Argentina e Paraguai se enfrentam buscando recuperação nas Eliminatórias Sul-Americanas

Albiceleste vem de dois empates contra Venezuela e Peru; Guaranis perderam em casa para a Colômbia, na última rodada

Argentina e Paraguai se enfrentam buscando recuperação nas Eliminatórias Sul-Americanas
Foto: Getty Images
Argentina
Paraguai
Argentina: Romero, Mercado, Musacchio, Demichelis e Rojo; Mascherano, Banega e Gaitán; Di María, Higuaín e Agüero
Paraguai: Villar, Moreira, Gómez, Da Silva e Alonso; Rojas, Cristian Riveros (Marcos Riveros), Almiron e Óscar Romero; Derlis González e Ángel Romero

Depois de empatar duas partidas seguidas contra seleções mais fracas nas Eliminatórias Sul-Americanas, contra Venezuela e Peru, a Argentina volta a jogar em casa e tenta a recuperação diante do Paraguai – outra seleção que vem de dois tropeços. O jogo será no estádio Mario Alberto Kempes (Córdoba), às 20h30 desta terça-feira (11).

O histórico joga a favor dos donos da casa. Com praticamente o triplo de vitórias no confronto direto, a Argentina não perde para o Paraguai desde 2009, quando foi derrotada por 1 a 0. Em solo argentino, os paraguaios não vencem desde 1987. Independente do resultado, a albiceleste não será ultrapassada caso tropece nos guaranis já que a diferença entre as equipes é de quatro pontos.

Argentina: é preciso viver sem Messi

Apesar de não sair da zona dos cinco primeiros nesta rodada, Edgardo Bauza sabe que não pode tropeçar no Paraguai na partida desta terça-feira. Com quatro pontos a mais que o adversário da rodada, a vitória é vista como obrigatória depois do empate diante do Peru – para muitos, a pior apresentação das eliminatórias.

O goleiro Sergio Romero alertou sobre as dificuldades da partida diante dos paraguaios: “É uma partida muito difícil. Sabemos que é uma seleção muito aguerrida, que não se entra nunca, que joga com o coração. Estamos trabalhando duro para chegar da melhor maneira para a partida”, disse o goleiro em entrevista coletiva.

Bauza ainda tem dúvidas sobre a escalação inicial diante dos paraguaios. A defesa será praticamente toda alterada, com exceção do lateral-esquerdo Rojo. Marcado assume a lateral de Zabaleta, enquanto que os suspensos Funes Mori e Otamendi serão substituídos por Musacchio e Demichelis.

No ataque, novas dúvidas. O ex-treinador do São Paulo ainda busca a maneira ideal de fazer o poder de fogo albiceleste aumentar sua eficiência já que a média atual de pouco mais de um gol por jogo é considerada baixa perto dos nomes que possui o plantel argentino.

A Argentina seguirá sem Messi, uma ausência importante. Com ele em campo, a albiceleste tem 100% de aproveitamento. Sem ele, apenas uma vitória contra a Colômbia. Ao menos Bauza poderá contar com Agüero. O jogador garantiu estar recuperado das dores que limitaram seu rendimento na última partida: “Estou muito melhor e recuperado de dores. Jogo onde me colocarem. Temos de ganhar de qualquer jeito”.

Caso o atacante do Manchester City volte a sentir, Ángel Correa será seu substituto. Quem deve ganhar oportunidade é o meia Gaitán. Dybala, que não vem tendo boas apresentações, pode começar no banco de reservas. Higuaín foi confirmado no comando de ataque.

Desta forma, a provável Argentina terá: Romero, Mercado, Musacchio, Demichelis e Rojo; Mascherano, Banega e Gaitán; Di María, Higuaín e Agüero.

Paraguai: jogando como se fosse uma final

Sabendo que uma derrota deixa o sonho de participar do mundial da Rússia muito distante, os guaranis estão encarando a partida contra a Argentina como uma verdadeira final. Uma derrota pode deixar a seleção paraguaia sete pontos distante da zona de repescagem, uma diferença que seria muito difícil de recuperar.

O treinador paraguaio Francisco Arce tem apenas uma dúvida para o jogo desta terça-feira: Cristian Riveros. O meia ainda se recupera fisicamente e pode ser baixa para o duelo contra a albiceleste. Caso não jogue, seu substituto será Marcos Riveros.

A diferença na tabela é uma das maiores preocupações do elenco de jogadores para a partida. Um dos que sinalizaram preocupação com a partida ofensivamente foi o zagueiro Paulo da Silva: “Temos margem de erro zero. Nosso problema está nos momentos em que temos a bola, não quando não a temos”, alertou.

Arce, porém, não deve utilizar uma formação agressiva em Córdoba. O empate não é visto como ruim, apesar de não aproximar os paraguaios da zona de classificação para o mundial da Rússia. “Vamos buscar atacar e levar perigo, queremos ser equilibrados. Precisamos somar pontos para terminar o ano perto dos postos de classificação”, afirmou o comandante paraguaio.

O goleiro Villar retornará à meta guarani. Ao contrário do treinador, que pede equilíbrio, Villar pede um time mais ofensivo diante da Argentina: “Arce é um técnico inteligente. Temos que sair mais para o jogo do que geralmente fazemos quando jogamos fora de casa”, afirmou o goleiro.

O Paraguai deve jogar com: Villar, Moreira, Gómez, Da Silva e Alonso; Rojas,  Cristian Riveros (Marcos Riveros), Almiron e Óscar Romero; Derlis González e Ángel Romero.