Müller ri ao lembrar do 7 a 1 na Seleção Brasileira e descarta goleada contra França

Nas prévias do confronto diante dos franceses, atacante alemão concedeu entrevista coletiva e sorriu ao relembrar do "mineiraço"

Müller ri ao lembrar do 7 a 1 na Seleção Brasileira e descarta goleada contra França
Müller durante a entrevista coletiva (Foto: Alex Grimm/Getty Images)

Pela semifinal da Eurocopa, Alemanha e França se enfrentarão nessa quinta-feira (7), às 16h, no Stade Velodrome, em Marseille. No entanto, na véspera do confronto, o alemão Thomas Müller concedeu entrevista coletiva e ao ser questionado sobre as semelhanças com a semifinal da Copa do Mundo de 2014, o atacante deu risada ao lembrar do 7 a 1 aplicado na Seleção Brasileira.

Como em julho de 2014, novamente a Alemanha disputará uma semifinal diante do país anfitrião. Apesar do bom humor de Müller e do placar histórico aplicado sobre a Seleção Brasileira no Mineirão, o atacante disse que não espera outra goleada da mesma magnitude diante dos franceses.

"A França, como anfitriã, certamente estará um pouco sob pressão. Eles sabem que jogarão contra um ótimo time da Alemanha. França e Alemanha eram as duas favoritas para vencer o torneio e agora se encontram na semifinal. Não há muitas seleções melhores que essas", disse. "É o tipo de jogo que gostamos de ver, então queremos jogar bem. Mas não acho que vamos ganhar de 7 a 1", sorriu Müller, autor do primeiro gol do massacre alemão no Brasil.

Apesar de possuir extrema intimidade com as redes, Thomas Müller ainda não marcou na Euro 2016. Quando questionado, o atacante afirmou que, para ele, o fato de ainda não ter feito nenhum gol na competição continental não é um problema e que os interesses coletivos são mais importantes que os individuais.

"Isso não vai me matar. Na Copa de 2010, eu fui o artilheiro, mas nós perdemos na semifinal e fomos para casa", disse. "Na Copa do Mundo no Brasil eu fui muito mais valioso para o time, a federação e até o país. Um gol pelo menos me daria paz, porque eu não teria mais que responder sobre isso", concluiu.