Avaí recebe Náutico na Ressacada em duelo decisivo pelo acesso

Leão confia na sua torcida para vencer em casa e continuar no G-4 da competição; Timbu precisa vencer para estar entre os quatro primeiros

Avaí recebe Náutico na Ressacada em duelo decisivo pelo acesso
Náutico venceu a equipe do Avaí no primeiro turno. (Foto: Divulgação/ CNC - Clube Náutico Capibaribe)
Avaí
Náutico
Avaí: Renan; Alemão, Fabio Sanches, Betão, Capa; Luan, João Filipe, Renato, Diego Jardel, Marquinhos; Rômulo. Técnico: Claudinei Oliveira
Náutico: Julio Cesar; Joazi, Igor Rabello, Rafael Pereira, Gáston Filgueira; João Ananias, Rodrigo Souza, Marco Antônio, Vinicius; Rony, Bergson. Técnico: Givanildo Oliveira
ÁRBITRO: Diego Almeida Real (RS) apita a partida, auxiliado por José Eduardo Calza (RS) e Alexandre Pruinelli Kleiniche (RS)
INCIDENCIAS: 36ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B 2016. Partida será realizada no estádio da Ressacada, em Florianópolis (SC) e terá início ás 17h30

Avaí e Náutico fazem um jogo importante na briga por uma vaga no G-4 da Série B, nesse sábado (12), ás 17h30, na Ressacada, em Florianópolis (SC). Em outras palavras, o duelo é tão decisivo que quem vencer, termina a rodada no grupo dos quatro melhores e deixa o rival pra trás. 

Com expectativa de estádio lotado, o Avaí vem de um empate com o Oeste jogando fora de casa e precisa vencer para continuar forte na briga pelo acesso. Na 4ª colocação com 59 pontos, com dois pontos a mais que o Náutico, a equipe de Claudinei Oliveira vive a expectativa de manter a invencibilidade do treinador dentro da Ressacada. Desde que assumiu o time, só conhece o sabor da vitória jogando em casa.

No Náutico, o bom momento do clube com Givanildo Oliveira, mas conhecido como "rei do acesso", também agrada a torcida e motiva a equipe para o confronto. Nos últimos treze jogos, a equipe pernambucana conseguiu oito vitórias e perdeu apenas dois jogos, além de ter um dos melhores ataques da Série B com 51 gols marcados e ocupa a 5ª colocação com 57 pontos. A equipe vem de uma vitória em cima do Goiás, jogando em casa.

Treinador do Avaí prevê partida equilibrada contra o Timbu

Um dos principais responsáveis pela magnífica campanha do Avaí no segundo turno, Claudinei Oliveira imagina que a partida contra o Náutico seje muito equilibrada pelo bom momento que vive o adversário. Ele comentou sobre o confronto em entrevista coletiva.

"Quanto mais perto do fim do campeonato, os jogos ficam mais importantes. Essa é uma rodada que temos a possibilidade de sair do G-4 e se perdermos, saímos. Então é um jogo importante, os dois times precisam vencer e os dois não podem perder. Acredito que vai ser um jogo muito competitivo, com organização, ninguém vai correr risco desnecessário", disse o treinador.

O comandante avaiano terá algumas preocupações para a partida. João Filipe e Renato, ambos titulares, podem não ter condições de atuar nos 90 minutos. Claudinei também comentou sobre o momento dos dois atletas: "O João não estava 100% contra o Oeste, ele não teve uma grande sequência, mas está bem. O Renato teve um tempo no DM e o problema familiar, depois o corpo cobrou. Ele sentiu a perna pesar, mas demos o descanso e ele vai fazer um grande jogo. Se vai jogar os 90, não dá para dimensionar.", completou.

A equipe titular deve ser a mesma que enfrentou o Oeste na última rodada, com apenas uma mudança: Marquinhos ganha a vaga da Judson. William segue no departamento médico e Lucas Coelho não jogará mais nessa temporada.

Partida "mais importante do ano", para goleiro do Náutico

O goleiro Júlio César enxerga a partida contra o Avaí como a "mais importante do ano" para a equipe do Náutico. Tentando entrar no G-4 novamente e uma vitória difícil na Ressacada, o atleta do Timbu comentou sobre o jogo em entrevista coletiva.

"É como se fosse uma final mesmo. Porque pode se decidir muita coisa. Uma vitória nos coloca de novo no G-4 Sabemos que vai ser muito difícil, pois a equipe  do Avaí é muito competitiva, principalmente jogando em casa. Mas temos um objetivo muito grande", afirmou o jogador.

Assim como no Avaí, Givanildo Oliveira também tem muitas algumas preocupações com o desgate físico dos atletas. Bergson e Marco Antônio foram poupados de partes dos treinamentos e podem não conseguir atuar durante todo o jogo. Maylson e Tiago Adan podem substituí-los, caso necessário.

Givanildo também se preocupa com ponto básico para vencer o Avaí na Ressacada: a posse de bola. De acordo com o treinador, ter a posse de bola ficará mais viável para o time controlar a partida: "No momento em que você está com a posse, você tem que arriscar. Posse de bola é importante. Em casa ou fora. Significa que você está trabalhando, girando, controlando, mas, em alguma situação, tem que ir em direção o gol. Não pode se precipitar, nem querer resolver tudo de uma vez.", disse o comandante.