Por vaga na decisão, Chapecoense recebe San Lorenzo na Arena Condá

Equipes empataram por 1 a 1 no primeiro jogo e lutam por vaga em Chapecó

Por vaga na decisão, Chapecoense recebe San Lorenzo na Arena Condá
(Foto: EFE/David Fernández)
Chapecoense
San Lorenzo
Chapecoense: Danilo; Caramelo, Neto, Thiego e Dener; Josimar, Matheus Biteco e Cleber Santana; Lucas Gomes (Ananias), Tiaguinho e Kempes.
San Lorenzo: Torrico; Angeleri, Caruzzo, Corujo (Coloccini) e Mas; Mussis, Ortigoza e Blanco; Cauteruccio, Blandi e Cerutti.
ÁRBITRO: Daneil Fedorczuk (URU); Auxiliares: Miguel Nievas e Richard Trinidad
INCIDENCIAS: Jogo de volta da semifinal da Copa Sul-Americana, disputado na Arena Condá, em Chapecó (SC)

É dia histórico no Oeste de Santa Catarina. Diante do poderoso San Lorenzo, a Chapecoense entra no gramado da Arena Condá disposta a não deixar a classificação escapar. Com vantagem pelo empate de 1 a 1 na Argentina, o Verdão terá a difícil missão de segurar o adversário e conta com sua apaixonada torcida para isso. A partida será nesta quarta-feira (23), às 21h45.

Para a Chapecoense, essa vitória é mais do que uma simples classificação. A equipe, antes desconhecida no radar internacional, quer fazer história. Se conquistar a vaga para a grande final, será a primeira vez da Chape em uma decisão fora do país, já que no ano passado o time caiu nas quartas de final e agora quer o título.

Com expectativa de casa cheia, o Verdão tem a vantagem para essa partida. Graças ao empate por 1 a 1 em Buenos Aires, a Chapecoense pode empatar sem gols ou vencer por qualquer resultado que já garante a vaga. Caso o placar do primeiro jogo se repita, as equipes vão para a disputa de pênaltis. Empate por dois gols ou mais dá a vaga ao San Lorenzo.

A partida será apitada por Daneil Fedorczuk. Seus auxiliares são Miguel Nievas e Richard Trinidad, fechando o trio uruguaio para a semifinal da Copa Sul-Americana.

Fazendo história

Embalada no Campeonato Brasileiro, vencendo o São Paulo na última rodada por 2 a 0 em casa e o Botafogo no Rio de Janeiro pelo mesmo placar na semana anterior, a Chapecoense vive um grande momento e se apoia na ótima vantagem e no grupo unido para ir bem diante dos argentinos.

A ansiedade não tomou conta apenas da torcida, mas o treinador Caio Júnior pede calma e apoio dos mais experientes em segurar a animação dos jogadores. "A ansiedade toma um pouco, sim. Principalmente depois desse último jogo (contra o São Paulo). Esse é um jogo histórico para nós. Mas nosso grupo já provou que tem muita experiência. Nós trabalhamos jogo por jogo. Estamos com a cabeça no lugar, conscientes que temos que fazer um bom jogo", comentou.

Caio Júnior ainda não sabe se terá o atacante Tiaguinho disponível, já que o jogador sentiu desconforto na coxa e foi poupado durante a semana. Ananias deve ocupar seu lugar na dupla ofensiva. Outra dúvida é no meio-campo, já que o treinador utilizou Josimar, Matheus Biteco, Cleber Santana e Gil durante a semana e precisa selecionar três atletas.

"Estamos bem preparados e o adversário também está preparado. Será um bom jogo de aspecto tático e de emoção, é uma Copa do Mundo, um jogo só e pode ir para os pênaltis.  Espero que não vá, porque é mais sofrido ainda", afirmou o técnico Caio Júnior.

O provável time da Chapecoense deverá ser: Danilo; Caramelo, Neto, Thiego e Dener; Josimar, Matheus Biteco e Cleber Santana; Lucas Gomes (Ananias), Tiaguinho e Kempes

Para afastar a pressão

Os argentinos ainda tem dúvidas e ausências para a partida decisiva. O atacante Nicolás Blandi treinou normalmente em Buenos Aires e viajou para Chapecó com a delegação, que chegou na cidade na segunda-feira. Entretanto, está retornando de lesão na perna e ainda não foi confirmado. Ausências certas são o volante Fernando Belluschi, cumprindo suspensão após levar cartão vermelho contra o Palestino e ser punido por dois jogos, e o atacante Gonzalo Bergessio, machucado.

O San Lorenzo vive bom momento no Campeonato Argentino, já que venceu o último jogo diante do Independiente fora de casa e segue na segunda colocação. Já na Copa da Argentina, a equipe acabou eliminada pelo Gimnasia.

O técnico Aguirre falou sobre a partida e acredita que quem chega pressionado é o San Lorenzo: "A pressão é maior para nós. Somos uma equipe grande, temos a obrigação de sair para buscar a vitória. A Chapecoense tem tido um bom ano, mas por história e tradição nós temos a obrigação".

Aguirre aproveitou para elogiar a Chape e analisar rapidamente o que esperar da partida. "A Chapecoense é forte em casa. Não imagino o time deles só jogando atrás. Vão ter que atacar, propôr o jogo. Isso é bom para nós", completou.

O provável time do San Lorenzo será: Torrico; Angeleri, Caruzzo, Corujo (Coloccini) e Mas; Mussis, Ortigoza e Blanco; Cauteruccio, Blandi e Cerutti.