Kovacic diz ser torcedor da Internazionale, mas não descarta defender Juventus ou Milan

Sem espaço no Real Madrid, meia croata tem sido especulado nos três times italianos

Kovacic diz ser torcedor da Internazionale, mas não descarta defender Juventus ou Milan
Kovacic diz ser torcedor da Internazionale, mas não descarta defender Juventus ou Milan

Após uma temporada sem oportunidades no Real Madrid, o meio-campista Mateo Kovacic não deve permanecer no clube merengue para 2016/17. Segundo os veículos de comunicação da Itália, o jogador, de 22 anos, está na mira de três grandes clubes italianos: Internazionale, Juventus e Milan. Em entrevista ao canal SportMediaset, o croata admitiu ser torcedor da Inter, clube cujo defendeu antes de assinar com o Real Madrid, mas não descartou uma transferência para Juve ou Milan.

Sou interista, mas na vida nunca se sabe. Não posso excluir a possibilidade de, no futuro, jogar por Juventus ou Milan”, disse Kovacic, que rechaçou voltar à Inter enquanto Roberto Mancini estiver à frente do comando da equipe. “Certamente não voltarei à Inter se o treinador for Mancini, porque eu tive alguns problemas com ele e não vou falar”, afirmou.

Se preparando para a disputa da Eurocopa, na França, Kovacic está com o futuro indefinido. O jornal Tuttosport relata nesta segunda-feira (6) que diretores da Juventus irão se reunir com a diretoria do Real Madrid nos próximos dias para analisar a contratação por empréstimo, com opção de compra ao final do vínculo, do meio-campista. Segundo o periódico, o jogador estaria animado para trabalhar com Massimiliano Allegri, treinador da Juve.

O Milan, por sua vez, espera o presidente Silvio Berlusconi fechar a venda de 70% das ações do clube para um consórcio chinês para poder pensar em reforços. Em maio, o dirigente Adriano Galliani chegou a ir para a Espanha para discutir a contratação de Kovacic junto com o presidente dos merengues, Florentino Pérez.

Desde que chegou ao Real Madrid, em agosto de 2015, Kovacic não teve muitas chances sob o comando de Rafa Benítez e, posteriormente, Zinédine Zidane. A ascensão do brasileiro Casemiro, sobretudo no segundo semestre da temporada passada, também contribuiu para que o croata ficasse muitos jogos no banco de reservas.