Técnico da Bélgica projeta melhora após revés para Espanha: "Temos que trabalhar forte"

Roberto Martínez estreou no cargo de comandante dos Red Devils com derrota e vaia ao final da partida, mas treinador afirma que equipe pode melhorar

Técnico da Bélgica projeta melhora após revés para Espanha: "Temos que trabalhar forte"
Foto: AFP / Virginie Lefour / Getty Images

Bélgica e Espanha disputaram, nesta quinta-feira (1), um amistoso em Bruxelas e as duas seleções tiveram estreias em seus comandos técnicos. No lado dos espanhois, Julen Lopetegui e do lado belga, Roberto Martínez iniciaram seus trabalhos preparatórios para a Copa do Mundo da Rússia, em 2018. Contudo, ao final dos 90 minutos, foram os visitantes que sairam vencedores e, após o confronto, o técnico dos Red Devils acredita que uma análise inicia foi feita e agora precisa-se trabalhar em cima do que aprendeu hoje.

David Silva marcou os dois gols qeu deram o triunfo para a Fúria por 2 a 0, aproveitando a performance que não foi aprovada pela torcida presente no estádio, que vaiou o time ao final dos 90 minutos e em certos momentos se mostrava impacientes. Para Roberto Martínez, porém, a paciência é um fator que precisa ser entendido por todos, além de fazer uma análise do que foi a partida em seu ponto de vista.

"Esse jogo mostra que ainda temos muito trabalhos [a fazer]", comentou o treinador dos Red Devils. "Sabíamos que seríamos testados. As vezes acontece de você jogar partidas amistosas sem ter muitas informações [sobre seu time], mas agora é diferente. O resultado é doloroso, mas é a realidade. Contra o Chipre, a partida se torna outra, porém todo jogo terá sua dificuldade", acrescentou. 

Nos últimos tempos essa Seleção Belga provou que tem talentos individuais e esse acabou sendo um dos problemas da gestão anterior: o fato do coletivo não funcionar. Essa geração, porém, é chamada por muitos da mídia e por torcedores como a 'geração de ouro' do país e que precisa de títulos para provar isso. Martínez reconhece tal afirmação.

"Como um time, nós precisamos achar o equilíbrio correto e trabalhar forte nisso. Talentos individuais podem se formar times vencedores. Agora temos as informações que precisávamos e temos que trabalhar muito duro em cima delas. Sabíamos que a Espanha é um grande adversário e esse é o nível que pretendemos atingir. Agora, sabemos nossas fraquezas. É claro que para o espectador não é algo que se goste, eu entendo, mas nós temos os talentos necessários, todos sabem disso e só precisamos trabalhar o time e a mentalidade também", encerrou o ex-Everton.