Thiago Heleno marca duas vezes e Atlético-PR supera Ponte Preta na Arena da Baixada

Zagueiro-artilheiro abre o placar de pênalti e fecha o marcador de cabeça; paulistas jogam boa parte da partida com um homem a menos e sentem desvantagem

Thiago Heleno marca duas vezes e Atlético-PR supera Ponte Preta na Arena da Baixada
Foto: Gustavo Oliveira/Atlético-PR
Atlético-PR
3 0
Ponte Preta
Atlético-PR: Weverton; Leo, Paulo Andre, Thiago Heleno, Nicolas; Lucho Gonzalez (João Pedro), Otávio, Lucas Fernandes (Giovanny), Rossetto, Pablo; Luan (Marcão); TEC: Paulo Autuori.
Ponte Preta: Aranha; Jeferson, Antônio Carlos, Fábio Ferreira (Douglas Grolli), Reinaldo; João Vitor, Maycon, Felipe Azevedo (Willian Potker), Clayson (Wellington Paulista), Thiago Galhardo; Roger; TEC: Eduardo Baptista.
Placar: 1-0, Thiago Heleno, 46min. 1T; 2-0, Léo, 22min. 2T; 3-0, Thiago Heleno, 33min. 2T.
ÁRBITRO: Nielson Nogueira Dias – PE; Cartões Amarelos: Léo, Thiago Heleno (CAP); Antônio Carlos, João Vitor, Roger, Clayson, Reinaldo (PON); Cartões Vermelhos: Willian Potker (PON)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro Série A, realizada na manhã deste domingo (25), às 11h, na Arena da Baixada, em Curitiba, Paraná.

O Atlético-PR venceu a Ponte Preta, na manhã deste domingo (25), na Arena da Baixada, por 3 a 0, com gols de Léo e Thiago Heleno, por duas vezes. O resultado fez com que o Furacão se afastasse do adversário na tabela.

Após um primeiro tempo muito equilibrado, onde o zero teimou em sair do placar até os acréscimos, com pênalti convertido por Heleno, a história se alterou na etapa final com a expulsão de Pottker pela Ponte. Os paranaenses aproveitaram os espaços e marcaram mais duas vezes.

Os três pontos aproximaram o Furacão do G-4, o deixando em quinto lugar, a apenas uma vitória do grupo que se classifica para a Libertadores. Com 42, contra 45 do Santos, o Furacão torcerá por uma derrota do Corinthians, que soma 41 e joga logo mais. Para a Ponte, cabe agora pensar na próxima rodada. Com a derrota, a Macaca parou nos 39 pontos ganhos, ocupando a oitava posição e podendo ser superada pela Chapecoense, que soma um a menos e também entrará em campo na rodada.

Na próxima rodada, o Atlético-PR irá a Vila Belmiro, onde terá compromisso diante do Santos, no sábado (1º), às 16 horas. No mesmo dia, mas às 16h30, a Ponte pegará o Atlético-MG, no Moisés Lucarelli.

Com gol de pênalti, Furacão vence primeira etapa na Arena

Em situações parecidas na tabela, Atlético e Ponte começaram o jogo para tentar definir quem terminaria na frente entre eles. Pensando nisso, a equipe campineira resolveu sair para a frente, buscando atacar o rubro-negro já nos primeiros minutos. Precisamente, aos seis, uma sequência de bolas alçadas na área de Weverton assustaram todos que ostentavam as cores preto e vermelho no estádio, mas o ensaio de pressão ficou só nisso mesmo, pelo menos naquele momento.

Aos 13’, mostrando a real proposta de Eduardo Baptista, a Ponte partiu em rápido contra-ataque, mostrando que, de fato, jogava por apenas uma bola e, graças ao bom posicionamento de Thiago Heleno, que cortou o chute de Roger, e de Weverton, que defendeu o rebote de cabeça de Clayson, o zero foi mantido no placar.

Após vários minutos de melancolia, com um jogo que caiu drasticamente de qualidade em meados da primeira etapa, o fim da mesma guardava emoções além de tudo que já havia se visto nesta manhã. Aos 37 minutos, após bola cruzada na área, Pablo falhou na hora de dominar, perdendo a melhor chance do jogo para o Furacão. Minutos depois, Aranha vacilou e deu a bola nos pés de Luan, mas após a recuperação do arqueiro alvinegro, o perigo foi neutralizado.

A sequência de bons momentos a favor do Atlético demonstrava que o gol vinha amadurecendo e, aos 44, após nova falha defensiva da Ponte Preta, o rubro-negro paranaense teve um pênalti a seu favor. Fábio Ferreira errou o domínio e empurrou Lucas Fernandes quando o meia entrava na área. Para a cobrança, além dos três amarelos distribuídos para os atletas pontepretanos, pela catimba atrasando o chute, Thiago Heleno, o zagueiro-artilheiro do rubro-negro, com muita força, colocou no fundo do gol, no último lande da etapa inicial. Atlético-PR 1 a 0.

Ponte tem atleta expulso, Atlético aproveita e aumenta o placar na segunda etapa

Atrás do placar com gol nos acréscimos, a Ponte então teria que se abrir ainda mais na segunda metade de jogo. Sabendo disso, o elenco atleticano se portou com firmeza, se mantendo armado na marcação, esperando vacilos do adversário.

O primeiro deles já aconteceu aos 4’, quando a defesa pontepretana se posicionou esperando o cruzamento e Lucas Fernandes bateu firme. Aranha teve de se virar para evitar o segundo do Furacão. Alguns minutos depois, novamente Fernandes, mas desta vez pelo lado oposto, aproveitando os espaços defensivos, bateu colocado, tirando de Aranha, mas a bola caprichosamente explodiu na trave, após fazer a parábola pelo efeito colocado pelo atleta.

A falta de um atleta pelo lado da Ponte Preta, após a expulsão de Willian Potker por agressão a Luan fez o campo parecer maior, dando chances mais claras de passes para o Furacão. Em uma destas jogadas, Léo progrediu pela direita, driblou Antônio Carlos, que ficou sem entender nada, e bateu colocado, de esquerda, sem chances para o goleiro da Macaca. 2 a 0 para os mandantes.

Aos 32’ foi a vez de Thiago Heleno brilhar novamente. O zagueiro, que já havia aberto o placar na Arena, recebeu bela cobrança de escanteio, em sua cabeça, só tendo o trabalho de escorar para o fundo do gol e dar números finais ao jogo. Com o 3 a 0 no placar e um homem a menos em campo, a Ponte resolveu apenas marcar, deixando a bola com o adversário, que por sua vez também não fazia questão de pressionar, mantendo o panorama até o fim do jogo.