Com polêmicas de arbitragem, Cerro Porteño passa pelo Medellín e avança na Sul-Americana

Juiz argentino Marco Vigliano ganhou destaque ao validar um gol dos paraguaios e voltar atrás minutos depois; Colombianos reclamam de expulsão.

Com polêmicas de arbitragem, Cerro Porteño passa pelo Medellín e avança na Sul-Americana
Foto: Twitter oficial - Cerro Porteño
Cerro Porteño
2 0
Ind. Medellín
Cerro Porteño: A. Silva; Raúl Cáceres, Júnior Alonso, Omar Alderete (Cáceres Centurión) e Álvaro Pereira; Rodrigo Rojas, Marcos Riveros, Domínguez e González; Colmán (Torales) e Velázquez (Beltrán). Técnico: Gustavo Florentin.
Ind. Medellín: David González; Piedrahita (Camilo Saiz), Mosquera, Pertúz e Juan Valencia (Molina); Moreno, Parra (Cortés), Hernández e Marrugo; Hechalar e Caicedo. Técnico: Leonel Álvarez.
Placar: 1-0, min. 33, Dominguéz. 2-0, min. 72, Domínguez.
ÁRBITRO: Marco Vigliano (ARG).
INCIDENCIAS: Jogo válido pelas quartas-de-final da Copa Sul-Americana de 2016.

Após um empate sem gols na Colômbia, Cerro Porteño e Independiente Medellín fizeram um jogo animado no Defensores del Chaco. A vitória por 2x0 dos paraguaios, com dois gols de Domínguez, colocou o Cerro na semifinal da Copa Sul-Americana contra Atlético Nacional ou Coritiba.

Jogo aberto e erro da arbitragem

O primeiro tempo começou agitado no Defensores del Chaco. Com casa cheio, o Cerro Porteño começou em cima dos colombianos e disposto a abrir logo o placar e ganhar tranquilidade para o resto da partida. E até conseguiu: logo nos primeiros minutos, o goleiro David González soltou uma bola e Álvaro Pereira, ex-São Paulo, completou para as redes. O lateral, contudo, estava impedido.

O lance não diminuiu o ímpeto dos paraguaios que seguiram em cima. Aos poucos, os colombianos passaram a encontrar os espaços para armar o contra-ataque e assustar o goleiro Silva. As defesas erravam muito e o jogo tinha muitas chances de gol. Foi em um lance desses que Caicedo saiu na cara do gol e perdeu uma chance incrível para abrir o placar.

Pouco depois, o Cerro Porteño conseguiu marcar seu gol. Em jogada pela direita, Velázquez tentou uma bicicleta e a bola sobrou para Domínguez cabecear firme e não dar chances de defesa para David González. 1x0.

A torcida ainda comemorava o gol quando viu a arbitragem cometer seu primeiro grande erro da noite. O Cerro puxou um bom contra-ataque e a defesa colombiana cortou a bola, sobrando para o mesmo Domínguez ampliar o placar. Apesar da marcação de impedimento do auxiliar, o juiz Marco Vigliano validou o gol. Após muita reclamação dos visitantes, ele voltou atrás e marcou falta para os paraguaios equivocadamente.

Expulsão e pênalti decidem a vaga

A partida mal recomeçou e a arbitragem voltou a ser o centro das atenções na partida. Logo aos três minutos, Caicedo disputou uma bola e foi expulso pelo juiz argentino. A decisão, um pouco exagerada, pode ter sido reflexo do erro da primeira etapa.

Com um a menos, os colombianos tentavam tocar a bola e gastar o tempo na esperança de encontrar um gol. O desenho da partida, porém, era toda para o Cerro Porteño. E a noite era de Domínguez.

Aos 27’, ele entrou na área e foi derrubado por Valencia. O próprio meia deslocou o goleiro e marcou o segundo. Sem forças, o Independiente Medellín até tentou, mas pouco fez para conseguir descontar.