Serie A 2016/17 - Internazionale: técnico novo e contratações pontuais para brigar lá em cima

Clube trocou Roberto Mancini por Frank de Boer e espera que contratações deem mais corpo ao time

Serie A 2016/17 - Internazionale: técnico novo e contratações pontuais para brigar lá em cima
De Boer: a missão é fazer a Inter voltar ao estrelato (Foto: Divulgação/Internazionale)

Após uma temporada fora das competições europeias, caindo nas semifinais da Copa Itália e terminando a Serie A na quarta colocação, a Internazionale está de volta à Uefa Europa League. Agora sob o comando de um grupo chinês, que em junho deste ano comprou quase 70% das ações do clube, os nerazzurri querem voltar a comemorar um título, o que não acontece desde 2010, quando venceram a Supercopa Italiana.

Dentre as contratações, é importante destacar os nomes de Éver Banega, ex-Sevilla, e Antonio Candreva, que trocou a Lazio por Milão. O argentino, atualmente com 28 anos, foi bicampeão da UEL, na Espanha, e desde 2008 vem sendo convocado para atuar pelo time principal da Seleção Argentina. Suas boas atuações chamaram a atenção de diversos clubes europeus, como o Milan, principal rival dos interistas. Já o italiano, de 29 anos, é bastante conhecido em seu país e foi especulado em outras equipes italianas nesta janela de transferências. Na última Eurocopa, disputada na França e vencida pelos portugueses, teve papel importante na equipe liderada por Antonio Conte.

Candreva é uma das principais contratações para a temporada (Foto: Divulgação/Internazionale)

Outros jogadores que certamente terão papéis importantes chegaram. O turco Caner Erkin, 27, terá pela frente a missão de substituir o brasileiro Alex Telles, que jogara emprestado na Itália. Ele disputa posição com Cristian Ansaldi, que jogou pelo Genoa no último Campeonato Italiano. O zagueiro Marco Andreolli retornou de empréstimo após passar a temporada anterior no Sevilla. João Mário, meia português do Sporting que se destacou na Eurocopa 2016, pode ser anunciado em breve no clube milanês.

A Inter também perdeu alguns jogadores. O lateral Alex Telles, 23, foi devolvido ao Galatasaray, da Turquia, e posteriormente vendido ao Porto. O croata Adem Ljajic, 24, então emprestado pela Roma, nesta temporada defenderá o Torino, também por empréstimo. 

Uma das grandes novidades do clube para a temporada é a troca no comando técnico da equipe. Roberto Mancini, tricampeão da Serie A pelos nerazzurri, teria ficado insatisfeito com a movimentação da Inter nesta janela de transferências e recusou uma proposta de renovação de contrato. Em comum acordo, partiu. Pouco depois, o nome do holandês Frank de Boer foi confirmado como novo treinador.

Foto: divulgação/Internazionale
De Boer em sua apresentação na Inter (Foto: Divulgação/Internazionale)

De Boer treinou o Ajax durante seis anos, onde conquistou três edições do Campeonato Holandês. Foi assistente técnico de Louis Van Gaal na Copa do Mundo de 2014, quando a Seleção Holandesa conquistou a terceira colocação do torneio. Enquanto esteve desempregado, chegou a ser cogitado como o novo treinador do Milan, que acabou fechando com Vincenzo Montella.

Mais encorpada que nos últimos anos, a Internazionale tem pela frente a missão de alcançar o entrosamento de seu elenco. Com reforços em todos os setores e agora com De Boer, precisará, primeiramente, largar na frente de Napoli e Roma, para, assim, ter a Juventus como principal concorrente. Seu meio de campo, pouco criativo nos últimos anos, poderá, agora, tornar-se um dos pontos altos da equipe, que também é bem servida no ataque. Para isso, Candreva e Banega terão papéis fundamentais.

A consolidação de Miranda de Jeisson Murillo, na zaga, poderá manter o sistema defensivo salvo, tendo em vista, também, mudanças na lateral esquerda. O atual capitão, Mauro Icardi, alvo do interesse do Napoli, tem a chance de firmar seu nome no Giuseppe Meazza; para tanto, precisa ganhar, de De Boer, a mesma confiança que tinha com Mancini.