Chile vence Colômbia e reeditará decisão da Copa América contra Argentina

Com gols de Aránguiz e Fuenzalida, La Roja garantiu passagem para a grande decisão do torneio

Chile vence Colômbia e reeditará decisão da Copa América contra Argentina
Fuenzalida comemora segundo gol com os companheiros. (Foto: Getty Images)
Colômbia
0 2
Chile
Colômbia: Ospina; Fabra (Sebástian Pérez), Zapata, Murillo, Arias; Sánchez, Torres, James, Cardona (Marlos Moreno), Cuadrado (Bacca); R. Martínez. Técnico: José Pekerman
Chile: Claudio Bravo; Isla, Medel, Gonzalo Jara, Beausejour; Aránguiz, Francisco Silva, Pablo Hernández (Pulgar); Fuenzalida (Puch), Vargas (Mark González) e Alexis Sánchez Técnico: Juan Antonio Pizzi
Placar: 0-1, 4' 1T, Aránguiz. 0-2, 10' 1T, Fuenzalida.
ÁRBITRO: Árbitro: Joel Aguilar (El Salvador) Cartões Amarelos: Carlos Sánchez, Bacca, James Rodríguez; Bravo, Beausejour, Francisco Silva, Puch, Alexis Sánchez Cartões Vermelhos: Carlos Sánchez
INCIDENCIAS: Partida válida pela semifinal da Copa América 2016

Na noite desta quarta-feira (23), Chile Colômbia encontraram-se no Soldier Field, em Chicago para o segundo jogo de semifinais da Copa América Centenário. Com o placar de 2 a 0, gols de Aránguiz Fuenzalida, os chilenos garantiram passagem para a grande final da competição, onde irão enfrentar a Argentina, assim como na Copa América 2015, quando venceram nos pênaltis.

Devido ao atraso de aproximadamente duas horas devido ao mau tempo na capital de Illinois, a partida, que começou as 21h pelo horário de Brasília, se encerrou apenas às 1h15, ou 23h15 pelo horário da cidade estadunidense.

Chile começa arrasador e faz dois em 11 minutos

O começo do jogo já mostrava que La Roja não iria pensar duas vezes antes de atacar a Colômbia. Após cinco minutos de jogo brigado no meio de campo, Fuenzalida arrancou pela direita e cruzou no segundo poste, onde estava Cuadrado. O meia colombiano tentou afastar, mas acabou jogando no pé de Aránguiz, que não titubeou e empurrou para o gol de Ospina, abrindo o placar.

Apáticos, os comandados de José Pékerman viram Fuenzalida chegar novamente, dessa vez errando passe para Vargas dentro da área. Já tendo feito duas boas jogadas de perigo, o lateral direito foi premiado: o goleiro Bravo bateu para frente, Sanchez dominou, limpou o zagueiro e chutou na trave. No rebote, o jogador do Boca Juniors marcou o segundo dos chilenos.

Minutos depois, Alexis passou como quis pela zaga colombiana e chutou para boa defesa de Ospina. Foi o último ataque do Chile no primeiro tempo, visto que a Colômbia começou a pressionar a partir dos 22', quando o meia James Rodríguez forçou o goleiro Bravo a trabalhar, defendendo chute cruzado. Em seguida, Hernández, que hoje substituía o suspenso Vidal, se machucou e saiu para dar lugar a Pulgar.

Com 30 minutos no cronômetro de Joel Aguilar, o jogador do Real Madrid levou perigo novamente, desta vez batendo para fora. Na sequência, brilhou novamente a estrela de Claudio, que quase saiu da área para defender finalização de Arias. No último lance, o arqueiro pegou mais três bolas, em cruzamento de James, finalização de Sánchez e novamente em bola de Cuadrado.

TEMPESTADE FORÇA PARALISAÇÃO DA PARTIDA

Antes mesmo do final da primeira etapa, o sistema de som do estádio já havia avisado a torcida de uma possível tempestade a caminho da cidade, recomendando que os mesmos procurassem abrigo, mesmo que dentro do Soldier Field.

(Foto: Getty Images)
(Foto: Getty Images)

O resultado do mau tempo foi a paralisação do jogo em duas horas e vinte minutos, desde as 21h48 até as 00h28, quando o juiz finalmente apitou para o começo do segundo tempo, após permitir que as equipes voltassem a realizar o trabalho de aquecimento.

Campo pesado, jogo brigado e vitória chilena

Logo no primeiro lance de ataque da segunda etapa, um lance polêmico: Torres foi derrubado dentro da área por Jara, que cometeu pênalti claro. Porém não aos olhos de Joel Aguilar, que apenas mandou o jogo seguir. Com o campo pesado, ambas as equipes erravam passes e não conseguiam finalizar em gol. 

Com muitos jogadores leves, o Chile tinha dificuldade em fazer a bola rolar, mas logo foi presenteado com o segundo amarelo e a expulsão de Carlos Sánchez, que cometeu falta em Aránguiz. O time então começou a diminuir o ritmo da partida, e quase chegou ao gol com 20', quando Ospina defendeu cabeçada de Pulgar.

Colômbia então iniciou o que seriam quatro minutos de pura pressão, quando Zapata, Marlos Moreno James Rodríguez finalizaram ao gol chileno. Mas apenas o último levou perigo, forçando Bravo a defender em dois tempos. Ganhando espaços no meio de campo, Sanchez começou a brilhar, driblando e infernizando a zaga colombiana. Apesar disso, o time não finalizava ao gol de Ospina.

No final, o time de José Pékerman começou a perder a cabeça, fazendo muitas faltas violentas e recebendo cartões amarelos. Após a invasão de dois torcedores, o último lance foi uma falta cobrada por James Rodríguez, que acertou a barreira e depois cometeu falta em Sanchez. Antes mesmo da cobrança, Joel Aguilar apitou o final do jogo, garantindo a passagem do Chile para a segunda final de Copa América em dois anos.