Em virada eletrizante, Rennes vence Marseille e se aproxima do G-4 na Ligue 1

Stade Rennais está a apenas dois pontos dos quatro primeiros colocados; OM confirma má início na competição

Em virada eletrizante, Rennes vence Marseille e se aproxima do G-4 na Ligue 1
Foto: Damien Meyer / Getty Images
Rennes
3 2
Olympique de Marseille
Rennes: Costil; Danze, Mexer, Bensebaini, Baal; Henrique (Grosicki 62'), Fernandes (Erasmus 82'), André, Ntep (Hunou 74'); Gourcouff; Sio.
Olympique de Marseille: Pelé; Sakai (Anguissa 9'), Hubocan, Rekik, Bedimo; Vainqueur, Machach; Thauvin (Sarr 62'), Cabella, N'Jie (Lopez 75'); Gomis.
Placar: 1-0, min. 41, Sio. 1-1, min. 44, Gomis. 1-2, min. 50, Gomis. 2-2, min. 86, Grosicki. 3-2, min. 89, Hunou (pen).
ÁRBITRO: Ruddy Buquet. Amarelos: Fernandes 26', Machach 56', Machach 65', Cabella 90+3'. Vermelhos: Machach 65'
INCIDENCIAS: partida válida pela sexta rodada da ligue 1, disputado no roazhon park, em rennes, frança.

Até esta quarta-feira (21) o Rennes não havia tomado um gol sequer dentro de casa pela Ligue 1. Recebendo o Olympique de Marseille, porém, acabou sofrendo dois e chegou a estar perdendo, mas, após ficar com um a mais quando Machach foi expulso, conseguiu a virada em três minutos já nos 40 do segundo tempo. Grosicki, Hunou e Sio foram às redes pelos donos da casa pela sexta rodada da competição na vitória por 3 a 2 sobre o OM. Gomis, duas vezes, marcou para os visitantes. 

A vitória dá ao Stade Rennais a oitava posição com agora 10 pontos ganhos, enquanto que o OM fica com a 15ª posição com cinco pontos, confirmando o mau início de campeoanto em 2016/2017. Na próxima rodada, o Rennes viaja para enfrentar o Dijon, no próximo sábado (24), enquanto que o Marseille, no domingo (25), tem jogo marcado com o Nantes, no Vélodrome. 

Primeiro tempo começa morno, mas equipes colocam fogo no final com cada um marcando uma vez

Donos da casa, o Rennes começou com uma maior saída com a bola, tentando chegar ao gol de maneira mais rápida, porém logo se perdeu a disparidade e a igualdade apareceu na partida. O Marseille, em algumas oportunidades, conseguia partir em velocidade em um contra-ataque ou quando pegava a defesa desarrumada, mas não colocou alguma eficiência nas jogadas, impossibilitando de acontecer algo produtivo.

O Rennes foi quem chutou de maneira mais perigosa nos primeiros 25 minutos, em uma cobrança de falta, mas a bola acabou indo por cima da meta. Thauvin, pelo Olympique, acabou carregando lateralmente em frente à área, e acabou sofrendo a falta na entrada dela. Na cobrança, o próprio foi para a bola e fez o mesmo que o adversário minutos antes, mandando por cima da trave. 

Apesar da pouca movimentação e poucas chances criadas, o Rennes conseguiu abrir o placar em uma falha defensiva do Olympique de Marseille, quando o zagueiro tentou recuar a bola para o goleiro, mas acabou sendo fraca demais. Sio aproveitou a situação, e encobriu o arqueiro adversário, abrindo o placar aos 41 minutos. Thauvin, dois minutos depois, acabou sendo derrubado dentro da área, sendo marcada a penalidade máxima para o Marseille. Gomis tomou a responsabilidade e tirou estrategicamente do goleiro, empatando a partida e também fazendo o Rennes sofrer o primeiro gol em casa. 

Marseille vira, mas no fim Rennes consegue nova virada para vencer a partida

No começo do segundo tempo, Sio teve chance de desempatar a partida, batendo com força de bico na trave. Na sobra, a jogada continuou, mas sem eficiência, indo para fora. Aos quatro minutos da fase final, porém, Gomis não perdoou. Recebeu passe pelo meio e chutou de primeira na saída do goleiro, colocando no canto e virando o jogo para os visitantes.

Apesar dos visitantes terem conseguido tomar a frente do placar, o Rennes continuou jogando de maneira mais lenta, não conseguindo ter espaços suficientes para concretizar alguma jogada que pudesse resultar-se em gol. Após os 20 minutos, porém, o Marseille ficou com um a menos quando Machach recebeu o segundo cartão amarelo, o que poderia ser o fator resultante para o espaço aparecer no ataque dos donos da casa. 

O Rennes passou a tentar construir uma pressão mais para o final da partida, buscando conseguir o empate, visto também a superioridade numérica que havia conseguido com o tempo. Num intervalo de dois minutos, dois chutes foram feitos, sendo o segundo com Gourcuff que chutou com força de fora da área, obrigando uma defesa de Pelé. No minuto seguinte, o OM avançou em contra-ataque e um chute cruzado foi proferido, mas o arqueiro dos donos da casa fez a defesa. 

Com 40 minutos, o Rennes teve um pênalti em suas mãos para empatar a partida quando teve um atleta derrubado na área. Grosicki, que entrou no segundo tempo, pegou a bola e cobrou no seu canto esquerdo, empatando tudo novamente. A virada aconteceu dois minutos depois, após bastante insistência. Hunou apareceu na área sozinho para cabecear ao fundo da rede.