Campeão pelo Leicester, Ranieri não descarta assumir Itália: "É outra coisa e eu gostaria muito"

Treinador também contou muitos detalhes sobre o título da Premier League em entrevista ao jornal italiano La Gazzetta dello Sport

Campeão pelo Leicester, Ranieri não descarta assumir Itália: "É outra coisa e eu gostaria muito"
Foto: Getty Images

O italiano Claudio Ranieri está no centro das atenções após ter vencido o título da riquíssima Premier League com o pequeno Leicester City, de investimento menor que a maior parte dos rivais e com jogadores pouco conhecidos até então. Em uma longa entrevista ao jornal Gazzetta dello Sport, Ranieri reconheceu que gostaria bastante de treinar a seleção da Itália e comentou sobre a conquista do Leicester, mostrando vários detalhes do título nacional.

"Eu admito que estava curioso sobre treinar uma seleção nacional, mas a minha experiência com a Grécia foi suficiente. Claro, com a Itália seria outra coisa. Que eu nunca vou descartar, e gostaria muito que acontecesse. E o Leicester, afinal de contas, tem uniforme azul como a Itália", disse Ranieri, que foi demitido da seleção grega depois de uma humilhante derrota em casa para as Ilhas Faroé e só passou alguns meses como comandante da equipe.

Depois, ele comentou o título do Leicester: "Eu entendi que nós poderíamos ganhar o título após a vitória fora de casa contra o Manchester City [apenas na 25ª rodada]. Isso só aconteceu de verdade, porém, quando nós perdemos fora de casa para o Arsenal [na 26ª rodada], nos acréscimos do 2º tempo e com um homem a menos. 'Com um espírito desse, algo pode realmente acontecer', lembro de ter dito ao meu assistente Paul Benetti", revelou Claudio Ranieri.

"Sobre a alimentação dos jogadores? Eles sempre pediam permissão antes de beber uma cerveja", falou. Questionado se o "efeito Leicester" poderia ocorrer na Serie A italiana, o treinador analisou: "Só se todos os grandes perderem continuidade, o que aconteceu na Premier League". "Para a próxima temporada? Só quero alguns jogadores no nível dos meus titulares e maior coordenação tática da equipe".

"Nós também monitoramos o mercado na Itália. Gianluca Lapadula [do Pescara, que está na segunda divisão italiana] é muito bom, temos seguido esse jogador", encerrou.