Brasil mantém sonho vivo e elimina a Nigéria no basquete masculino

Segunda vitória brasileira pode render classificação em caso de derrota da Espanha contra a Argentina

Brasil mantém sonho vivo e elimina a Nigéria no basquete masculino
(Foto: Divulgação/FIBA)
Nigéria
69 86
Brasil

A última chance do Brasil para buscar a classificação para a próxima fase foi diante da Nigéria, na Arena Carioca 1, na tarde desta segunda-feira (15). Os brasileiros fizeram um primeiro tempo de oscilações, mas fecharam o placar na frente. Na segunda etapa, a seleção não encheu os olhos de seu torcedor, mas segurou a vantagem e conseguiu levar a segunda vitória no torneio, esta por 86 a 69.

A rotação ruim e o sistema de jogo fraco acabaram prejudicando o Brasil mais uma vez em alguns momentos do jogo. Entretanto, a grande atuação de Nenê Hilário, Marcelinho Huertas e Vitor Benite melhoraram o desempenho em quadra, ajudando os brasileiros a conquistarem a segunda vitória nos Jogos Olímpicos Rio 2016.

Os maiores pontuadores no Brasil foram Nenê Hilário, com 19 pontos, Vitor Benite, que fez 15 pontos, Alex Garcia, com 13, e Rafael Hettsheimeir e Marcelinho Huertas com 12 pontos cada. Na Nigéria, Josh Akognon marcou 16 pontos e Ben Uzoh fez 15.

Com esse resultado, a seleção brasileira de basquete masculino ainda não se despede dos Jogos Olímpicos, podendo se classificar em quarto lugar e pegar os Estados Unidos nas quartas de final. O Grupo B será definido ainda nesta segunda-feira (15), já que Espanha e Argentina se enfrentam às 19h e Lituânia e Croácia lutam pelo primeiro lugar às 22h30.

Para conquistar a classificação, o Brasil precisa torcer por uma derrota espanhola diante dos argentinos.

Brasil começa mal, mas melhora no segundo quarto

Como nos últimos jogos, o Brasil não fez um primeiro tempo regular, tendo um quarto ruim para se recuperar apenas no outro. O início forte da Nigéria acabou deixando os brasileiros nervosos e, graças aos diversos erros em tentativas de bolas de três forçadas, a seleção não conseguia se segurar à frente do placar. Do outro lado, os nigerianos acabaram acertando mais no início, mas começaram a relaxar e deixaram que o Brasil encostasse, fechando o período com 16 a 15 à favor.

Durante o segundo quarto, o Brasil começou a conseguir se organizar em quadra e contou com Vitor Benite e Rafael Hettsheimeir inspirados e acertando as bolas de três. A seleção reagiu e conseguiu abrir vantagens sobre uma Nigéria que errou bastante e sofreu com a melhora brasileira. Com os acertos aumentando e a concentração também, o placar terminou com boa vantagem de 42 a 31 para o Brasil.

Sem jogar bem, Brasil segura Nigéria e garante vitória

O terceiro quarto apresentou um Brasil que soube controlar o resultado, mas não conseguiu manter o bom desempenho em quadra. Se os brasileiros começaram a errar novamente, os nigerianos aproveitaram a desatenção para, principalmente nos dois minutos finais, diminuir bastante a desvantagem no placar, que se manteve em dez pontos por quase todo período. No fim do tempo, a seleção continuava na frente com o placar de 59 a 52.

No último período, os brasileiros seguiram produzindo bem menos do que nos últimos jogos, errando muitas cestas e insistindo na bola de três pontos. Com as falhas, o Brasil viu a Nigéria diminuir a vantagem, mas sem conseguir pontuar o suficiente. Os cinco minutos finais mostraram uma melhora em quadra da seleção e a diferença voltou a ser de dez ou mais pontos, o que deu mais tranquilidade no fim do confronto. Sem resistência nigeriana, a seleção controlou as ações finais e venceu por 86 a 69.