Valencia demite técnico Pako Ayestarán após péssimo início no Espanhol

Após quatro derrotas nos quatro primeiros jogos, técnico não resistiu e foi demitido; Roberto Mancini, Marcelino García Toral e Andre Villas-Boas são nomes cotados para assumir seu posto

Valencia demite técnico Pako Ayestarán após péssimo início no Espanhol
Foto: Getty Images

O que era esperado para acontecer em breve, aconteceu. Após acumular um dos piores inícios de Campeonato Espanhol na sua história, o Valencia anunciou na tarde desta terça-feira (20) a demissão do técnico Pako Ayestarán. Quem comandará a equipe interinamente na próxima quinta-feira (22) diante do Deportivo Alavés, pela quinta rodada do campeonato nacional, é Voro González. Voro ficará no comando até que o clube acerte com outro treinador. O clube emitiu um comunicado anunciando o desligamento do comandante.

"Depois da reunião do Conselho de Administração celebrada hoje, Valencia Club de Futbol tomou a decisão de renunciar Pako Ayestarán do cargo de técnico da equipe. A decisão foi tomada por conta da atuação situação do clube e por conta dos resultados obtidos.

Enquanto o clube finaliza a contratação do novo treinador, quem exercerá a função no comando técnico da equipe de forma interina com plena responsabilidade e confiança do clube é Voro González.

O Valencia Club de Futbol agradece o esforço e profissionalidade de Pako Ayestarán e de seu corpo técnico em seu tempo a frente da equipe. O clube deseja toda a sorte no seu futuro profissional".

Como já dito, era esperado a demissão de Pako. Lanterna do campeonato, o Valencia não somou um ponto sequer nas quatro primeiras rodadas, tomando dez gols e fazendo cinco. As derrotas para Las Palmas, em casa, EibarReal Bétis, também em seus domínios, e Athletic Bilbao, esta sendo a gota d'água, foram essenciais para sua dispensa.

Agora, o Valencia vai em busca de um novo treinador. São poucos os bons nomes no mercado, principalmente por ser início de temporada. Porém, três nomes já são especulados para assumir o clube. O primeiro é Marcelino García Toral, demitido do comando do Villarreal pouco antes do início oficial da temporada. O segundo é Roberto Mancini, demitido da Internazionale e que está sem clube há algum tempo. O último é o português Andre Villas-Boas, comandante do Zenit, mas que tem seu nome ligado ao clube por conta de Jorge Mendes, empresário que tem moral no clube e que pode conseguir trazê-lo.