Eurocopa 2016: chegou o momento da verdade para a Bélgica

Red Devils precisam provar de uma vez por todas que essa boa safra de jogadores é capaz de ganhar títulos, e a Euro é o momento perfeito para tal

Eurocopa 2016: chegou o momento da verdade para a Bélgica
Fotomontagem: Jordi Valle/VAVEL

Há muito tempo, a Bélgica não é mais chamada de azarão e o mundo começa a levar a sério a seleção dos Países Baixos. A prova dessa afirmação é o fato deles estarem inclusos na lista dos favoritos para a Eurocopa de 2016 e eles não conseguiram esse título à toa. Jogando juntos há mais ou menos seis anos, além de ter alguns dos melhores jogadores dos melhores times ao redor do continente europeu, os Red Devils precisam transformar as esperanças e confianças depositadas neles em troféus e futebol bem apresentado, e essa Euro é a oportunidade perfeita para tal.

Na Copa do Mundo de 2014, os belgas já chegaram com esse intuito de mostrar ao mundo que eles não são apenas mais uma geração de bons jogadores e sim aquela que quer ser lembrada pelos seus filhos, netos e toda a nação que defendem em campo. A Copa realizada em solo brasileiro, porém, seria apenas o pontapé inicial, aquele torneio para poder pegar o ritmo de um grande campeonato, entender o sentimento que é representar o seu país num certame oficial. É verdade que todos esperavam mais deles, mas é preciso entender que ninguém conquistou um título na primeira vez que jogou com o caneco em jogo.

Toda a expectativa gerada em cima desse time naquela ocasião não foi atendida, visto que o desempenho não foi tão alto quanto era esperado. Mesmo jogando um futebol aquém do que poderia apresentar, a equipe avançou até as quartas de final onde foi eliminada pelo placar mínimo para a Argentina, que seria eventualmente a finalista da Copa. Os nossos Hermanos já entendiam a atmosfera em um torneio oficial, muitos jogavam juntos há muito tempo e contavam com uma grande estrela. É exatamente a situação da Bélgica hoje, porém mais experiente do que outrora.

Nomes como Jan Vertonghen, Kevin De Bruyne, Toby Alderweireld, Thibaut Courtois e Eden Hazard são velhos conhecidos do mundo do futebol. Nomes que fazem a diferença em seus times, assim como na sua seleção. Esses jogadores são apenas os pilares de um ótimo conjunto que se for citar um por um não é preciso fazer uma análise mais aprofundada e todo esse elenco de bons atletas conseguiram levar a Bélgica a um primeiro notável feito: ocupar a primeira posição no ranking da Fifa, e isso foi por um tempo. Agora, mais do que nunca, os Diabos Vermelhos precisam provar por que foram o número 1 com essa geração.

Belgas celebram vaga na Copa do Mundo de 2014 (Foto: Getty Images)
Belgas celebram vaga na Copa do Mundo de 2014 (Foto: Getty Images)

Na fase de qualificação para essa Euro o desempenho em alguns jogos maiores lembraram um pouco o que aconteceu no verão europeu de 2014. Apesar de ter conquistado a qualificação sem grandes problemas no que diz respeito aos pontos necessários, no jogo contra o País de Gales, país mais qualificado do seu grupo, foi preciso uma vitória com um gol ao apagar das luzes de Hazard. Isso só mostra que o time de Wilmots precisa mais do que nunca mostrar toda essa experiência que aparenta ter e o seu comandante tem de estar presente quando o momento aparecer.

Um outro problema que a seleção enfrentará na competição será a falta do grande líder Vincent Kompany. O zagueiro anda tendo sérios problemas de lesões e a última tirou a possibilidade de estar na lista dos convocados. A falta dele, porém, não será sentida em aspectos futebolísticos: a dupla Alderweireld e Vertonghen apresentaram-se muito bem à serviço do Tottenham nesta temporada, mostrando consistência, força defensiva e até poder ofensivo em jogadas de bola parada, além de jogarem juntos toda a época e se conhecerem bem dentro das quatro linhas.

Eden Hazard, grande estrela do time, não está na sua melhor forma: teve uma temporada muito abaixo do que é capaz de fazer, inclusive se comparado ao ano passado onde foi melhor jogador da Premier League e grande maestro da campanha arrasadora do Chelsea. A sorte dos belgas é que o camisa 10 do clube londrino nunca decepcionou quando se trata da sua seleção nacional e isso pode ser um fator para esperar mais dele no verão. Certamente estarão torcendo também para que ele apenas estivesse preservado seu futebol para jogar tudo o que sabe e mais um pouco na Eurocopa.

Apesar de temporada abaixo do normal, Hazard é o grande nome da Bélgica (Foto: Stu Forster/Getty Images)
Apesar de temporada abaixo do normal, Hazard é o grande nome da Bélgica (Foto: Stu Forster/Getty Images)

O que se tem que entender é que a seleção Belga agora não deve vir para essa disputa com o pensamento de conquistar experiência ou análise. Eles devem e têm de vir fortes para confirmar a alcunha de favoritos que carregam, principalmente quando se tem alguns problemas para enfrentar. Um grande campeão sabe passar por cima dos obstáculos mesmo que eles cheguem no momento errado da batalha, portanto esse é o momento da verdade para sabermos se essa geração será aquela lembrada positivamente pelo futuro da nação e do mundo ou aquela geração que não soube atender às expectativas. O momento é agora. E, mesmo assim, esse momento pode estar apenas começando.