Balotelli critica ex-clubes, cita 'confusões' no Milan e fala sobre 'repúdio do povo italiano'

Jogador afirmou que, caso a saída do dirigente Galliani aconteça, sua opinião sobre o ambiente do clube rossonero seria confirmada

Balotelli critica ex-clubes, cita 'confusões' no Milan e fala sobre 'repúdio do povo italiano'
Balotelli tenta levantar sua carreira na França (Foto: Valery Hache/AFP/Getty Images)

Da promessa à decepção: a carreira de Mario Balotelli, 26, é atravessada por altos e baixos desde a época em que vestira a camisa da Internazionale, clube em que despontou para o futebol mundial. Atualmente no Nice, da França, o atacante vem reencontrando seu futebol, marcando gols e sendo novamente especulado na seleção nacional.

Destaque do Nice, Balotelli soma mais gols que os atacantes convocados à Seleção Italiana

Em entrevista recente, o atacante tentou justificar a passagem pelo Liverpool e a segunda pelo Milan, fracassadas, afirmando que ambos os clubes não possuíam ambiente para si. Mario chegou em Milão em janeiro 2014, em negociação junto ao Manchester City, e se tornou um dos principais jogadores do elenco. Em agosto do ano seguinte, porém, foi negociado com Reds, mas decepcionou, voltando ao clube italiano, por empréstimo, um ano depois.

"Eu não fiz nada de errado do ponto de vista comportamental. Lesões estão fora de controle dos jogadores e não dependem de nós", disse o atleta, que também aproveitou para cutucar o Milan, onde jogou parte da Serie A 2015/16: "Eu encontrei muitas confusões no Milan, a única certeza era e é Galliani [CEO da agremiação italiana]". E completou, quando questionado sobre a possível saída do diretor rossonero: "Isso confirmaria a confusão atual no Milan".

O Diavolo atualmente ocupa a sexta colocação do Campeonato Italiano, com 13 pontos, e está sob o comando de Vincenzo Montella. O clube também vive um momento de transição, haja vista estar em execução a venda de 99,93% de suas ações a um grupo chinês. A partir de 2017, com a abertura da próxima janela de transferências, já deverá contar com fundos dos novos donos.

Problemas na Azurra 

Em outro momento da entrevista, Balotelli revelou ter uma mágoa com o Cesare Prandelli, ex-treinador da Seleção Italiana, com quem trabalhou na Copa do Mundo de 2014: "Eu ainda estou com raiva de Prandelli por ter me substituído contra o Uruguai na Copa do Mundo". Nessa partida, os sulamericanos venceram por 1 a 0, classificaram-se para as oitavas de finais e eliminaram os europeus. 

Depois do episódio, a carreira de Mario chegou ao seu pior momento, e as críticas a ele não foram poucas. "É impossível ganhar os corações do povo italiano. Eu não seria capaz disso, mesmo se eu ganhasse a Copa do Mundo e campeonato europeu", lamentou.