Suíça e França se enfrentam em confronto direto por liderança do Grupo A da Eurocopa

Os anfitriões da Euro ocupam a primeira posição com seis pontos, a Suíça vem jogo atrás com quatro; cada seleção tem preocupações com jogadores pendurados

Suíça e França se enfrentam em confronto direto por liderança do Grupo A da Eurocopa
Fotomontagem: VAVEL
Suíça
França
Suíça: Sommer; Lichtsteiner, Schär, Djourou, Rodríguez; Behrami, Džemaili, Xhaka; Shaqiri, Seferović, Mehmedi.
França: Lloris; Sagna, Rami, Koscielny, Evra (Digne); Pogba, Cabaye, Matuidi (Sissoko); Griezmann, Gignac, Payet.
ÁRBITRO: Damir Skomina (ESLV). Assistentes: Jure Praprotnik (ESLV) e Robert Vukan (ESLV). Quarto árbitro: Marco Fritz (ALE). Linha de fundo: Matej Jug (ESLV) e Slavko Vinči (ESLV).
INCIDENCIAS: Partida válida pela terceira rodada da Eurocopa 2016. A ser realizada no Stade Pierre Mauroy, em Lille, às 16, horário de Brasília.

Na tarde deste domingo (19), a França enfrentará a Suíça, em jogo válido pela terceira e última rodada do Grupo A da Eurocopa 2016. O Stade Pierre-Mauroy, em Lille, será palco do encontro. Os franceses, já classificados para a próxima fase, terão pela frente uma seleção que busca a vitória para roubar a primeira posição do país-sede. A bola rola às 16h.

A França leva vantagem no histórico de confronto. Em 37 partidas disputadas entre essas seleções, os Bleus venceram 16 vezes, a Suíça ganhou em 12 oportunidades, além de nove empates. Apenas um jogo entre eles aconteceu em Euro. Foi em 2004, os franceses venceram por 3 a 1, pelo Grupo B. Zidane e Henry, duas vezes, marcaram para a França. Vonlanthen descontou.

Nesta Eurocopa, os dois melhores de casa grupo avançam para as oitavas de final. Os quatro melhores terceiros colocados – em seis grupos – também asseguram vaga no mata-mata. A França lidera seu grupo com seis pontos. A Suíça está em segundo com quatro pontos. A Romênia tem apenas um ponto e a Albânia nada. Se os suíços vencerem, classificam-se em primeiro. Os romenos necessitam vencer e torcer por uma derrota da Suíça e ainda tirar o saldo de gols. O primeiro critério de desempate é o confronto direto.

Suíça quer surpreender e pegar o primeiro lugar

A Suíça pensa grande e sabe que pode arriscar quase tudo. Mesmo perdendo para a França e contando com uma vitória da Romênia, os suíços teriam grandes chances de ficarem como um dos melhores terceiros colocados. Mas esse pensamento só pode ser levado em consideração em um momento desfavorável. A Seleção da Suíça quer garantir o primeiro lugar, ultrapassando os donos da casa. Para isso, terão que vencer. Um empate garante a segunda posição.

Vladimir Petković, técnico da Suíça, concedeu entrevista e disse: “Não estamos pensando muito na derrota que sofremos frente à França na Copa do Mundo de 2014, por 5 a 2. E certamente não estamos à procura de uma vingança. Preferimos focar-nos no presente, que é o que importa. Queremos mostrar à França que conseguimos jogar futebol tão bem quanto sua seleção.

Sobre a situação do grupo, o treinador da Suíça falou: “Também não acho que a França esteja 100% tranquila. Eles ainda podem perder o primeiro lugar para nós, e vamos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para conquistar a liderança frente ao favorito do Grupo A. Possivelmente até o favorito à vitória nesta Eurocopa 2016.

O técnico terá problemas, já que quatro jogadores estão pendurados: Behrami, Schär, Xhaka e Embolo. O provável é que Petković vá com o time completo para buscar a vitória contra a França.

O jogo será no Stade Pierre-Mauroy, moderno estádio do Lille. Granit Xhaka analisou: "Não creio que faça muita diferença o teto do estádio estar fechado ou não. Nenhuma equipa terá influenciar com isso. Claro que estou ansioso por defrontar os meus futuros colegas do Arsenal, Olivier Giroud e Laurent Koscielny, mas estou com a Suíça no Euro. Isso, neste momento, é mais importante que o Arsenal. Esta competição pode ter uma grande influência na minha carreira, principalmente se vencer a França, mas eles têm uma equipa incrivelmente forte. Vamos ver o que conseguimos fazer amanhã".

Foto: Franck Fife/AFP/Getty Images

Invencibilidade em jogos oficiais e desejo de ganhar o Grupo A

Os Bleus venceram suas duas partidas nesta Eurocopa com gols nos minutos finais. Contra a Romênia, Payet marcou aos 43 do segundo tempo. Contra a Albânia, Griezmann e novamente Payet anotaram tentos aos 44 e 51 da etapa final, respectivamente. Um ponto basta para a França assegurar o primeiro lugar no Grupo A, mas todo cuidado é pouco.

No último jogo, Deschamps colocou Griezmann e Pogba no banco. Ele armou um 4-2-3-1 com Martial e Coman pelos lados. Não deu certo e o comandante voltou ao 4-3-3 e venceu o jogo. O técnico fará mudanças para o jogo deste domingo. Giroud e Kanté estão pendurados e podem ser poupados. Outros jogadores mais veteranos poderão dar espaço a jovens. Digne, Sissoko, Gignac e Cabaye são cotados a começarem entre os 11 iniciais.

A França está invicta diante da Suíça em competições oficiais. Inclusive, venceram por 5 a 2 na Copa do Mundo de 2014 com grande atuação da dupla Benzema e Valbuena. O goleiro e capitão Lloris falou sobre esse fato: “Os anos passas, contexto e equipes mudam. Cada jogo tem sua própria história, embora a Suíça ainda um tenha um monte de jogadores hoje, que estavam na Copa do Mundo. Mas é outra competição, há o desafio. Vai ser um jogo divertido de jogar. É uma seleção que marca muito através da bola parada.

Didier Deschamps comentou sobre possíveis mudanças: “Poderia promover algum rodízio. Todos os meus jogadores estão disponíveis, mas há vários critérios em conta. Tenho que escolher uma equipe que nos garanta o primeiro lugar, visto que este é o objetivo. Poderíamos ter mais liberdade contra a Suíça, dado o estilo de jogo que eles têm. Jogar contra uma equipa ultradefensiva é muito difícil.

Dimitri Payet trabalhou muito e foi recompensado. Há alguns jogadores que fazem a diferença, mas acima do aspecto individual está a equipe, e o seu estado de espírito é crucial. O que está a acontecer ao Payet é muito bom e ele merece-o”, disse Deschamps sobre o artilheiro da França nesta Eurocopa com dois gols.

Foto: Franck Fife/AFP/Getty Images