Barcelona é derrotado pelo Celta em jogo de sete gols e perde chance de assumir liderança da Liga

Galegos abrem 3 a 0 no primeiro tempo; Erro de Ter Stegen é decisivo na derrota por 4 a 3, que deixa time de Luis Enrique no quarto lugar do Espanhol

Barcelona é derrotado pelo Celta em jogo de sete gols e perde chance de assumir liderança da Liga
Foto: Divulgação/La Liga
Celta
4 3
Barcelona
Celta: Sergio; Hugo Mallo, Sergi Gómez, Cabral e Roncaglia; Radoja; Sisto, Wass (Jonny Castro), Pablo Hernández e Bongonda (Marcelo Díaz); Iago Aspas (Guidotti). Técnico: Eduardo Berizzo
Barcelona: Ter Stegen; Sergi Roberto, Piqué, Mathieu e Jordi Alba (Paco Alcácer); Busquets (Denis Suárez), André Gomes e Arda Turan; Rafinha (Iniesta), Suárez e Neymar. Técnico: Luis Enrique
Placar: 1-0, min. 22, Sisto. 2-0, min. 32, Iago Aspas. 3-0, min. 34, Mathieu (contra). 3-1, min. 57, Piqué. 3-2, min. 64, Neymar. 4-2, min. 77, Hernández. 4-3, min. 86, Piqué
ÁRBITRO: Iñaki Vicandi. Cartões amarelos: Hugo Mallo (CEL); Busquets, Piqué e Suárez (BAR)
INCIDENCIAS: Jogo válido pela 7ª rodada do Campeonato Espanhol 2016/17, no estádio Balaídos, em Vigo

Assim como na temporada passada, o Barcelona perdeu ao visitar o Celta de Vigo no estádio Balaídos. A derrota deste domingo (2) foi por 4 a 3, pela 7ª rodada do Campeonato Espanhol 2016/17. Na etapa inicial, os galegos abriram grande vantagem com gols de Sisto, Iago AspasMathieu (contra). Depois do intervalo, Piqué e Neymar (de pênalti) descontaram a favor da equipe treinada por Luis Enrique. Ainda deu tempo de Pablo Hernández fazer outro para os mandantes aproveitando grave erro de Ter Stegen e Piqué voltar a marcar dando números finais ao placar.

Com o resultado, o Barça fica na quarta colocação de La Liga, com 13 pontos, dois atrás dos líderes Real Madrid e Atlético. O próximo compromisso blaugrana é só após a Data Fifa, no dia 15, sábado, a partir das 11h15 de Brasília diante do Deportivo La Coruña no Camp Nou. Os comandados do argentino Eduardo Berizzo - único treinador a vencer Luis Enrique três vezes - agora somam dez pontos, na décima posição da competição, e voltam a jogar às 16h45 de domingo (16), contra o Villareal fora de casa.

Celta abre 3 a 0 em 11 minutos

Acostumado a rodar o elenco, Luis Enrique deixou no banco Mascherano, Rakitic e Iniesta. Sem o ainda lesionado Messi, o Barça se postou em um 4-4-2 com Rafinha, André Gomes, Busquets e Arda Turan alinhados, tudo para Neymar ter liberdade e atuar entre as linhas do Celta na faixa central. Com a bola rolando, logo no primeiro minuto Neymar sofreu falta de Hugo Mallo na meia-lua. O próprio brasileiro cobrou e acertou a barreira.

Aos 11 minutos, Suárez e Arda tabelaram com direito a devolução de cabeça do turco, mas o camisa 9 finalizou em cima do goleiro Sergio Álvarez. Os donos da casa chegaram pela primeira vez aos 19, em cruzamento de Bongonda pela esquerda, que Ter Stegen precisou espalmar. A partir daí, a equipe de Eduardo Berizzo avançou a marcação e passou a complicar a saída catalã fechando as opções de passe.

A pressão em campo rival surtiu o efeito desejado quando o cronômetro apontava 22 minutos. Acionado por Ter Stegen, Busquets vacilou e não dominou. Rapidamente, Iago Aspas recebeu de Radoja e já lançou Pione Sisto na área. Sozinho, o ugândes que veste a camisa da seleção dinamarquesa não titubeou e tirou do goleiro do Barcelona: 1 a 0. Logo na sequência, Aspas apareceu novamente. Ele dominou com espaço e finalizou forte, mas Stegen espalmou.

Diante de um Barça completamente perdido, os galegos aproveitaram para dilatar a vantagem de modo impressionante. Aos 32, Suárez tentou driblar Cabral e foi desarmado. O chutão para frente do zagueiro acabou nos pés de Iago Aspas, isolado contra Piqué e Busquets. O camisa 10 do Celta conduziu, puxou para a perna esquerda e arrematou rasteiro, cruzado, no canto: 2 a 0. A torcida mandante ainda comemorava quando Wass buscou passe para Aspas e Mathieu tocou contra: 3 a 0! De fora da área, Hugo Mallo quase ampliou, antes de Suárez girar na área e bater alto demais.

Comandado por Iniesta, Barça reage, mas vacilo de Ter Stegen sacramenta derrota

Para a etapa final, Luis Enrique trocou Rafinha por Iniesta e os culés voltaram ao 4-3-3, com Arda na função de Messi. Em falta sofrida por Neymar aos quatro minutos, Suárez teve chance de cobrar, porém carimbou a barreira. Diferentemente do primeiro tempo, o Barça passou a encurralar o Celta na defesa, mesmo que não criasse chances de gol. Até que, aos 12 minutos, após escanteio curto, Iniesta cruzou na direção do gol. Aproveitando terrível saída de Sergio Álvarez, Piqué se antecipou e desviou de cabeça: 3 a 1.

Momento do primeiro gol de Piqué (Foto: Miguel Ruiz/FCBarcelona)

O gol animou os visitantes. A entrada de Iniesta agregou maior controle na posse ao Barça, que contava com frequentes apoios de Sergi Roberto pela direita. Aos 16, em um desses avanços do canterano, Neymar só não marcou porque Roncaglia afastou na hora H. No minuto seguinte, Don Andrés achou enfiada espetacular para André Gomes na área. Em lance confuso, o português caiu e o árbitro assinalou pênalti. Com tranquilidade, Neymar deslocou o goleiro, bateu no canto direito e colocou fogo no jogo: 3 a 2.

O Celta só conseguiu fazer Ter Stegen trabalhar aos 21 minutos, quando Sisto chutou de perna direita. Se o lance que gerou pênalti em André Gomes foi polêmico, minutos depois Neymar caiu na pequena área após ter o braço puxado por Cabral, mas a partida seguiu normalmente. Depois de cortar a distância no marcador, o Barcelona não conseguiu sequer ameaçar novamente. Aos 30, Busquets deu lugar a Denis Suárez. Antes, Marcelo Díaz havia entrado na vaga de Bongonda no time de Eduardo Berizzo.

Aos 32 minutos, uma trapalhada absurda de Ter Stegen acabou com a reação blaugrana. O goleiro tentou dar uma cavadinha por cima de Pablo Hernández, que veio marcá-lo na área. A bola bateu no chileno, tocou na trave e morreu no fundo da rede: 4 a 2. Logo depois, Iago Aspas aproveitou erro de Mathieu e saiu totalmente livre na cara do alemão, mas concluiu mal. Aos 41, Denis Suárez foi ao fundo, cruzou e Piqué cabeceou para dar sobrevida ao Barça: 4 a 3. De cabeça, Neymar quase empatou após levantamento de Arda Turan. Já nos acréscimos, Piqué esteve muito perto de anotar um incrível hat-trick ao ver cabeçada raspar a trave de Sergio. Não dava mais tempo para nada: 4 a 3 e fim de jogo.