Ex-Chapecoense, lateral Rômulo lamenta tragédia: "Conhecia muitos dos que estavam a bordo"

Atualmente no futebol italiano, Rômulo ficou abatido pelo acidente aéreo de seu ex-clube, lamentando a morte dos ex-companheiros de equipe

Ex-Chapecoense, lateral Rômulo lamenta tragédia: "Conhecia muitos dos que estavam a bordo"
Foto: Dino PanatoGetty Images

O mundo está de luto devido ao acidente que tirou a vida 71 tripulantes presentes no voo que transportava a delegação da Chapecoense à cidade de Medellín, na Colômbia, para a jogar a final da Copa Sul-Americana 2016. Assim como muitos jogadores e clubes de futebol, as equipes italianas não ficaram para atrás e prestaram diversas mensagens de apoio ao Verdão do Oeste.

Ex-atleta do time alviverde, o lateral-direito Rômulo, hoje defendendo o Hellas Verona, da Itália, se manifestou em suas redes sociais, onde lamentou o acidente.  Rômulo atuou na Chapecoense por dois anos (2008 e 2009) e conheceu diversos jogadores que estavam no avião que se acidentou na Colômbia.

"É uma extraordinária tragédia. Lembro-me muito bem de quando eu joguei lá e com muitos desses rapazes que venceu a final do campeonato Catarinense", recordou.

O lateral ainda comentou sobre Neném, Cláudio Winck e Nivaldo, que fazem parte do elenco da Chapecoense, mas não foram convocados para a partida contra o Atlético Nacional.

"Eu conheço Neném, Nivaldo e Winck, eles só foram salvos porque não foram chamados. Joguei na Chapecoense em 2009, então eu conhecia muitos dos que estavam a bordo do avião, e não apenas jogadores, mas também diretores e jornalistas", lamentou.

Rômulo ainda falou que seu agente ligou ao pai de Cláudio Winck, que também atuou no Hellas Verona, quando soube do acidente. "Meu agente falou com o pai de Winck e ele disse que Claudio está ok, mas muito triste e abalado por seus companheiros de equipe e as famílias das vítimas", comentou.

No futebol italiano desde 2011, Rômulo comparou o atual clube com a Chapecoense: "Chapecoense joga a Série A Brasileira e isso me faz lembrar do Hellas Verona. Mesmo menores em termos de história e prestígio, eles são bem organizados e têm fantásticos fãs, que estão sempre muito próximos" relacionou o atleta, que em seguida concluiu: "Eles entraram para a história do futebol brasileiro, porque eles ganharam seu lugar em uma final muito importante, apesar de não estarem entre os mais importantes clubes brasileiro".

Aos 29 anos, o gaúcho Rômulo iniciou sua carreira no Juventude, se transferiu ao Metropolitano de Blumenau e, em 2008, foi contratado pela Chapecoense, clube pelo qual se destacou. Após defender Santo André, Cruzeiro e Atlético-PR, chegou ao futebol italiano em 2011 para vestir as cores da Fiorentina, passando, posteriormente, por Juventus em um rápido empréstimo e se consolidando na equipe do Hellas Verona.