Em tarde de altos e baixos, Atlético-PR bate São Paulo nos minutos finais e encosta no G-4

Equipes fazem jogo equilibrado, mas Furacão vence pela vontade e volta a sonhar em integrar o grupo dos quatro primeiros do Brasileirão

Em tarde de altos e baixos, Atlético-PR bate São Paulo nos minutos finais e encosta no G-4
Foto: Gustavo Oliveira/Site Oficial Atlético-PR
Atlético-PR
1 0
São Paulo
Atlético-PR: Weverton; Léo, Paulo André, Thiago Heleno e Nicolas; Otávio, Hernani e Matheus Rossetto (Luciano Cabral, intervalo; Renan Paulino); Pablo e Lucas Fernandes (Juninho); André Lima. Técnico: Paulo Autuori.
São Paulo: Denis; Buffarini, Maicon (Lyanco), Rodrigo Caio e Mena; Hudson, Thiago Mendes, Wesley (Michel Bastos), Cueva e Kélvin (Robson); Andrés Chávez. Técnico: Ricardo Gomes.
Placar: 1-0, min. 79, Pablo.
ÁRBITRO: Árbitro: Anderson Daronco (RS). Cartões amarelos: Léo (CAP); Denis (SPO).
INCIDENCIAS: Partida válida pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro 2016. O jogo foi disputado na Arena da Baixada, em Curitiba, Paraná.

O tabu era grande. Desde a abertura da Arena da Baixada, o São Paulo nunca havia vencido o Atlético-PR no estádio. E ele se manteve. Na tarde deste domingo (18), o Atlético-PR foi mais feliz, e, já nos minutos finais, bateu a equipe do Morumbi pelo placar de 1 a 0, gol marcado por Pablo.

Com a vitória, o Atlético-PR foi a 39 pontos, e agora encontra-se na 7ª posição, 3 pontos atrás do Santos, primeira equipe dentro do G-4. Já o São Paulo permanece na 12ª colocação, com 34 pontos, mas  pode ver as equipes da zona do rebaixamento se aproximarem na rodadas subsequentes.

Durante a semana, as equipes terão missões complicadas. O Atlético-PR vai até Porto Alegre, na próxima quarta-feira (21), enfrentar o Grêmio, em partida válida pelas oitavas de final da Copa do Brasil. Na primeira partida, o Furacão foi derrotado por 1 a 0, e agora precisa vencer por dois gols de diferença (ou por apenas 1, desde que marque dois gols ou mais. Exemplo: 2 a 1, 3 a 2, e assim por diante). Se repetir o placar de 1 a 0, a classificação será decidida nos pênaltis.

Já o São Paulo vai até Caxias do Sul enfrentar o Juventude, com outra difícil missão, em partida também válidas pelas oitavas de final da Copa do Brasil. Após perder no Morumbi para a equipe jaconera, que se encontra na Série C, por 2 a 1, o Tricolor precisa vencer os alviverdes fora de casa também por dois gols de diferença (ou por apenas 1, desde que marque três gols ou mais. Exemplo: 3 a 2, 4 a 3, e assim por diante). Se repetir o placar de 2 a 1, a classificação também será decidida nos pênaltis. A partida será disputada na próxima quinta-feira (22), às 21h30, no Estádio Alfredo Jaconi.

Em primeiro tempo morno, goleiros mantém placar zerado

O jogo prometia muito. O tabu mexia com os ânimos são-paulinos, que estavam empolgados após as duas vitórias em sequência. Já o Furacão, que não vencia há 3 jogos, precisava vencer de qualquer maneira para voltar a se aproximar do G-4.

Logo aos 11 minutos, Nicolas bateu falta na área do São Paulo, e Thiago Heleno cabeceou, obrigando Denis a fazer defesa espetacular, que poderia ser o primeiro gol do Furacão.

No minuto seguinte, veio a primeira chegada do São Paulo. Thiago Mendes carregou a bola e resolveu arriscar de fora da área, mas a bola saiu à direita da meta defendida por Weverton.

O jogo permaneceu morto até o minuto 35, quando Chávez, após bom cruzamento de Cueva, obrigou Weverton a fazer grande defesa, evitando o gol dos visitantes. Um minuto depois, foi a vez de Pablo assustar para os donos da casa. O jogador resolveu arriscar de fora da área, mas viu Denis jogar para escanteio.

Aos 38, foi Cueva quem resolveu chutar de fora da área, uma boa opção até então para as equipes, que pouco conseguiam infiltrar nas defesas adversárias, mas Weverton defendeu.

Atlético-PR insiste e consegue gol da vitória

O segundo tempo parecia uma repetição do primeiro. Com as duas equipes se respeitando ao máximo, até com certo medo de arriscar, o placar parecia encaminhar-se para o 0 a 0. Entretanto, nos minutos finais os donos da casa resolveram se arriscar mais, e foram recompensados.

Aos 28, a primeira chance para o Furacão. Juninho recebeu passe dentro da área e resolveu arriscar. Entretanto, Denis foi bem mais uma vez e salvou o São Paulo. Seis minutos depois, saiu o gol atleticano. Léo cruzou e viu a bola desviar Michel Bastos. Com o desvio, Denis, que havia se deslocado, precisou recuar, e, ao fazer tal movimento, escorregou. A bola sobrou livre para Pablo apenas empurrar para as redes, deixando os torcedores enlouquecidos, que cantavam “o freguês voltou”, em alusão ao tabu histórico da Arena da Baixada.

Aos 39, o São Paulo tentou incomodar novamente. Chávez se livrou da marcação e chutou, mas a bola saiu por cima da meta defendida por Weverton. Nos minutos finais, o Tricolor abusou das bolas alçadas na área, mas elas não surtiram efeito, e o placar continuou vitorioso para o Furacão.