Na estreia da Arena, Botafogo reage no fim e empata com Flamengo em jogo emocionante

Equipes foram eficientes ofensivamente, mas deixaram a desejar atrás; Nova Arena Botafogo estreia no Brasileiro com confusão na torcida mandante

Na estreia da Arena, Botafogo reage no fim e empata com Flamengo em jogo emocionante
Foto: Divulgação / Botafogo FR
Botafogo
3 3
Flamengo
Botafogo: Sidão; Luís Ricardo, Renan Fonseca, Emerson, Diogo Barbosa; Airton, Rodrigo Lindoso, Bruno Silva, Camilo; Rodrigo Pimpão, Sassá; TEC: Ricardo Gomes.
Flamengo: Alex Muralha; Pará, Juan, Rever, Jorge; Márcio Araújo, William Arão, Mancuello, Marcelo Cirino, Everton; Guerrero; TEC: Zé Ricardo.
Placar: 0-1, Everton, 24min 1T; 1-1, Diogo Barbosa, 34min, 1T; 1-2, Jorge, 11min 2T; 1-3, Guerrero, 23min 2T; 2-3, Neilton, 34min 2T; 3-3, Salgueiro, 37min 2T.
ÁRBITRO: Flávio Rodrigues de Souza - SP. Cartões Amarelos: Emerson, Airton (BOT); Jorge, Fernandinho, Everton, Guerrero (FLA).
INCIDENCIAS: Partida válida pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro 2016, realizada na tarde deste sábado (16), no Estádio Luso Brasileiro, a Arena Botafogo, na Ilha do Governador, Rio de Janeiro.

Botafogo e Flamengo empataram por 3 a 3, na estreia da Arena Botafogo, na Ilha do Governador. Após sair na frente com Everton, o Rubro-Negro sofreu o empate com um belo chute de Diogo Barbosa. Na sequência, com Jorge e Guerrero, a equipe da Gávea abriu a vantagem para 3 a 1, e nos minutos finais, os mandantes foram para cima e conseguiram o empate com Neilton e Salgueiro.

O ponto negativo do confronto ficou por parte da violência, já que em meados da segunda etapa, um corre-corre causado por uma briga, no meio da torcida do Botafogo pôde ser notado em qualquer parte do estádio.

Com o resultado, o Flamengo entrou no G4, somando 24 pontos. Já o Botafogo, chegou aos 17 e, na 14ª colocação, respira um pouco melhor na luta contra o rebaixamento. Porém, visto que esta foi a partida de abertura da rodada, ambas as equipes poderão perder posições até o termino das nove partidas restantes.

Na próxima rodada, o Botafogo encara a Chapecoense, fora de casa. A partida está marcada para as 16 horas de domingo (24), na Arena Condá, em Chapecó. Já o Flamengo, segue para Cariacica, no Espírito Santo, onde recebe o América-MG, às 20 horas de segunda-feira (25), no Kléber Andrade.

Primeiro tempo de posse de bola do Flamengo, mas pouca eficiência; Botafogo perigoso nos contra-ataques

Estreia da nova casa botafoguense, o Estádio Luso Brasileiro, agora a Arena Botafogo, começou como se esperava, com bastante estudo por parte das equipes. Evitando jogadas agudas, o Flamengo, visitante, tocava para os lados, com quase nenhuma objetividade, enquanto que o Botafogo, sem dar combate, assistia, apenas intervindo quando a bola chegava perigosamente perto de sua área. Com a estratégia traçada pelos dois times, começava então a briga contra um elemento comum aos dois: o gramado. Após investir mais de 5 milhões de reais na reforma do estádio da Portuguesa carioca, o gramado continuava duro, como de costume, atrapalhando bastante o toque de bola.

O primeiro lance perigoso da partida, embora mais recuado, veio do Botafogo, que mesmo somando apenas 25% de posse de bola, chegou com perigo na cabeçada na trave, de Rodrigo Lindoso, após bom cruzamento na área. Em maioria no estádio, a torcida botafoguense empurrava a equipe, que mesmo tendo pouco a bola, não sofria pressão adversária. Porém, num momento de descuido dos zagueiros do Glorioso, Guerrero ajeitou de peito para Cirino, que deixou a bola passar, chegando em Everton, o atacante então encheu o pé para abrir o placar e marcar o gol de estreia da nova Arena Botafogo. Flamengo 1 a 0.

O lance acendeu os jogadores do Botafogo, que partiram para cima, buscando o empate quase que imediatamente após o gol sofrido, mas se defendendo bem, o Flamengo evitava qualquer aproximação perigosa por parte do ataque alvinegro. Até que Diogo Barbosa, percebendo a dificuldade de infiltração no miolo de zaga rubro-negra, arriscou de longe, cruzado, marcando um belo gol para o Botafogo. Era o empate dos donos da casa.

O Botafogo teve ainda a chance de virar no último lance da primeira etapa, quando Rodrigo Pimpão invadiu a área pela esquerda ofensiva, driblou Arão e Chutou, mas Juan conseguiu se esticar e evitar o que poderia ser o segundo gol dos mandantes, dando assim, números finais à primeira metade de jogo.

Segundo tempo repleto de gols, mas manchado por confusão na torcida mandante

A segunda etapa começava morna, sem muita objetividade por parte dos dois times, quando Jorge, após ótima trama com Everton, deu de bico de chuteira para o gol. Era o segundo gol rubro-negro na partida. Curiosamente, o lance se deu por falhas individuais do sistema defensivo do alvinegro. Primeiro com Bruno Silva, que tentou um lance de efeito na entrada da área, e depois, com Sidão, que aceitou o biquinho de Everton.

Aproximadamente 10 minutos depois do segundo gol do Flamengo, a equipe da Gávea chegou ao terceiro, desta vez com Guerrero, que invadiu a área pela direita ofensiva e chutou cruzado. O Lance serviu como estopim para uma confusão no setor oposto às cabines de imprensa. Uma verdadeira confusão generalizada quase interrompeu a partida.

Aos 34’, o Botafogo diminuiu com Neilton, após ótimo lançamento de Airton. O lance apaziguou o clima, até então tenso, entre os torcedores alvinegros, que, é bem verdade, ainda se desentendiam no momento do gol. Porém, a confusão estava com os minutos contados. Mais precisamente, três, já que aos 37’, Salgueiro, que acabara de entrar em campo, girou na meia lua, arrematando no canto inferior direito de Alex Muralha. Era o empate do Botafogo.

Após o gol, o Zé Ricardo, que havia recuado o time no decorrer da segunda etapa, colocou Fernandinho, buscando um pouco mais de ação ofensiva. O Jogador só conseguiu receber um cartão amarelo, logo após a sua entrada, não sendo, então, capaz de alterar qualquer panorama até o fim do jogo.