Cercado de mistérios, Atlético-MG e São Paulo decidem vaga na Libertadores

Com a vantagem do empate, Tricolo enfrentará um Galo que precisa vencer por, no mínimo, dois gols de diferença

Cercado de mistérios, Atlético-MG e São Paulo decidem vaga na Libertadores
Foto: Rubens Chiri/São Paulo
Atlético-MG
São Paulo
Atlético-MG: Victor; Marcos Rocha, Léo Silva, Erazo e Douglas Santos; Leandro Donizete, Eduardo (Lucas Cândido) e Cazares; Patric, Clayton (Carlos ou Robinho) e Lucas Pratto. Técnico: Diego Aguirre
São Paulo: Denis; Bruno, Maicon, Rodrigo Caio e Mena; Hudson, Thiago Mendes; Kelvin, Paulo Henrique Ganso e Michel Bastos; Calleri. Técnico: Edgardo Bauza
ÁRBITRO: Andrés Cunha (URU). Auxiliares: Carlos Pastorino (URU) e Horácio Ferrera (URU).
INCIDENCIAS: Segunda partida das quartas de final da Copa Libertadores da América 2016. Partida será disputada no Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG), às 21h45.

Nesta quarta-feira (18) iremos conhecer o primeiro semifinalista da Copa Libertadores da América. Atlético-MG e São Paulo se enfrentam pela segunda partida das quartas de final do torneio sul-americano, no Estádio Independência, às 21h45. Empate classifica o tricolor do Morumbi, enquanto ao Galo precisa vencer por dois gols diferença. Caso o Alvinegro vença por 1 a 0, a decisão da vaga será em cobranças de pênalti.

Atlético-MG e São Paulo já se enfrentaram pela Libertadores em outras oito oportunidades, a exceção do embate desta temporada. Foram quatro vitórias do Galo (uma em 1978 e outras três em 2013), uma vitória do São Paulo (em 2013) e três empates (dois em 1972 e outro em 1978). 

Assim como aconteceu nas últimas decisões em que o Atlético-MG foi protagonista nesta temporada de 2016, o mistério é a tática mais utilizada pelo técnico Diego Aguirre. Vale até colocar os jogadores em concentração 48 horas antes da partida, e divulgar a escalação momentos antes da partida começar. A verdade é que o treinador tem dúvidas quanto a formação da equipe para esta quarta-feira (18), e o mesmo se utilizará de todas as armas possíveis para não das pistas do time que entrará em campo.

Já o treinador do São Paulo, Edgardo Bauza, também adotou a tática do mistério, mas bem longe do que o treinador atleticano está utilizando. Com a vantagem do empate nas mãos, Bauza não escondeu o time, mas os treinamentos foram fechados, dando a entender que o mesmo poderá aparecer com alguma surpresa durante a partida. 

Esperando por Robinho, Aguirre esconde o time atleticano

Acreditando na tática do mistério, o técnico Diego Aguirre esperará até o último instante para definir a equipe que entrará em campo contra o São Paulo. Com dois desfalques já confirmados e podendo perder mais um jogador, a formação inicial do Atlético-MG é escondida a sete chaves.

Os desfalques confirmados estão no meio-campo. Os volantes Rafael Carioca e Júnior Urso levaram o terceiro cartão amarelo na primeira partida, no Morumbi, e estarão de fora. Lucas Cândido e Eduardo, que atuaram bem diante do Santos, pela rodada inicial do Campeonato Brasileiro, podem jogar. Resta saber se os dois entrarão em campo, mantendo o esquema de três volantes com Leandro Donizete, ou se apenas um deles irá atuar, podendo Aguirre colocar mais um meia na criação ou mais um atacante.

O suspense todo fica por conta da presença de Robinho. O jogador saiu de campo no Morumbi com uma fisgada na coxa esquerda. Em tratamento intensivo desde então, a entrada do camisa 7 é incerta. Caso ele não entre em campo, Carlos, Clayton e Hyuri correm pela vaga. Na criação, a dúvida é entre Cazares, melhor em campo contra o Santos, pelo Brasileirão, ou Dátolo, que voltou a treinar depois de um período no departamento médico. Patric é outro que pode aparecer. 

Leonardo Silva, capitão da equipe, acredita que mesmo tendo a vantagem do empate, o São Paulo merece cuidados e pede pressão dos atleticanos em campo e na torcida.

"O São Paulo virá pensando no regulamento, mas nenhuma equipe chega ao Independência querendo jogar recuado. As equipes querem jogar de igual para igual, mas a equipe dentro de campo, em conjunto com a torcida fora, pressiona o adversário para encontrar as melhores oportunidades. Acredito que o São Paulo vai jogar por uma bola sim. Eles tem uma boa vantagem, conseguiram a vitória, e o nosso papel é conseguir a classificação", declarou.

Bauza treina em secreto, mas divulga equipe

Após a vitória sobre o Botafogo, na estreia do Campeonato Brasileiro, por 1 a 0, e com o time reserva, o São Paulo chegou à Belo Horizonte na tarde de ontem (17) e se concentrou em um hotel da região Nordeste da capital mineira. 

Logo depois, Edgardo Bauza e seus comandados se dirigiram ao Estádio Independência, local da partida contra o Atlético-MG para realizar o último treinamento antes do jogo. Bauza comandou treino secreto durante 80 minutos no gramado do Horto para definir os últimos detalhes, como treinamentos de bola parada e trabalho em medidas reduzidas do campo. 

Curiosamente, Bauza não orientou nenhum trabalho em cobranças de pênaltis. Mesmo sendo um fator que pode acontecer no jogo de amanhã. O treinador rechaçou a questão da vantagem e acredita que ambos os times não mudarão seus estilos para o jogo.

"Não vai mudar o estilo do São Paulo nem o do Atlético. Os dois vão jogar como vêm jogando. Não se pode mudar a forma de jogar. A equipe local vai pressionar muito, tratar de por muito ritmo na partida, teremos que ser muito inteligentes para sairmos dessa situação. Os gols são consequência do que cada equipe pode fazer. Nossa missão é classificar, temos 90 minutos para trabalhar. Oxalá possamos conseguir", explicou.

A única mexida em relação ao time que venceu a primeira partida no Morumbi, por 1 a 0, é à saída de Wesley e a entrada de Michel Bastos, autor do gol da vitória em São Paulo.