Empatados na tabela, Goiás e Vila Nova disputam clássico no Serra Dourada

Tigre sofre com os desfalques para a partida; Esmeraldinos tentam a primeira vitória em clássicos no ano

Empatados na tabela, Goiás e Vila Nova disputam clássico no Serra Dourada
Foto: Divulgação/Goiás E.C
Goiás
Vila Nova
Goiás: Márcio; Sueliton, Felipe Macedo, Alex Alves e Juninho; Adriano, Patrick, Léo Sena e Léo Lima; Rossi e Léo Gamalho. Técnico: Gilson Kleina.
Vila Nova: Wagner Bueno; Jefferson Feijão, Gustavo Geladeira, Reniê e Wellington Simião; Caíque, Geovane, Fagner e Fabinho; Joãozinho e Moisés. Técnico: Guilherme Alves.
INCIDENCIAS: Jogo válido pela 31ª rodada da Série B de 2016.

Neste sábado (15), às 16h, Goiás e Vila Nova irão se enfrentar no Serra Dourada em jogo válido pela 31ª rodada da Série B. Ambos os times estão com 40 pontos (embora o alvirrubro tenha um jogo a menos do que o rival alviverde), oito atrás dos primeiros colocados. O Derby do Cerrado deve dar um fôlego extra ao seu vencedor para a reta final da competição.

O retrospecto é bastante favorável ao Goiás. Com praticamente o dobro de vitórias do que o rival, uma das maiores diferenças considerando as rivalidades brasileiras, o Esmeraldino ainda vem de ótima sequência recente: foram doze vitórias nas últimas 21 partidas contra apenas duas dos alvirrubros. No último confronto, válido pelo primeiro turno desta série B, deu empate em 1 a 1.

Walter retorna, mas deve começar no banco

Com a sexta melhor campanha do returno, o Esmeraldino já não tem a mesma preocupação com a zona de rebaixamento. Já são dez pontos de vantagem para o Bragantino (que tem um jogo a mais). Com isso, o foco para o time de Gilson Kleina é vencer o rival e tentar uma arrancada rumo ao acesso.

A principal novidade é o retorno confirmado do atacante Walter. Após ficar um mês fora em função de uma lesão no joelho, ele está relacionado para a partida, mas deve começar no banco de reservas. O ataque inicial deve ser formado por Léo Gamalho e Rossi. Os dois não esconderam a motivação para o clássico deste sábado.

Motivação maior do que jogar um clássico não existe. Todo jogador gosta de jogar clássico. Os torcedores do Vila entram na minha rede social só para me xingar, então isso me anima ainda mais para estar em campo. Estou louco para jogar e para sair com a vitória”, afirmou Rossi.

Léo Gamalho também não escondeu a expectativa para o Derby do Cerrado: “A expectativa é muito boa. Poder jogar um clássico em uma grande equipe é muito bom. Estamos com o pensamento de vencer, a gente treinou bem. Vai ser meu primeiro clássico aqui, espero ajudar meu time a vencer”, afirmou o atacante Esmeraldino.

Os desfalques do rival não foram muito comemorados oficialmente pelos jogadores e pela comissão técnica do Goiás. Gilson Kleina chegou a fechar o treinamento para preparar a equipe melhor. “É o primeiro treino que a gente fecha aqui no Goiás. Foi por uma situação de jogo. A gente sabe da grandeza que é um clássico contra o Vila Nova. Foi uma situação para ter uma privacidade e um posicionamento na bola parada”, explicou o comandante.

Entre os jogadores, o discurso é  de muito respeito pelo rival e da dificuldade que enfrentarão em campo. O Goiás ainda não venceu um clássico neste série B, fator que foi destacado pelo volante Patrick: “É uma questão de honra. Ainda não vencemos clássico neste campeonato. É um jogo que não dá para perder. Será um jogo de seis pontos”, afirmou.

Gilson Kleina também tem o retorno de Felipe Macedo para o clássico. O zagueiro cumpriu suspensão na última partida contra o Bragantino. Sem grandes desfalques, o Goiás deverá ser escalado com: Márcio; Sueliton, Felipe Macedo, Alex Alves e Juninho; Adriano, Patrick, Léo Sena e Léo Lima; Rossi e Léo Gamalho.

Desfalques desafiam escrita do treinador Guilherme Alves

O Vila Nova chega em ambiente tumultuado para o Derby. Não bastassem os diversos desfalques para a partida, o clima político do clube segue agitado em função do pedido de renúncia do presidente do clube Gutemberg Veronez no começo da semana. Seu vice-presidente, Ecival Martins, evitou qualquer polêmcia sobre o tema.

Nós vamos continuar com o pessoal que já está aqui trabalhando em todos os setores. Entendemos que a equipe e a parte administrativa estão indo bem. Cheguei agora e estou tomando pé da situação, mas todos estão satisfeitos com o trabalho. Não há por que mudar”, afirmou o novo mandatário.

Dentro de campo, a situação do técnico Guilherme Alves não é muito mais tranquila. Apesar de não estar ameaçado no cargo, ele terá muitas baixas para o clássico. Serão cinco atletas suspensos para o jogo contra o grande rival: o goleiro Saulo, os zagueiros Guilherme Teixeira, Vinícius Simon e Reginaldo, o lateral Maguinho e o volante Victor Bolt.

Sem metade do time à disposição, Guilherme não teve como escapar do tema nas perguntas durante a semana. “Nós vamos substituir seis atletas, é mais da metade do time. Não são um ou dois desfalques. É muita coisa, principalmente na zaga. O pior nesse caso não é nem quem entra, mas vamos perder duas coisas fundamentais: o conjunto e o ritmo de jogo”, afirmou.

O Tigre teve ainda uma baixa de última hora. Moisés apareceu com febre ao longo da semana e ainda é dúvida para o clássico.O treinador, porém, confia no elenco que tem e também em uma escrita pessoal: ele jamais perdeu duas partidas seguidas na carreira. Com o revés para o Criciúma na última partida, uma nova derrota no Derby pode derrubar esta marca.

Os jogadores substitutos mostraram bastante empolgação para a partida. Substituo de Saulo, Wagner Bruno reforçou a importância do clássico. “Agradeço por mais uma vez defender as cores do Vila Nova no maior clássico do Centro-Oeste. Eu que sou daqui de Goiânia sei o que é um clássico Goiás x Vila. Estou conversando com os jogadores que ainda não jogaram e passo tranquilidade”, disse o goleiro.

Mesmo com muitos desfalques, Guilherme não tem muitas dúvidas para a sua escalação inicial. A única é em relação ao atacante Moisés: caso não possa jogar, o treinador ainda não definiu se jogará com dois atacantes ou reforçará o meio-campo.

O provável Vila Nova terá:  Wagner Bueno; Jefferson Feijão, Gustavo Geladeira, Reniê e Wellington Simião; Caíque, Geovane, Fagner e Fabinho; Joãozinho e Moisés.