Brasil de Pelotas empata com Luverdense e perde chance de encostar na ponta da Série B

Xavante saiu na frente e permitiu empate do Verdão, que também está na parte alta da tabela

Brasil de Pelotas empata com Luverdense e perde chance de encostar na ponta da Série B
Foto: Bruno de la Rocha/ Especial VAVEL Brasil
Brasil
1 1
Luverdense
Brasil: Eduardo Martini; Wender, Cirilo (Teco, 27/2ºT), Leandro Camilo e Marlon; Leandro Leite, Washington, Felipe Garcia, Diogo Oliveira e Ramon (Gustavo Papa, 36/2ºT); Marcos Paraná (Nathan, 20/2ºT). Técnico: Rogério Zimmermann
Luverdense: Gabriel Leite; Raul Prata, Luiz Otávio, Everton e Paulinho; Kazu; Sérgio Mota (Erik, 22/2ºT), Jean Patrick, Ricardo (Da Matta, intervalo) e Régis; Hugo. Técnico: Júnior Rocha
Placar: 1-0, 10/1ºT, Ramon. 1-1, 5/2ºT, Jean Patrick
ÁRBITRO: Devarly Lira do Rosario (ES), auxiliado por Ramires Santos Cândido (ES) e Leonardo Mendonça (ES). Cartões amarelos: Cirilo (BRA); Paulinho e Kazu (LUV)
INCIDENCIAS: Jogo válido pela 6ª rodada da Série B do Brasileirão 2016, no Bento Freitas em Pelotas

Na noite desta sexta-feira (3), Brasil de Pelotas e Luverdense protagonizaram um belo jogo no estádio Bento Freitas, em Pelotas, pela sexta rodada da Série B do Brasileirão. O placar de 1 a 1 foi construído com gols de Ramon a favor do Xavante e Jean Patrick para os visitantes.

Com o resultado, o Rubro-Negro dorme na quarta colocação, com 11 pontos. Três posições abaixo, o Verdão de Lucas do Rio Verde-MT somou até agora nove pontos. Na próxima rodada, os pelotenses, que pela primeira vez não venceram em casa na competição, visitam o Criciúma. Enquanto isso, os matogrossenses recebem o Vila Nova. Os dois confrontos estão marcados para a terça (7).

O árbitro Devarly Lisa do Rosario só conseguiu permitir o pontapé inicial do duelo após um ''invasor'' deixar o campo. Durante a execução do hino nacional, um cachorro entrou no gramado e foi retirado somente por um gandula.

Foto: Bruno de la Rocha/Especial VAVEL Brasil

Etapa inicial termina com vantagem xavante

A escalação dos donos da casa não apresentou nenhuma novidade. Do outro lado, o técnico Júnior Rocha, do Luverdense, escalou o garoto Kazu, de 16 anos, na vaga do lesionado Muralha. No entanto, o esquema tático alviverde foi mantido: 4-1-4-1 com muita velocidade pelas pontas e aproximações na faixa central.

Postado no 4-2-3-1 habitual, o Brasil abriu o placar logo aos dez minutos. Felipe Garcia recebeu de Leandro Leite e avançou pela direita. O camisa 7 cruzou e encontrou Ramon, que não deixou a redonda cair e mandou uma pancada de perna esquerda por baixo de Gabriel Leite: 1 a 0.

Ramon comemora o gol marcado com Marcos Paraná (Foto: Bruno de la Rocha/Especial VAVEL Brasil)

Depois do gol, o Verdão procurou atacar mais, mas precisava se preocupar com os contragolpes do adversário. Em um deles, Felipe Garcia dominou na área e teve o chute bloqueado por Everton. Aos 25, a arbitragem errou e prejudicou o time da casa. Diogo Oliveira finalizou e Garcia desviou para as redes, mas o auxiliar marcou impedimento do artilheiro xavante na Série B. Erro.

Nos cinco minutos derradeiros da primeira metade, o Luverdense ameaçou, dando mostras do que aconteceria no princípio da etapa final. Primeiro, Régis cruzou rasteiro e Hugo dividiu com Cirilo na marca do pênalti. Na sobra, Eduardo Martini pegou. Em seguida, o goleiro vermelho e preto foi novamente exigido, mas precisou de muito mais habilidade para realizar milagre em cabeçada de Régis. Desta forma, o  1 a 0 se manteve.

Luverdense iguala e empate permanece até o fim

Na volta dos vestiário, o Alviverde apareceu com uma modificação. Júnior Rocha trocou Ricardo por Da Matta, mantendo o esquema. Logo de cara, a equipe de Lucas do Rio Verde pressionou e conquistou o fundamental tento de empate. Aos cinco minutos, Régis recebeu na área e ajeitou para infiltração de Jean Patrick. O camisa 5 entrou sozinho, dominou e tirou de Martini: 1 a 1.

A reposta dos mandantes surgiu através de Diogo Oliveira. Extremamente participativo no jogo, o camisa 10 foi acionado por Wender na intermediária e arriscou de fora, de canhota. Ágil, Gabriel Leite caiu e espalmou. O Rubro-Negro parecia não ter sentido o gol sofrido e encurralou o rival, tendo oportunidades em batidas de Marcos Paraná e com desvio contra de Luiz Otávio.

Foto: Bruno de la Rocha/Especial VAVEL Brasil

Na marca dos 20 minutos, mais mudanças. No Brasil, Rogério Zimmermann sacou Marcos Paraná dando espaço a Nathan. Do lado oposto, Júnior Rocha mandou Erik a campo na vaga de Sérgio Mota. Logo na primeira participação, o novato do Luverdense desarmou Marlon e cruzou muito alto para Hugo. No lance, inclusive, o zagueiro Cirilo se machucou e acabou substituído por Teco.

Buscando o quarto triunfo consecutivo em casa, o Xavante partiu para o abafa. Já com o centroavante Gustavo Papa atuando no lugar de Ramon, os gaúchos estiveram perto de desempatar o embate mais de uma vez. O goleiro Gabriel Leite teve papel vital em disputa com Papa e depois em pancada de Nathan, na qual teve que voar para evitar o tento.

Apesar dos quatro minutos de acréscimo, nenhuma das equipes conseguiu tramar bons lances ofensivos na reta final de partida. Os ânimos mais acirrados também contribuíram para o cenário. Assim, Devarly do Rosario finalizou o duelo em 1 a 1.