Bayern de Munique confirma favoritismo, bate Hertha Berlin e mantém 100%

Ribéry, Thiago Alcântara e Robben marcaram os gols do bávaros, que seguem na ponta da tabela

Bayern de Munique confirma favoritismo, bate Hertha Berlin e mantém 100%
Foto: Lukas Barth/Anadolu Agency/Getty Images
Bayern de Munique
3 0
Hertha Berlin
Bayern de Munique: Neuer; Lahm, Boateng (Hummels), Martinez, Alaba; Thiago, Alonso, Vidal; Müller (Robben), Ribéry (Coman), Lewandowski. Técnico: Carlo Ancelotti.
Hertha Berlin: Jarstein; Plattenhardt, Langkamp, Stark, Pekarik; Lustenberger, Allan, Haraguchi, Esswein (Stocker), Weiser (Allagui); Ibisevic (Schieber). Técnico: Pal Dardai.
Placar: Ribéry 16'; Thiago Alcântara 68'; Robben 72'.
ÁRBITRO: Marco Fritz (ALE).
INCIDENCIAS: Confronto válido pela 4ª rodada da Bundesliga. A partida foi disputada na Allianz Arena, em Munique (75 mil espectadores).

O Bayern de Munique recebeu o Hertha Berlin nesta quarta-feira (21), na Allianz Arena, em Munique, em confronto válido pela quarta rodada da Bundesliga 2016/17. No duelo repleto de expectativas, estiveram frente a frente as equipes que, até então, mantinham os cem por cento aproveitamento na competição.

Com gols de Ribéry, Thiago Alcântara e Robben, o favoritismo do Bayern de Munique foi confirmado e mais uma vitória foi conquistada na Bundesliga. Com o resultado, os bávaros foram a 12 pontos, permanecem invictos na competição e sustentam-se na ponta da tabela de classificação. Já o Hertha Berlin, continua com os mesmos nove pontos que possuía e passou a figurar a quarta colocação.

O próximo compromisso das equipes será pela quinta rodada da Bundesliga, no próximo sábado (24), ambos às 10h30. O Bayern enfrentará o Hamburgo, no Volksparkstadion, em Hamburgo, enquanto o Hertha irá encarar o Eintracht Frankfurt, na Commerzbank-Arena, em Frankfurt.

Bayern domina completamente as ações na primeiro etapa

No gramado castigado da Allianz Arena, que foi palco de cinco jogos em um período de 13 dias, a equipe comandada por Carlo Ancelotti entrou em campo com o que tinha de melhor. Sem Douglas Costa lesionado, o Bayern contou com o retorno do zagueiro Boateng à equipe titular, totalmente recuperado de lesão.

Desde os minutos iniciais os bávaros mostraram o cartão de visitas aos adversários, imprimindo uma marcação forte e um ritmo de jogo avassalador. Já o desfalcado Hertha, comandado por Pal Dardai, que não contou com o zagueiro Brooks, o volante Darida e o meia campista Duda, tentava se defender como era possível.

O Bayern perdeu duas oportunidades nos dois primeiros minutos da partida, na cabeçada de Lewandowski que exigiu boa defesa do goleiro e na finalização de Muller, que chutou pra fora livre de marcação na pequena área. Reflexo da pressão, aos 15 minutos Ribéry recebeu de Alaba na grande área, passou por um marcador e deixou outro no chão, para sair cara a cara com o goleiro Jasrtein que não conseguiu evitar o gol.

Com a posse de bola do Bayern ultrapassando os 70% em diversos momentos, o Hertha Berlin foi obrigado a manter-se recuado, a fim de esperar oportunidades de explorar os contragolpes. No entanto, os donos da casa dominaram completamente as ações na primeira etapa e não deram brecha para os adversários finalizarem sequer uma vez. Contudo, os bávaros foram para o vestiário com a vitória parcial e a torcida fez a festa na Allianz Arena.

Hertha tenta, mas Bayern confirma favoritismo

No retorno das equipes para a etapa complementar, ambas voltaram sem alterações. O Hertha Berlin mostrou-se um pouco melhor nos primeiros minutos, já que adiantou a marcação e passou a jogar de forma organizada, na tentativa de pressionar a saída de bola do Bayern.

Em consequência da diminuição de ritmo dos bávaros, o jogo ficou mais equilibrado no segundo tempo. Após os primeiros 15 minutos, iniciou-se também o duelo tático, com o comandante do Hertha tirando Ibisevic e Esswein, para a entrada de Schieber e Stocker. Rapidamente o treinador do Bayern respondeu e promoveu as alterações, com a saída de Boateng e Müller, substituídos por Hummels e Robben.

Sendo assim, o Hertha teve alguns lampejos e parecia que conseguiria o empate, já que com um chute de bico do meio campista Stocker exigiu bela defesa do arqueiro Manuel Neuer. Porém, mais que depressa as mudanças promovidas por Carlo Ancelloti surgiram efeito.

Nos primeiros minutos em campo, Robben passou no meio de dois jogadores e caiu, mas a arbitragem entendeu que não houve nada e mandou o jogo seguir. Em seguida, aos 23 minutos, Lewandowski recebeu belo passe e completou para o fundo das redes, mas o árbitro assistente assinalou impedimento.

Com tal sequência de lances discutíveis, até a geradora de imagens alemã equivocou-se. Enquanto era exibido o momento em que o atacante holandês foi derrubado na grande área, a defesa do Hertha errou na saída de bola e o esperto Thiago Alcântara, roubou a bola do zagueiro e bateu colocado para ampliar o placar.

O Hertha Berlin sentiu o golpe e novamente bobeou na intermediária defensiva aos 26 minutos. Os bávaros roubaram outra bola no ataque e em seguida, Lewandowski ajeitou para Robben, que fez sua típica jogada, cortou o marcador e com o pé esquerdo chutou com desviou para marcar o terceiro do Bayern na partida. O atacante holandês, agora recuperado de lesão, não jogava desde março deste ano.

No Bayern saiu Ribéry para a entrada de Coman, enquanto no Hertha saiu Weiser para a entrada de Allagui, mas nada mudou. Nos 15 minutos finais, o Bayern manteve a posse de bola e administrou a vantagem, garantindo assim mais uma vitória na Bundesliga. Sem acréscimos, o árbitro Marco Fritz apitou pela última vez e deu números finais ao duelo.