Jemerson diz 'torcer de longe' para o Atlético-MG e mira 'escrever história' na Europa

Xodó da torcida atleticana, zagueiro admite que é cedo ainda para um possível retorno ao Galo e sonha com a Copa de 2018

Jemerson diz 'torcer de longe' para o Atlético-MG e mira 'escrever história' na Europa
Foto: Valery Hache/AFP

Jemerson deixou saudade no Atlético-MG. Sucessor de Réver, virou xodó da torcida alvinegra, ganhou títulos importantes e deixou o clube mineiro, no ano passado, com status de ídolo. Por enquanto, o zagueiro do Monaco não pensa em voltar à Cidade do Galo, mas admite que segue acompanhando de longe a equipe atleticana.

O Atlético é o time que deu a grande oportunidade da minha vida e serei eternamente grato. Ainda é muito cedo para falar em um retorno, mas espero que um dia possa vestir a camisa do Galo e ouvir a torcida gritando meu nome novamente”, afirmou Jemerson, em entrevista ao blog C’est Le Foot, do SporTV. “Tenho um carinho enorme pelo clube e pela Massa. Sempre vou guardar no coração tudo o que passei em BH e continuo torcendo de longe. Mas preciso escrever a minha história aqui na Europa agora e buscar novas conquistas”, completou.

O Monaco pagou € 11 milhões (cerca de R$ 48 milhões, na cotação de 2015) ao Atlético para contar com Jemerson, que assinou contrato de cinco anos com os monegascos. Antes de acertar com o clube do principado, o defensor foi eleito o melhor zagueiro do Campeonato Brasileiro e conquistou títulos de expressão pelo Galo, como Copa Libertadores da América (2013) e Copa do Brasil (2014). Ele garante que não se arrepende da transferência.

Jemerson comemora gol marcado contra o Flamengo, no Independência (Foto: Pedro Vilela/Getty Images)
Jemerson comemora gol marcado contra o Flamengo, no Independência (Foto: Pedro Vilela/Getty Images)

Quando a gente faz uma escolha dessas, sempre corre o risco de deixar alguma coisa para trás. Eu sabia que, se optasse por sair do Galo, eu precisaria conquistar coisas que eu não teria na minha chegada ao Monaco, como a torcida, a confiança do grupo, e outras coisas. Mas não me arrependo, pois é um passo que eu precisava dar naquele momento”, salientou. “Aos poucos as coisas estão começando a acontecer. É preciso trabalhar muito e, ao mesmo tempo, ter paciência. O reconhecimento só vem com resultados e muito esforço, não há como fugir disso em nenhum lugar.

Titular absoluto do Monaco, o zagueiro ressalta o desejo de voltar a defender a Seleção Brasileira, cujo chegou a ser convocado por Dunga no ano passado, e almeja disputar a Copa do Mundo de 2018, na Rússia. “Tenho que mostrar serviço aqui no Monaco para voltar a ser chamado. O grande sonho da minha vida é disputar uma Copa do Mundo e espero realiza-lo”, projetou.