Seleção VAVEL da Primeira Liga 2015-16

Melhores colocados, Benfica e Sporting dominam lista com melhores do campeonato, mas reservou nomes bastante destacáveis na temporada portuguesa

Seleção VAVEL da Primeira Liga 2015-16
(Foto: Rodrigo Rodrigues/VAVEL Brasil)

Marcada pela acirrada disputa pelo título entre os eternos rivais Benfica e Sporting, pela campanha surpreendente do Arouca e pela épica salvação do Tondela na parte de baixo da tabela, a 82ª edição da Primeira Liga deixará saudades. Principalmente para os Encarnados, que conquistaram sua 35ª taça, sendo a terceira de forma consecutiva. Os benfiquistas não eram tricampeões desde o período entre 1975 e 1977.

Os destaques negativos ficam por conta da modesta campanha do Porto, que ficou muito distante dos seus arquirrivais na luta pelo topo, e pelo rebaixamento da Acadêmica de Coimbra, que estava em sua 14ª passagem consecutiva pela elite.

Passada toda a adrenalina da elite portuguesa, cujas principais definições ficaram para a última rodada, é hora da VAVEL Brasil divulgar a Seleção da Primeira Liga 2015/2016. Montado no tradicional esquema 4-4-2, o esquadrão é dominado pelo Trio de Ferro.

Confira a Seleção VAVEL da Primeira Liga 2015/2016:

Goleiro: Ederson (Benfica)

Uma das gratas surpresas desta edição da Primeira Liga foi o "guarda-redes" - no jeito luso de se falar - brasileiro Ederson. Sua primeira oportunidade na meta benfiquista pelo campeonato nacional foi uma verdadeira prova de fogo: um dérbi contra o Sporting, no Estádio José Alvalade, valendo a liderança do campeonato. Coube ao jovem de 22 anos a difícil missão de substituir o titular Júlio César, que havia se lesionado. Apesar de toda a atmosfera hostil, Ederson não sentiu a pressão, fechou o gol e ajudou o Benfica a sair com os três pontos que o colocaram na liderança, de onde a equipe de Rui Vitória nunca mais saiu.

Mesmo não tendo participado de toda a campanha do tricampeonato benfiquista, ele pode ser apontado como um dos responsáveis pelo "35" por não ter sentido o peso da disputa na qual seu clube estava envolvido. Desde que conquistou a titularidade, vem tendo atuações seguras. E já chama a atenção do mercado: o jornal "A Bola" garante que Pep Guardiola, em fim de contrato com o Bayern de Munique e de malas prontas para o Manchester City, está de olho no arqueiro. O passe de Ederson é dividido entre Benfica e Rio Ave e custa 22 milhões de euros.

Frequente nas convocações da Seleção Olímpica, o goleiro foi chamado para integrar a delegação que defenderá a Canarinho na Copa América Centenário, nos EUA. Um prêmio pelo seu repentino e meteórico crescimento.

(Foto: Gualter Fatia/Getty Images)
(Foto: Gualter Fatia/Getty Images)

Lateral-direito: Maxi Pereira (Porto)

A janela de transferências que antecedeu a temporada 2015/2016 contou com a polêmica e surpreendente transferência do experiente Maxi Pereira (31) do Benfica para o rival Porto. O uruguaio colecionava números respeitáveis pelos Encarnados: 333 partidas, 21 gols e 11 títulos. Era muito respeitado na Luz. Mas não aceitou renovar o contrato com o SLB e "virou a casaca". À época, o sul-americano justificou que via melhores perspectivas pessoais e profissionais no lado azul.

Apesar das muitas desilusões vividas em sua primeira temporada como portista - campanhas melancólicas na Primeira Liga, Uefa Champions League e Uefa Europa League -, seu desempenho individual permaneceu em um bom nível. Maxi foi o sétimo maior "garçom" da Liga, com sete assistências, e manteve seu estilo aguerrido, típico da "alma uruguaia". Uma miragem no meio do deserto.

(Foto: Carlos Rodrigues/Getty Images)
(Foto: Carlos Rodrigues/Getty Images)

Zagueiro: Victor Lindelöf (Benfica)

Um "achado" da base benfiquista, o sueco Victor Lindelöf foi mais um encarnado a se firmar depois de receber uma difícil missão: preencher o lugar deixado pelo capitão Luisão, que sofrera lesão. Afinal, seria possível um jogador de 35 anos, com mais de 400 jogos a serviço de um dos grandes clubes portugueses, ser substituído à altura por um jovem de 21 anos? Lindelöf mostrou que sim.

Com cabeça fria - nenhuma referência às baixas temperaturas de seu país natal - e foco, ele caiu nas graças da torcida benfiquista e passou a ser convocado para a seleção principal da Suécia. Já tinha créditos pelas grandes atuações na Euro Sub-21 de 2015, conquistada justamente pelos suecos. E o prestígio vem crescendo a cada desempenho seguro na retaguarda das Águias.

(Foto: Gualter Fatia/Getty Images)
(Foto: Gualter Fatia/Getty Images)

Zagueiro: Rúben Semedo (Sporting)

A defesa menos vazada da Primeira Liga 2015/2016 merecia um representante na Seleção VAVEL. E o posto está nas mãos de mais um jovem que vem caindo nas graças de quem acompanha o campeonato. Trata-se do português Rúben Semedo. Veloz e centrado, ele tem 22 anos.

Ascendeu aos 11 iniciais do time principal do Sporting esta temporada. E logo conquistou a confiança do técnico Jorge Jesus, que já deu o recado em entrevista coletiva: "Mais cedo ou mais tarde, Rúben Semedo será titular da seleção portuguesa".

(Foto: Carlos Rodrigues/Getty Images)
(Foto: Carlos Rodrigues/Getty Images)

Lateral-esquerdo: Miguel Layún (Porto)

O último lugar na defesa do nosso esquadrão é preenchido por mais um latino: Miguel Layún, presença frequente na seleção mexicana e outro nome de destaque em meio à decepcionante temporada do Porto. O jogador de 27 anos sabe aliar força defensiva à disposição para partir rumo ao ataque. Não à toa dividiu o posto de "maior garçom" da Liga com o meio-campista argentino Nicolás Gaitán, do Benfica. Eles compartilham 15 passes a gol.

(Foto: Gualter Fatia/Getty Images)
(Foto: Gualter Fatia/Getty Images)

Meia: João Mário (Sporting)

O leonino João Mário é um raro caso de jogador que, mesmo jovem, pode se considerar com uma certa experiência. O habilidoso, inteligente e versátil meia de 23 anos já acumula 75 partidas pelo Sporting e é muito querido pelos adeptos.

Sua cláusula de rescisão está fixada em 60 milhões de euros, e ele já desperta o interesse de clubes como Atlético de Madrid, PSG, Chelsea e Manchester United. O clube promete segurá-lo o máximo de tempo possível. Presente na lista de convocados para a Eurocopa de 2016, o jogador tende a sair do torneio mais valorizado.

(Foto: Carlos Rodrigues/Getty Images)
(Foto: Carlos Rodrigues/Getty Images)

Meia e Revelação VAVEL da Primeira Liga 2015/2016: Renato Sanches (Benfica)

O polêmico Jorge Jesus não aproveitou muitos jogadores das categorias de base enquanto esteve no Benfica. A filosofia mudou quando Rui Vitória chegou. Uma das primeiras medidas do novo comandante encarnado foi promover Renato Sanches. O garoto de 18 anos subiu ao time principal em outubro, para não sair mais. Logo na sua estreia, diante da Acadêmica, mostrou à torcida um belo cartão de visitas.

Considerado maduro para a sua idade, pela inteligência na hora de pensar e propor o jogo, Renato também é habilidoso e veloz. Seus dotes como jogador chamaram a atenção do Bayern de Munique, que ao final desta temporada o comprou a pedido do novo técnico Carlo Ancelotti. Os cofres do Benfica receberão 35 milhões de euros.

Em pouco menos de um mês, Renato Sanches conquistou a Primeira Liga e a Taça da Liga pelo Benfica, campanhas nas quais foi peça importante, e tornou-se o primeiro jogador português da a acertar com o Bayern de Munique. Mal começou a carreira e já vem fazendo história. 

Pela ascensão meteórica do menino prodígio, é mais do que justo que a VAVEL Brasil também lhe conceda a honraria de revelação da Primeira Liga 2015/2016.

(Foto: Gualter Fatia/Getty Images)
(Foto: Gualter Fatia/Getty Images)

Meia: Nicolás Gaitán (Benfica)

Mais um encarnado na Seleção VAVEL. O nome da vez é Nicolás Gaitán, 28 anos. O "maestro" teve participação ativa em 16 gols do SLB na temporada: 12 assistências - sendo o líder no quesito ao lado do mexicano Miguel Layún, do Porto, conforme já citado - e quatro gols. Mas é válido lembrar que diversos gols do potente ataque benfiquista começaram pelos pés do argentino.

Após as saídas de nomes de prestígio como Markovic e Pérez, "Nico" chamou a responsabilidade e correspondeu às expectativas nele depositadas. Em sua sexta temporada na Luz, o camisa 10 deixou bem claro que seu ciclo no Benfica está se encerrando. Ao ser substituído na vitória por 6 a 2 sobre o Marítimo, que rendeu ao Benfica o sétimo título da Taça da Liga, Gaitán desabou em lágrimas no banco de reservas. Já no clima da festa do título, ele afirmou que sua saída "está para acontecer".

O destino ainda é incerto - os meios de comunicação portugueses falam do Atlético de Madrid, mas ainda não há nenhuma confirmação oficial. A única certeza de momento é a saudade que existirá nos dois lados.

(Foto: Alexander Hassenstein/Bongarts/Getty Images)
(Foto: Alexander Hassenstein/Bongarts/Getty Images)

Meia: Diogo Jota (Paços de Ferreira)

Único jogador fora do Trio de Ferro em nossa seleção, Diogo Jota é apontado como uma das maiores jóias do excelente trabalho de base feito em Portugal nos tempos atuais. É habilidoso, ágil e pode jogar tanto de meia quanto de atacante. Tem apenas 19 anos, anotou 12 gols nesta temporada da Primeira Liga - um ótimo número para alguém tão jovem, diga-se - e está de saída do Paços de Ferreira. O que se diz em Portugal é que ele será comprado pelo Atlético de Madrid e emprestado ao Benfica.

Diogo Jota (amarelo), destaque do Paços de Ferreira (Foto: Gualter Fatia/Getty Images)
Diogo Jota (amarelo), destaque do Paços de Ferreira (Foto: Gualter Fatia/Getty Images)

Atacante: Islam Slimani (Sporting)

Quinto maior artilheiro da história da seleção da Argélia e artilheiro do Sporting na temporada, Islam Slimani (27) abre o ataque do nosso time. Os 27 tentos na edição 2015/2016 da Liga comprovam o apurado faro de gol do jogador. Não à toa foi o africano mais goleador nas ligas europeias na temporada.

Evidentemente, o argelino já é motivo de disputa no mercado. Com Leicester e Tottenham na briga, sua permanência é colocada em dúvida. Mas JJ já deu seu pitaco aos jornalistas: "Slimani por 30 milhões de euros é o mesmo que zero".

(Foto: Pedro Lopes/DPI/Nur Photo/Getty Images)
(Foto: Pedro Lopes/DPI/Nur Photo/Getty Images)

Atacante e Craque VAVEL da Primeira Liga 2015/2016: Jonas (Benfica)

Para fechar os 11 iniciais com chave de ouro, eis o Craque VAVEL da Primeira Liga 2015/2016: Jonas. Artilheiro do certame com 32 gols, ele foi, também, o quarto maior goleador de toda a Europa.

Colecionador de gols por todos os clubes onde passou (Guarani, Santos, Grêmio, Portuguesa e Valencia), o brasileiro vem se firmando como um ícone do Benfica. Passadas duas temporadas em território português, Jonas tem excelente aproveitamento: 67 gols em 82 partidas. E o mais impressionante de toda essa história: o atacante veio a custo zero do Valencia.

(Foto: Gualter Fatia/Getty Images)
(Foto: Gualter Fatia/Getty Images)

Técnico: Lito Vidigal (Arouca)

O clube-sensação do futebol português em 2015/2016 merecia ser representado na Seleção VAVEL. Para tal não há ninguém melhor que o comandante do Arouca na melhor campanha do clube na elite portuguesa: o angolano Lito Vidigal. Considerado jovem para a profissão - tem 46 anos -, o ex-zagueiro trabalha na área técnica desde que pendurou as chuteiras.

Passou por equipes de menor expressão no futebol local, pela seleção de Angola, e até pelo exterior - entre 2012 e 2014, treinou o AEL Limassol, do Chipre, e o Al-Ittihad, da Líbia. Mas foi no Belenenses onde Lito começou a "mostrar as garras". Participou da histórica campanha que levou o clube lisboeta à Uefa Europa League - todavia, deixou o cargo na reta final. Na temporada seguinte, repetiu o feito com o Arouca. Dessa vez, sem interrupções. E já renovou o contrato por mais duas temporadas.

Os Arouquenses tiveram a quinta melhor defesa e o quinto melhor ataque da Primeira Liga, atrás somente do Trio de Ferro e da "quarta força" Braga. Balançaram as redes 47 vezes e concederam 38 tentos. Ficaram sem sofrer gols em 14 das 34 partidas do campeonato, um desempenho grandioso em um torneio no qual as defesas das equipes de menor expressão costumam ser muito vazadas.

O feito do Arouca é maior do que se imagina. Localizada na Área Metropolitana do Porto, região norte de Portugal, a cidade tem pouco mais de 22 mil habitantes. O clube local está em sua terceira participação no primeiro escalão, e o quinto lugar em 2015/2016 foi o melhor rendimento na história, a despeito dos respectivos 12º e 16º lugares de 2013/2014 e 2014/2015.

(Foto: Fernando Veludo/AFP/Getty Images)
(Foto: Fernando Veludo/AFP/Getty Images)

Menções honrosas

Jogadores
Rui Patrício (Sporting), João Pica (Tondela), Afonso Figueiredo (Boavista), Jardel (Benfica), Bruno Miguel (Estoril), André André (Porto), Rafa Silva (Braga), Bryan Ruiz (Sporting), William Carvalho (Sporting), Carlos Martins (Belenenses), Salvador Agra (Nacional), André Horta (Vitória de Setúbal), Otávio (Vitória de Guimarães), Léo Bonatini (Estoril), Rafael Martins (Moreirense), Dyego Sousa (Marítimo), Iuri Medeiros (Moreirense), Vincent Aboubakar (Porto), Nathan Júnior (Tondela), Konstantinos Mitroglou (Benfica) e Raúl Jiménez (Benfica).

Técnicos
Rui Vitória (Benfica), Jorge Jesus (Sporting), Paulo Fonseca (Braga), Pedro Martins (Rio Ave), Jorge Simão (Paços de Ferreira) e Petit (Tondela).