Romagnoli exalta Chelsea, mas comemora oportunidade de seguir no Milan

Clube italiano recusou proposta dos inglês para assegurar jovem defensor

Romagnoli exalta Chelsea, mas comemora oportunidade de seguir no Milan
Romagnoli é o xerife da zaga do Milan (Foto: Getty Images)

Um dos destaques do Milan na temporada passada, Alessio Romagnoli entrou na pauta do Chelsea na última janela de transferências. O clube inglês, segundo rumores da Sky Sports Italia, teria oferecido € 40 milhões pelo zagueiro italiano, de 21 anos. A equipe italiana, porém, recusou a proposta.

Em entrevista à Gazzetta dello Sport durante um evento da marca americana Nike, em Milão, Romagnoli se mostrou feliz pelo Milan confiar em seu potencial e rejeitar a oferta dos blues.

O Chelsea é um dos melhores clubes do mundo e a oferta me deixou satisfeito. Mas o ‘não’ do Milan me deixou ainda mais prazeroso. Claro que estou orgulhoso, e agora eu tenho um motivo para dar ainda mais. Orgulho e estimulo: duas palavras-chave. Estou feliz por ter ficado. Espero permanecer [no Milan] o maior tempo possível, porque quero essa camisa e quero ganhar alguma coisa”, afirmou o defensor.

Romagnoli também ressaltou a importância de o Milan retornar às competições europeias. Sete vezes campeão da Uefa Champions League, o clube milanês vem acumulado maus resultados na Serie A e, consequentemente, ficando de fora da Europa. A ausência dos rossoneri longe dos torneios do Velho Continente incomoda Romagnoli.

Você não pode ver o Milan por três anos fora da Europa. É uma coisa que te deixa com raiva, assim como perder a Copa Itália [o Milan perdeu a final do torneio para a Juventus na temporada anterior]. O futebol, porém, é feito de ciclos e leva tempo para voltar ao topo. Não se volta a vencer de hoje para amanhã”, frisou.

Por fim, o camisa 13 do Milan listou seus principais atributos e destacou os pontos que precisa melhorar. “Felizmente, eu tenho só 21 anos e, assim, tenho muito tempo para crescer. Acredito que preciso melhorar minha concentração durante os 90 minutos, e a marcação deve ser mais próxima ao adversário. Os pontos fortes são a intuição tática e a frieza característica”, avaliou.