Simeone defende Neymar após críticas de Laudrup: "Ele canta, dança, se diverte e destrói"

Técnicos do Atlético de Madrid saiu em defesa do atacante brasileiro após o comentarista da Bein Sports comentar que Neymar provoca os adversários em campo

Simeone defende Neymar após críticas de Laudrup: "Ele canta, dança, se diverte e destrói"
Simeone defende Neymar após críticas de Laudrup: "Ele canta, dança, se diverte e destrói"

Neymar está mais uma vez em evidência na Espanha por sua forma de se portar. Como já aconteceu muitas vezes em sua carreira, o craque do Barcelona foi mais uma vez criticado por seu estilo de jogo driblador.

Dessa vez as críticas vieram do craque dinamarquês Michael Laudrup, que disse que Neymar provoca os adversários em campo sem motivo para isso: "Por que pisa na bola e cruza o próprio campo? Provoca. Passe a bola e vá para outro lugar! Com 4 a 0 não se pode ficar pisando na bola e provocando o rival", comentou o ex-jogador do Barcelona e atual comentarista da Bein Sports.

Nessa terça-feira, quem comentou sobre o caso foi o técnico do Atlético de Madrid, o argentino Diego Simeone, que irá enfrentar Neymar nessa quarta-feira pelo Campeonato Espanhol: "Ele possuí uma forma de jogar que é assim. Cada um tem seu estilo, sua forma de jogar. A dele me encanta. O criticam e colocam a vida privada dele em exposição. Mas ele canta, dança, se diverte e destrói. Assim, podem seguir criticando porque ele responde aonde ele tem que responder", ponderou o ex-jogador da seleção argentina se rendendo ao talento do craque brasileiro.

"Neymar é extraordinário. Foi para a Olimpíada e ganhou. Voltou para o Barcelona e achou um espaço para mostrar seu talento. Tem uma personalidade que lhe permite fazer isso (as chamadas firulas) e isso me encanta", finalizou Simeone.

Outro que saiu em defesa do brasileiro foi o técnico do Real Madrid, o francês Zinedine Zidane, que disse não ver como provocação as atitudes de Neymar em campo: "Não estou na cabeça do Neymar, mas acho que o que ele faz não é uma provocação. Cada um interpreta o futebol de uma maneira e eu vejo assim. Ele faz coisas que nem todos podem fazer. Não acho que seja provocação, mas é melhor perguntar a ele", disse o francês vencedor de três bolas de ouro.