Hearts recusa segunda proposta do Wigan para jovem lateral escocês Callum Paterson

Jambos querem pelo menos £ 1 milhão pelo atleta, que está em seu último ano de contrato

Hearts recusa segunda proposta do Wigan para jovem lateral escocês Callum Paterson
Foto: Mark Runnacles / Getty Images

Ainda no começo da temporada e bem próximo do Deadline Day na Grã-Bretanha, o Hearts vive um dilema. Callum Paterson, lateral-direito que também pode jogar de atacante de 21 anos está em seu último ano de contrato, mas é entendido que o atleta queira buscar novos ares em sua carreira depois de quatro anos no profissional do clube da capital. Contudo, os Jambos já recusaram uma proposta de £ 600 mil feito pelo Wigan, da Inglaterra, afirmando que o jogador não vale esse preço, querendo mais. Caso o time da capital não venda Callum agora, ele poderá assinar um pré-contrato em Janeiro com qualquer time. 

É tradicional que alguns clubes da Inglaterra busquem talentos bons e baratos na vizinha ao norte, a Escócia. Paterson não seria nem o primeiro nem o último a fazer parte de uma lista com nomes que se encaixam nesse perfil que foram buscar novos rumos ao sul da ilha. Mas, em seu último ano de contrato, o Hearts precisa agir de maneira rápida se quiser vender o lateral, uma vez que ele não deve renovar contrato. 

Mesmo que o Hearts não o venda e ele acabe saindo livre para outro time, o clube irá receber £ 300 mil pela compensação de formação do atleta. Mas Robbie Neilson não quer ficar apenas com essa verba, acreditando que o seu comandada valha, ao menos, £ 1 milhão. Acredita-se, também, segundo o jornal Daily Record, que os Jam Tarts não querem vender atletas por menos do que se acredita que eles valham, por mais absurdo que possa parecer aos interessados ou acostumados com a política do 'bom e barato do vizinho'. 

Callum Paterson está no time profissional do Hearts desde 2012, quando subiu das categorias de base. Desde então fez 120 partidas pelo time, contando as oito que fizeram nesta temporada - Europa League e Premiship. Além disso foi chamado pela primeira vez à seleção principal da Escócia para disputa das Eliminatórias da Copa do Mundo.