Justiça espanhola aceita denúncia contra Neymar e presidente do Barcelona

Juiz José de La Mata aceitou nessa segunda a denúncia contra o atacante do Barcelona, seus pais e o atual e ex-presidente do clube catalão

Justiça espanhola aceita denúncia contra Neymar e presidente do Barcelona
Foto: Aitor Alcalde/Getty Images

A semana começou agitada na Espanha. Nessa segunda-feira (7), o juiz José de La Mata acatou as denúncias feitas contra Neymar, seus pais, o presidente atual e ex do Barcelona, Josep Maria Bartomeu e Sandro Rosell, respectivamente, contra o clube espanhol e também contra o Santos.

Essa decisão ocorreu 1 mês e meio depois da Quarta Sala Penal da Audiência, ter pedido para José de La Mata reabrir o caso, após ter arquivado em julho. Agora os promotores tem até dez dias  para que solicitem a abertura do juizo oral formulando por escrito a acusação ou a descontinuidade do caso.

O juiz José De la Mata leva em conta o escrito de setembro da Quarta Sala e explica que o contrato assinado 2011, por Neymar no Santos, receberia 40 milhões de euros em futura negociação com o Barcelona, quando estivesse liberado pelo clube, teria alterado o livre mercado de inscrição de jogadores de futebol.

Segundo o juiz, o acordo ''impediu que o jogador entrasse no mercado conforme as regras da livre concorrência, de modo que se pudesse obter uma maior quantia econômica por essa transferência''

No processo também consta que ''Se o objetivo e finalidade deste contrato foi diretamente alterar o mercado de inscrições de jogadores de futebol, conforme considera (o colegiado de juízes da Quarta Sala) então é razoável pensar que os dois diretores que intervieram na sua assinatura (Rosell e Bartomeu, então presidente e vice-presidente, respectivamente) foram responsáveis por essa decisão, pela assinatura do contrato e conscientes dessa finalidade ilícita''.

Relembre o caso

Tudo gira por suposta fraude no preço do jogador, onde o  grupo DIS, gerente de 40% dos direitos do atleta, reclama de ser lesado. O Barcelona anunciou que a transferência do atacante brasileiro, realizada em maio de 2013, custou 57,1 milhões de euros, mas, depois de uma investigação da justiça espanhola, ficou esclarecido que a operação custou, pelo menos,  83,3 milhõs de euros.

O fundo de investimento brasileiro argumenta que lhe cabe uma parte da diferença entre o valor inicialmente declarado e o valor real que o Barcelona assumiu posteriormente, acusando os envolvidos no caso de fraude e corrupção.

Além do atacante do Barcelona, o DIS acusou mais nove pessoas de estarem envolvidas no processo, entre as quais o pai e a mãe do atleta, o atual presidente do BarcelonaJosep Maria Bartomeu, e o seu antecessor, Sandro Rosell.