Lukaku aproveita falha de goleiro da Finlândia e Bélgica arranca empate no fim

Técnico Marc Wilmots preferiu testar um novo ataque e Diabos Vermelhos insistiram na bola aérea; esforço foi beneficiado apenas nos minutos finais após falha do goleiro Lucas Hradecky

Lukaku aproveita falha de goleiro da Finlândia e Bélgica arranca empate no fim
Goleiro Thibaut Coutois teve pouco trabalho no jogo desta quarta-feira (Foto: VI Images/Getty Images)
Bélgica
1 1
Finlândia
Bélgica: Courtois; Alderweireld, Denayer, Vermaelen, Vertonghen; Witsel, Fellaini (Lukaku, min. 79); Origi (Mertens, min. 58), De Bruyne, Hazard; Batshuayi (Benteke, min. 57)
Finlândia: Hradecky; Arkivuo (Saksila, min. 71), Toivio, Arajuuri, Halsti, Raitala; Ring (Kauka, min. 54), Sparv, Hetemaj; Hämäläinen (Pohjanpalo, min. 68), Eremenko
Placar: 0-1, min. 53, Hämäläinen. 1-1-, min. 89, Lukaku
ÁRBITRO: Hugo Miguel (POR)
INCIDENCIAS: Jogo amistoso preparatório da seleção da Bélgica para a Euro 2016

Apontada como uma das equipes mais fortes da Euro 2016, a Bélgica decepcionou a torcida em teste preparatório para o torneio de seleções do continente europeu. Nesta quarta-feira, os comandados do técnico Marc Wilmots insistiram nas bolas alçadas para a área e viram a Finlândia surpreender na Stade Roi Baudoin, em Bruxelas, com gol marcado por Hämäläinen em contra-ataque. Romelu Lukaku saiu do banco de reservas e foi o responsável por igualar o marcador aos 43 minutos do segundo tempo e deixar o placar empatado por 1 a 1.

Foi o segundo amistoso preparatório dos belgas para a Euro 2016. Anteriormente, os Diabos Vermelhos haviam derrotado de virada a Suíça por 2 a 1, no último sábado. Na ocasião, Lukaku e De Bruyne anotaram os gols do triunfo em Genebra em cima dos donos da casa. A última partida antes da estreia no campeonato de seleções será no domingo, no mesmo Roi Baudoin, contra a seleção da Noruega. Um dia depois, a Finlândia encara a rival da Bélgica na fase de grupos, a Itália, em jogo amistoso disputado na cidade de Verona.

Cabeça de chave do Grupo E, a seleção da Bélgica vai estrear na Eurocopa no dia 13 de junho, uma segunda-feira, contra a Itália, no estádio do Olympique Lyonnais. Cinco dias depois o adversário dos Diabos Vermelhos será a Irlanda, em Bordeaux, no campo do Girondins Bordeaux. A equipe belga vai terminar a primeira fase do torneio de seleções da Europa no Sul da França. Em Nice, os comandados do técnico Marc Wilmots vão medir força contra a Suécia de Zlatan Ibrahimovic.

Bélgica insiste na bola aérea e para na defesa da Finlândia

O técnico Marc Wilmots preferiu testar novas opções no setor ofensivo e deixou a dupla de centroavantes Christian Benteke e Romelu Lukaku no banco de reservas no começo do jogo em Bruxelas. Com Origi atuando aberto pela direita e Batshuayi no comando do ataque. E a primeira chance contou com os dois atletas. De Bruyne lançou para Origi nas costas da marcação e o atacante do Liverpool avançou até a linha de fundo para cruzar. Ele mandou na cabeça de Batshuayi, mas o jogo do Marseille cabeceou ao lado do gol.

A primeira vez que a Bélgica colocou o goleiro Lucas Hradecky para trabalhar foi aos 21 minutos. Em falta ensaiada, De Bruyne rolou para Vertonghen soltar a bomba. O chute rasteiro foi no canto e o arqueiro do Eintracht Frankfurt espalmou para escanteio. As bolas aéreas começaram a ser alçadas na defesa finlandesa e o alvo sempre era Marouane Fellaini. Aos 37 minutos, o grandalhão do Manchester United cabeceou para defesa de Hradecky. Três minutos depois foi a vez de Batshuayi assustar e acertar a trave pelo alto.

Após pouco atacar nos primeiros quarenta e cinto minutos, a Finlândia voltou surpreendendo na etapa final e colocou Courtois para trabalhar em chute de fora da área de Roman Eremenko. E o improvável aconteceu aos sete minutos. Raitala recebeu passe de Sparv nas costas do marcador pelo lado esquerdo, foi até a linha de fundo e tocou para o centro da área. Kasper Hämäläinen apareceu livre, chegou antes que o arqueiro dos Diabos Vermelhos e desviou para o fundo das redes, calando o Rei Balduíno.

Quatro minutos após o gol o técnico Marc Wilmots colocou em campo Benteke e Mertens nos lugares de Origi e Batshuayi e passou a rondar a área adversária com mais contundência. Até os defensores escalados como laterais, Alderweireld e Vertonghen, viraram pontas. Contudo, a equipe abusou das bolas aéreas para Fellaini. Nas poucas vezes que assustou, porém, foram em jogadas individuais de Mertens, mas sempre parando em cima de algum marcador que dobrava a marcação em cima dele.

Exagerando nos cruzamentos, a Bélgica partiu de vez para cima do adversário com Lukaku no lugar de Fellaini. Aposta que resultou muito certo. Aos 43 minutos do segundo tempo, Mertens cortou o marcador pelo lado direito e cruzou. A bola saiu fechada e foi direto na direção do gol. Até então destaque do jogo amistoso, o goleiro Hradecky falhou feio e espalmou a bola para cima. Lukaku teve a tranquilidade de botar a bola para o fundo das redes com o peito e garantir o empate belga para festa dos torcedores.