Nos últimos dois minutos de jogo do último quarto (ou da prorrogação), qualquer falta proposital -- as caracterizadas como 'Hack-a-Shaq' -- resultarão em lance livre para o time que sofreu a falta mais o direito da posse de bola.

2) Na intenção de fazer as faltas caracterizadas como 'Hack-a-Shaq', alguns jogadores costumam pular nas costas do adversário, de maneira ostensiva, para chamar a atenção da arbitragem. Antes, a regra previa apenas a marcação de falta - podendo ser considerada falta flagrante, ficando a decisão do árbitro. Agora, a regra prevê que nessa ocasião seja marcada falta flagrante. Caberá ao árbitro decidir entre flagrante 1 ou 2.

3) Em questão as faltas na reposição de bola, em qualquer altura da partida, o time que sofrer a falta antes da reposição ganhará um lance livre e a posse de bola. Será administrada como a falta do 'Hack-a-Shaq', porém essa falta pode ser marcada em qualquer momento do jogo.