Com estrelas do Leicester, Bola de Ouro conta com sete nomes da Premier League

Jamie Vardy e Riyad Mahrez representam os Foxes, campeões inglês após mais de um século; Paul Pogba e Zlatan Ibrahimovic fazem a lista, mas por atuações em clubes anteriores

Com estrelas do Leicester, Bola de Ouro conta com sete nomes da Premier League
Vardy e Mahrez, protagonistas do Leicester na campanha que culminou no título da Premier League (Foto: Getty Images)

Uma das maiores premiações do futebol mundial teve seus 30 indicados à Bola de Ouro da France Football, o prêmio de melhor jogador do ano e, no ano de 2016, o campeonato de maior entretenimento do mundo, a Premier League, tem sete representantes, sendo dois deles do time que surpreendeu o mundo, o Leicester – Jamie Vardy e Riyad Mahrez. Além dos dois Foxes, Zlatan Ibrahimovic, Paul Pogba, Hugo Lloris, Kevin De Bruyne e Sérgio Agüero completam a listagem.

Faces do sólido e consistente Leicester na temporada passada, Vardy e Mahrez eram parte de um 'tridente' formado junto à outra peça fundamental na campanha do time: Kanté. Era cotidiano pelos campos que o clube jogava a seguinte sequência: roubada de bola do francês que toca para Mahrez, que arma a jogada e lança Vardy que finalizava a jogada. A vice-artilharia e o recorde quebrado no começo da temporada de maior sequência de jogos fazendo gols de Jamie e o prêmio de melhor jogador do campeonato para o argelino, a incrível evolução técnica e eficiente de ambos, aliados ao título inédito, certamente pesaram para suas escolhas entre os 30 nomes. 

Foto: Chris Brunskill/Getty Images
Foto: Chris Brunskill/Getty Images

Antes de subir no mapa da terra da rainha para falar dos indicados de Manchester, é necessário descer um pouco, mais precisamente para Londres. Lá, o goleiro francês Lloris será o representante do Tottenham, que apresentou um belo futebol na temporada passada sob o comando de Mauricio Pochettino. Em um meio de campo contendo as revelações Dier e Alli, além do consagrado Eriksen e um ataque com Harry Kane, foi a defesa um dos pontos essenciais para a campanha dos Spurs rumo à luta ao título.

Alderweireld e Vertonghen transmitiam a segurança necessária para Lloris trabalhar. E trabalhar bem. Em uma de suas melhores temporadas no norte da capital, ele, junto à defesa, conseguiu 13 clean sheets (jogos sem levar gols), além de ser o terceiro nome de minutos por gol cedidos (um gol a cada 98 minutos), o que lhe rendeu a nomeação, sobretudo.

Foto: Catherine Ivill - AMA/Getty Images
Foto: Catherine Ivill - AMA/Getty Images

Agora sim subimos para o noroeste inglês, em Manchester, lar do maior número de representantes, quatro. A começar pelos atletas do City, pode-se lembrar do retrospecto recente de boas atuações de Agüero, que em suas temporadas com a camisa azul de Manchester sempre apresentou futebol de alto nível, apesar das inúmeras lesões. Na época 2015/16, o argentino foi às redes 29 vezes, sendo 24 na PL, e ajudou o time a chegar à quarta posição após anos de altos e baixos com o então técnico Manuel Pellegrini.

De Bruyne, por sua vez, foi outro que se destacou no clube. O belga chegou no verão europeu de 2015 e ignorou a adaptação necessária na transição de uma liga para outra – apesar de ter jogado anteriormente no Chelsea, mesmo que pouco. Liderou o time em uma arrancada que rendeu um aproveitamento de 100% nas primeiras cinco partidas. Uma lesão sofrida coincidiu com uma queda de rendimento dos Citizens, mas, em 2016, as suas boas atuações foram também fundamentais na campanha do clube até o inédito terceiro lugar na Champions League.

Foto: Jan Kruger/Getty Images
Foto: Jan Kruger/Getty Images

Por fim, os jogadores do United. As presenças de Ibrahimovic e Pogba, porém, são contabilizadas por suas performances em seus antigos clubes, Paris Saint-Germain e Juventus, respectivamente.

No primeiro semestre deste ano, atuando na França, Zlatan Ibrahimovic levou o PSG aos títulos da Ligue 1, Copa da França e Copa da Liga Francesa. O jogador foi fundamental nas conquistas e acabou eleito o melhor jogador pelo terceiro ano seguido na premiação da UNFP (União Nacional de Jogadores Profissionais da França). Na temporada 2015/16 do Campeonato Francês, o sueco anotou 38 gols. Grandes atuações do atacante facilitaram a manutenção do domínio nacional do PSG.

Foto: Matthew Ashton - AMA/Getty Images
Foto: Matthew Ashton - AMA/Getty Images

Pogba, por outro lado, teve um começo de temporada um pouco turbulento na Juventus. Pegou a 10 que era do Tévez, e acabou não indo tão bem no início, o que rendeu críticas da imprensa. Porém, já no final de 2015, ele conseguiu assumiu o protagonismo e entrou em 2016 em altíssimo nível, sendo fundamental para o título da Serie A da Velha Senhora. A presença na campanha da França ao vice-campeonato europeu teve também peso em um conjunto de qualidades e atuações que lhe tornaram o jogador mais caro da história do futebol.

Certamente os sete nomes que representam a Premier League estão seguros na lista, além de ser justo conforme suas atuações de maneira completa na temporada passada, fator determinante para a análise do ano dos atletas. Kanté, Kane e Özil poderiam estar presentes na lista final que não seria nada injusto, mas mesmo assim a PL está bem representada. 

*Colaboraram com o texto os coordenadores das editorias francesa e italiana da VAVEL Brasil, Junior Ribeiro e Charley Moreira, respectivamente.