Em possível despedida de Ibra, Suécia encara Bélgica precisando vencer para se classificar na Euro

Com apenas um ponto, suecos necessitam do triunfo para avançarem ao mata-mata; empate assegura belgas na próxima fase

Em possível despedida de Ibra, Suécia encara Bélgica precisando vencer para se classificar na Euro
Fotomontagem: Editoria de arte/VAVEL
Suécia
Bélgica
Suécia: Isaksson; Lindelöf, Johansson, Granqvist e Olsson; Larsson, Ekdal, Källström e Forsberg; Berg e Ibrahimovic. Técnico: Erik Hamrén.
Bélgica: Courtois; Meunier, Alderweireld, Vermaelen e Vertonghen; Witsel e Nainggolan; Mertens, De Bruyne e Hazard; Lukaku. Técnico: Marc Wilmots.
ÁRBITRO: Felix Brych (ALE).
INCIDENCIAS: Partida válida pela terceira rodada do Grupo E da Eurocopa 2016, a ser realizada na Allianz Riviera, em Nice, na França.

Vencer ou vencer. Este é o lema da Suécia para enfrentar a Bélgica, às 16h desta quarta-feira (22), na Allianz Riviera, em Nice, pela terceira e derradeira rodada do Grupo E da Eurocopa. Além do viés decisivo, o confronto pode marcar a despedida do atacante Zlatan Ibrahimovic, que anunciou sua aposentadoria da Seleção Sueca após a disputa da Euro.

Com apenas um ponto, os suecos necessitam do triunfo para avançarem às oitavas de final. Já um empate garante os belgas, que somam três pontos, na próxima fase. Líder da chave, a Itália venceu seus dois jogos e já está com o passaporte carimbado para a próxima fase. Embora seja a lanterna do grupo com um ponto, a Irlanda tem chances de classificação: precisa vencer a Itália por cinco gols de diferença e torcer para a Bélgica não ganhar da Suécia.

Em toda a história, Suécia e Bélgica mediram forças em cinco jogos, e os belgas levam a melhor. Os Reds Devils venceram três vezes, enquanto que os nórdicos, duas.

Erik Hamrén exalta Ibrahimovic e afirma: “Está tudo em aberto”

Assim como Ibrahimovic, o treinador Erik Hamrén deixará a Seleção Sueca após a disputa da Eurocopa. Para que a partida desta quarta-feira (22) não seja a última dos dois com a seleção, os nórdicos precisam vencer a Bélgica. Hamrén reconhece que o adversário é superior, mas garante que nada está perdido.

Eles têm um ataque poderoso e alguns jogadores muito talentosos. Temos de travá-los. Se o conseguirmos, também iremos dispor das nossas oportunidades. Se pensarmos que podemos entrar em campo e fazer tudo aquilo que queremos, esquecendo a qualidade dos nossos rivais, iremos ser castigados. Temos de usar a cabeça para anulá-los. A minha mensagem para os jogadores é que está tudo em aberto. Se conseguirmos um bom resultado, continuamos na luta, se o resultado for mau, estamos fora do Euro”, pontuou.

Com apenas um gol (contra) marcado nesta Eurocopa, a Suécia sofre com a má pontaria. Os comandados de Hamrén não dispararam a gol nenhuma vez sequer nos dois jogos – diante de Irlanda e Itália. Para quebrar essa marca negativa, o treinador aposta no craque Ibrahimovic, que já marcou 62 gols em 115 jogos pela Suécia.

Zlatan tem uma grande importância para nós, como mostrou no passado. Nas Eliminatórias foi decisivo na maioria dos nossos jogos, é muito importante no nosso ataque, mas não consegue jogar sozinho. Temos de jogar melhor ofensivamente como equipe”, disse.

A única dúvida na Suécia é o lateral-direito Mikael Lustig, que reclama de dores na virilha.

Para Marc Wilmots, Bélgica tem que ser “cautela e compacta”

Em entrevista coletiva nessa terça-feira (21), o comandante da Bélgica, Marc Wilmots, analisou a partida ante a Suécia e ressaltou o nível de compactação que o duelo exigirá aos dois times.

A Suécia é uma equipe muito compacta, que defende bem com duas linhas sólidas de quatro e dois jogadores no ataque que são muito talentosos. Por isso, nós também temos de ser muito cautelosos e compactos”, afirmou o técnico, que espera que sua equipe domine a posse de bola durante o jogo.

Espero que a nossa equipe tenha muita posse de bola, a faça circular bem e obrigue os nossos adversários a correr o mais possível. Espero também que consigamos criar muitas oportunidades que, espero, concretizemos”, frisou.

Para a partida, Wilmots ainda não sabe se poderá contar com o meio-campista Moussa Dembélé e com o meia-atacante Yannick Carrasco. Ambos queixam de dores no tornozelo.