Marcelo Oliveira lamenta ineficiência do ataque e explica ausência de Robinho contra Sport

"Foi uma falha nossa, não fomos competentes"; apesar da vitória, treinador alvinegro destacou o aproveitamento na hora de finalizar

Marcelo Oliveira lamenta ineficiência do ataque e explica ausência de Robinho contra Sport
Foto: Bruno Cantini/Atlético

A vitória do Atlético-MG, por 1 a 0, nessa quinta-feira (15), na Arena Independência, diante do Sport Recife, em jogo válido pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro, diminuiu a distância da equipe para o líder Palmeiras, que agora é de três pontos. O técnico Marcelo Oliveira lamentou o baixo aproveitamento na hora de concluir as jogadas e ainda explicou a ausência de Robinho, artilheiro do time na temporada.

Segundo o treinador, Robinho não foi a campo por recomendação do departamento médico, como uma medida preventiva para não comprometer a presença do atacante nos próximos jogos. “Em uma avaliação, o médico achou que ele podia ter uma situação e ficar fora dos próximos jogos. Foi uma prevenção para descansá-lo para o próximo jogo. Não que o Sport fosse menos importante. Realmente, pela avaliação médica, poderia gerar uma lesão se jogasse”, revelou.

O comandante alvinegro avaliou as oportunidades criadas e lamentou o fato da equipe não ter ampliado o marcador. “Nesse jogo, tivemos ocasiões ofensivas. Foi pouco em relação ao volume que a gente teve. Faltou escolher melhor a jogada e um pouco mais de capricho técnico na jogada final. Tínhamos o controle da bola em ocasiões de ataque, pela direita, pela esquerda, mas não conseguimos efetivar situações claras para definir o jogo a não ser a do Fred. Foi uma falha, não fomos competentes nisso”, apontou.

Júnior Urso, aos 13 minutos do segundo tempo, amrcou o gol do Galo. Entretanto, um dos momentos marcantes da partida foi a expulsão do goleiro Magrão, da equipe pernambucana, ainda no primeiro tempo. Para aproveitar a vantagem numérica, o treinador revela que estava preparando uma mudança tática no Galo, mas que foi surpreendido pelo gol do volante. “Naquele momento que ele fez o gol, eu estava com a ideia de jogar com apenas um volante, podia tirar o Carioca ou ele para que a gente pudesse aproveitar melhor o fato de estar com vantagem. Aí ele fez o gol”, disse.

O gol alvinegro só foi possível graças à jogada anterior do meio-campista Otero, que correu da esquerda para a direita, fugindo da marcação, e dividiu com o defensor do Sport antes da bola sobrar para Júnior Urso finalizar para as redes. O treinador elogiou a atuação do venezuelano. “Foi bem, estava esperando uma oportunidade de colocá-lo um tempo maior. Era um jogo bom para ele jogar, tínhamos a ideia de trabalhar sempre no campo de ataque”, revelou.

O próximo compromisso do Galo, no Campeonato Brasileiro, é no clássico diante do Cruzeiro, no domingo (18), às 16h, no Mineirão. Marcelo Oliveira garante foco total em realizar um bom trabalho, independente da atuação dos principais concorrentes na parte de cima da tabela. “Tenho como princípio não preocupar tanto com os adversários, torcer para perder, essas coisas. Não adianta nada, não depende da gente e adianta muito menos se você não fizer o seu papel. A ideia é concentrar sempre nos nossos jogos como finais, jogos decisivos”, concluiu.