Oeste 2016: expectativa de escapar das campanhas ruins dos anos anteriores

Equipe de Itápolis está na segunda divisão nacional desde 2013 e almeja o acesso a elite do futebol brasileiro

Oeste 2016: expectativa de escapar das campanhas ruins dos anos anteriores
Oeste quer sonhar mais alto na série B

Oeste vem para a sua quarta temporada seguida na Série B do Campeonato Brasileiro. Fundado em 1921 sonha em se classificar e disputar pela primeira vez na história a primeira divisão nacional, e para isso terá que superar as campanhas medianas dos anos anteriores.  Depois de uma campanha ruim no campeonato Paulista, o Oeste acabou somando apenas 13 pontos e foi rebaixado para a série A-2 do campeonato. Em 15 jogos a equipe teve apenas 28.9% de aproveitamento.

Para a Série B a diretoria foi as compras e trouxe um pacotão de reforços. Destaque para os meias Clébson, que fez grande paulista pelo São Bento, e para Francisco Alex, ex-promessa do São Paulo. O vice de futebol do Oeste, Mauro Guerra, ainda prometeu mais reforços para o nacional:

"O Oeste tem mais duas semanas de preparação. As principais contratações ainda não estão agrupadas. No domingo, chegam os jogadores contratados. Clebson, do São bento, Wagner, do São José, e Jô. Leo Artur, atacante do Mogi Mirim, além de Gabriel Dias, do Palmeiras. Estamos procurando atletas para as duas laterais, e um camisa 9, já que Ricardo Bueno está se recuperando de lesão" disse o vice do Rubrão.

O time de Itápolis também terá um novo treinador na série B. o Contratado foi Renan Fonseca, que terá a missão de por ordem na casa após o rebaixamento no paulista. O novo treinador chega ao Estádio dos Amaros amparado por um passado de sucesso – em suas duas passagens anteriores por Itápolis conquistou acessos à elite estadual, em 2003 e 2008.

– É realmente uma situação chata, mas temos de virar a chave e apagar a imagem do descenso, porque não dá pra voltar atrás – disse o técnico logo após sua primeira conversa com o grupo remanescente do Paulistão, de 15 atletas. 

O Oeste tem em sua galeria de títulos duas conquistas marcantes: o título do brasileiro da série C em 2012 e o título de campeão paulista do interior em 2011.

A denominação "Oeste Futebol Clube", foi sugerida por Victor Lapenta com uma curiosidade. Ele e seu irmão, vindos do Rio de Janeiro torciam para o Flamengo e Fluminense, respectivamente. Então para definir o nome e as cores do clube fizeram uma aposta com o futebol amador de Itápolis em um jogo contra a Nova Europa. Se o clube de itapolitano ganhar se chamaria Flamengo, se perder seria Fluminense. O jogo terminou por 3 x 0 para Itápolis, mas os dois fizeram um acordo e resolveram homenagear a região Centro-Oeste ao qual fica a cidade de Itápolis, mas Victor Lapenta não abriu mão de usar as cores e o Escudo do Flamengo do Rio.

Foto: Sérgio Pais

O Rubrão, apelido da equipe, enfrenta problemas quanto a sua casa. o seu estádio é o Estádio Municipal dos Amaros, que suporta apenas 10 mil torcedores. Alguns jogos de grande público foram realizados pela equipe na Arena da Fonte e Estádio Prudentão. Jogou a temporada de 2015 no Estádio José Liberati, em Osasco, pois seu estádio em Itápolis passou por uma longa reforma e foi só foi liberado novamente para a temporada de 2016.

'' O Oeste Vê com muita preocupação a chance de não jogar em Itápolis. Se isso não acontecer, vai ficar difícil. Jogar 38 jogos fora de casa, foi quase um milagre ficar na divisão. Gastamos mais de um milhão para reformar o estádio, dai pesou no time para o Paulistão. Tivemos que investir no estádio, que é da prefeitura, e fez falta. Mas já foi temos que pensar no futuro" comentou o vice de futebol, Mauro Guerra.

O estréia do Oeste no campeonato brasileiro da série B será no dia 14 de maio, contra o Atlético-GO, no Estádio dos Amaros, em Itápolis.