Review de'Westworld': nova série da HBO é complexa e surpreendente

A 1ª temporada de Westworld está sendo exibida desde 02 de outubro e é a melhor estreia dos últimos 3 anos na HBO

Review de'Westworld': nova série da HBO é complexa e surpreendente
Westworld, sci-fi e faroeste na HBO (foto:divulgação/HBO)

O fora da lei Hector e sua gangue matam os pais de Dolores. Teddy mata os bandidos. O Homem de Preto (Ed Harris, como Man In Black)  chega e surpreende Teddy, que não consegue matá-lo. Mas Man In Black não é um robô, é um humano milionário curtindo seu resort de férias preferido: um lugar para encenar assaltos e assassinatos, em vez de drinks na beira da praia. E estes são apenas os primeiros 5 minutos de Westworld, nova série sci-fi e faroeste exibida pela HBO.

Jonathan Nolan, um dos produtores executivos da série diz que "Westworld é um novo capítulo na história humana", abordando inteligência artificial à serviço dos mais obscuros desejos dos hóspedes de um parque temático. "Em Westworld, os humanos deixam de ser os protagonistas e as criações começam a assumir esse papel. Estamos fascinados com as discussões sobre Inteligência Artificial e a Realidade Virtual se tornando cada vez mais presente, nos trazendo experiências difíceis de distinguir da realidade e a realidade ficando cada vez mais chata. É exatamente o que queríamos mostrar no show", comenta Nolan.

A nova série da HBO é inspirada no filme de 1973, "Westworld - Onde Ninguém Tem Alma", onde dois amigos vão passar férias em um parque temático que cobra 1 mil dólares por dia aos hóspedes, para viverem experiências em ambientes como a Roma Imperial, a Idade Média ou no Velho Oeste, todos povoados por robôs. O resultado em Westworld de 2016 é uma série futurista com toques de Blade Runner, Ex Machina, Black Mirror e Jurassic Park, onde os heróis são os androides, não os seres humanos.

Em Westworld, todos podem ser um alvo, sendo uma máquina ou um humano. Mas enquanto as máquinas são atingidas, os humanos sentem os projéteis como balas de paintball. O personagem de Ed Harris frequenta Westworld desde que o parque foi inaugurado e atormenta Teddy (James Marsden) e Dolores (Evan Rachel Wood). Pelas regras do parque, os androides não podem atirar na cabeça dos hóspedes e Teddy fica atordoado, achando que está lidando com algum tipo de deus. A sequência da cena é surpreendente, pode despertar uma série de reações. 

A série aborda três níveis de experiência para o espectador: os anfitriões androides de Westworld; o lado obscuro dos humanos que pagam para se entreter com os andróides; e a sala de controle, onde percebemos que absolutamente toda a cidade é robótica, desde os cavalos, as meninas do bordel e os pistoleiros. 

Os humanos da sala de controle vivem em um ambiente frio e robótico, cuidando de androides que moram em uma cidade ensolarada. É surreal, pois é muito mais fácil sentir empatia pelos andróides do que pelos humanos, comandados pelo arrepiante Dr. Robert Ford, interpretado por Anthony Hopkins. Dois funcionários do Dr. Ford, Bernard (Jeffrey Wright) e Elsie Huges (Shannon Woodward) percebem que os androides estão guardando memórias dos hóspedes e desenvolvendo novos gestos, influenciados por experiências anteriores. Será uma falha? Ou será uma evolução?

Assim como uma Disneylândia do mundo real, há um parque muito maior construído abaixo da superfície do que acima dela. Westworld é uma série realmente intrigante.

O elenco conta com Anthony Hopkins, Ed Harris, Evan Rachel Wood, James Marsden, Thandie Newton, Jeffrey Wright, Jimmi Simpson, Rodrigo Santoro, Shannon Woodward, Ingrid Bolsø Berdal, Ben Barnes, Angela Sarafyan, Clifton Collins Jr. A produção executiva fica a cargo de JJ Abrams, Jonathan Nolan e Lisa Joy.

O primeiro episódio de Westworld pode ser assistindo gratuitamente no site www.hbogo.com.br durante todo o mês de outubro e os episódios são lançados no Brasil no mesmo dia do lançamento nos Estados Unidos. Confira o trailer legendado da série: