Todos pela Chapecoense: a prova de que não é só um esporte

A solidariedade às vítimas do acidente aéreo uniu torcedores e clubes de todo o mundo

Todos pela Chapecoense: a prova de que não é só um esporte
Pequeno torcedor se isola na Arena Condá (Foto: Divulgação)

Sem dúvidas, um dos episódios mais marcantes para a história do futebol brasileiro. A madrugada de 29 de novembro de 2016 jamais será esquecida pelos latinos. O avião que transportava a comissão da Chapecoense e repórteres da FOX Sports caiu na Colômbia, em uma região montanhosa e de díficil acesso, deixando 71 mortos e apenas seis sobreviventes.

O Verdão iria disputar a final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional, encantando os olhares dos brasileiros com o seu futebol humilde, raçudo e bonito. Infelizmente o reconhecimento mundial veio da pior maneira possível. Milhares de amantes do esporte demonstraram solidariedade com o ocorrido, inclusive até aqueles que não são adeptos da modalidade. 

"2009 (série D), 2012 (série C), 2013 (série B), 2014 (série A), 2016 (final da Sul-Americana). Não se cansaram de subir e chegaram ao céu."

A ascensão do time provou que times pequenos podem chegar longe. A força de recuperação da Chapecoense é admirável. De todas as dificuldades sofridas, por ser um time de poucos recursos e ainda sem títulos expressivos, a volta por cima deste cenário infeliz com certeza será a maior vitória dos torcedores. Estes que, indiscutivelmente, sempre estiveram ao lado do Verdão. Na tarde desta terça-feira (29), parte da torcida se reuniu ao redor da Arena Condá para rezar e acender velas.

Torcida presta homenagens na casa da Chape (Foto: Luis Lopes/Divulgação)
Torcida presta homenagens na casa da Chape (Foto: Luis Lopes/Divulgação)

Nas redes sociais circula uma carta a respeito, de forma emocinante, a citar as perdas.

"Ela era a queridinha do Brasil. O xodó, a graça. Aquela para a qual todos sorriam. A novinha do pedaço. Mal chegou e já se juntou com a 'galera', com os 'populares': afinal de contas, a Chape faz parte do seleto grupo que nunca caiu. Feito para se respeitar - e aplaudir. Em seis anos, conquistas, vitórias, goleadas e ascensões. Da quarta divisão, para a final de uma competição Sul-Americana. Respeita a Chape. Aqui é Chape. Chape terror. Todos somos Chape. Todos seguiremos. Todos seremos. Todos estamos. Todos ficamos... arrasados. Que triste. Que rasteira. Que aperto. Que dor. Que tragédia. Ei, juiz! Roubaram a Chape. Roubaram a nossa torcida. O nosso sorriso. A vibração. Roubaram o Bruno Rangel, o Caio, o Kempes. Roubaram a Chape. Roubaram o Victorino, o PJ, o Mário Sérgio.

Ei, não estão vendo? Roubaram a Chape. Roubaram o Jumelo, o Rodrigo e o Deva. A Chape, que não pulsava sozinha, também não vai sofrer sozinha esse roubo. Ei, juiz! Poxa vida, roubaram a Chape... Não adianta, com esse juiz não tem jeito, não tem papo, não tem pressão. A Chape foi roubada. Não é sonho, eu sequer dormi. A Chape foi mesmo roubada. A Chape, grande no seu carisma, até na hora da dor arrastou multidões. Torcemos juntos, Chape. Sofremos juntos, também. Como sofremos nas cobranças de pênalti, na noite em que o Danilo salvou quatro contra o Independiente. Só que dessa vez não deu pra salvar. Também não teve comemoração. Também não tem mais Danilo. Noite de jogo sujo, jogo triste. Roubaram a Chape. Roubaram o FOX Sports. Roubaram nossos amigos, nossos colegas. Roubaram os pais de família, os homens de bem. Roubaram um pedaço dos nossos corações. Roubaram a capacidade de acreditar, de entender, de aceitar. Roubaram a Chape..."

O goleiro Danilo, destaque do elenco e um dos principais responsáveis pela vaga na decisão, foi o segundo resgatado, mas lamentavelmente não resistiu no hospital. Para ele, várias homenagens.

Danilo, goleiro da Chapecoense,  com o filho Lorenzo
Danilo, goleiro da Chapecoense, com o filho Lorenzo

Uma das mensagens apelativas que circula refere-se à belíssima defesa no jogo de volta da semifinal, contra o San Lorenzo. Nela, algum torcedor fingiu ser o Danilo, com o intuito de alertar que a vida sempre nos reserva surpresas, boas ou ruins.

"Olá, meu nome é Danilo ou 'São Danilo', como a torcida da Chapecoence resolveu me apelidar carinhosamente. Tudo porque, graças a uma defesa ontológica que fiz com os pés, na última quarta-feira, levei meu time a disputar um título inimaginável há alguns anos — a final da Copa-Sul Americana. Na verdade iríamos disputar, não vamos mais! O time acabou. Estão quase todos mortos. Entre os poucos sobreviventes, poderia ter sido eu. Nosso avião caiu, nossa alegria acabou, o luto chegou. Que ironia! Juro que se soubesse teria deixado aquela bola entrar, teria feito a torcida chorar, o estádio todo me xingar. Mas eu não sabia. Aliás, a gente não sabe de nada. A gente reclama de derrotas hoje, que são grandes livramentos amanhã. Fica meu conselho: nunca reclame da derrota de ontem, ela pode ser sua grande vitória de amanhã."

Por ironia, o narrador esportivo Deva Pascovich também estava no voo. Ele emocionou milhares de brasileiros com a narração dos lances da partida na Arena Condá, na quarta-feira (23). 

Além do carinho dos internautas, a Chapecó foi homenageada internacionalmente

Em Londres, no estádio de Wembley foi exibida a mensagem em seu letreiro "Força Chape". Uma cor verde representava o apoio às vítimas do acidente aéreo. Outro estádio iluminado foi o Allianz Arena, na Alemanha. 

"Condolências" e "Chapecoense" marcaram uma bandeira segurada pelos torcedores no estádio do Liverpool, na partida entre Liverpool e do Leeds. Os jogadores também fizeram um minuto de silêncio. 

       

Antes do treino do Real Madrid começar houve um minuto de silêncio pelas vítimas do acidente. 

A Torre Colpatria, localizada na capital da Colômbia, também não ficou de fora.

Torre Colpatria, na Colômbia, também homenageia time brasileiro

O verde e amarelo do Brasil virou uma cor só

O presidente da Repúblia Federativa do Brasil, Michel Temer, publicou em sua conta no twitter a imagem do Planalto em solidariedade ao drama vivenciado mundialmente.

No Rio de Janeiro, o Cristo Redentor foi iluminado por cores verdes (Foto: reprodução)
No Rio de Janeiro, o Cristo Redentor foi iluminado por cores verdes (Foto: reprodução)
(Foto: reprodução)
Estátua de Pe. Cícero, em Juazeiro do Norte, também presta homenagem
(Foto: reprodução)
(Foto: reprodução)
Escudo da Chape no trânsito de Aracaju (Foto: reprodução)

Clubes brasileiros dão força à Chapecoense

Arena Grêmio (Foto: reprodução)
Arena Grêmio (Foto: reprodução)

Os times do Brasil estão de luto. Nas redes sociais, substituíram seus escudos por uma imagem em apoio ao Verdão catarinense. Diversas instuições publicaram mensagens de apoio.

(Foto: reprodução)
Clubes brasileiros substituem seus escudos pelo da Chapecoense (Foto: reprodução)

"Hoje, todos os clubes do Brasil são um só. #ForçaChape", disse a conta oficial do Vasco da Gama

Nos sites oficiais de cada um constava a seguinte declaração:

"Neste momento de perda e de profunda tristeza, nós, presidentes de clubes brasileiros que publicam essa nota, gostaríamos de manifestar nossos mais sinceros sentimentos de pesar e solidariedade à Associação Chapecoense de Futebol e seus torcedores, e em especial às famílias e amigos dos atletas, comissão técnica e dirigentes envolvidos na tragédia ocorrida na madrugada desta terça-feira (29).
Mesmo cientes dos prejuízos irreparáveis provocados por este terrível acontecimento, os Clubes entendem que o momento é de união, apoio e auxílio à Chapecoense.
Neste sentido, os Clubes anunciam Medidas Solidárias à Chapecoense, que consistirão, dentre outras, em:
(i) Empréstimo gratuito de atletas para a temporada de 2017; e
(ii) Solicitação formal à Confederação Brasileira de Futebol para que a Chapecoense não fique sujeita ao rebaixamento à Série B do Campeonato Brasileiro pelas próximas 3 (três) temporadas. Caso a Chapecoense termine o campeonato entre os quatro últimos, o 16o colocado seria rebaixado.
Trata-se de gesto mínimo de solidariedade que se encontra ao nosso alcance neste momento, mas dotado do mais sincero objetivo de reconstrução desta instituição e de parte do futebol brasileiro que fora perdida hoje.
#ForçaChape"

No twitter do Internacional, a seguinte nota: "Todos somos uma cor só nesta terça-feira. Nossa homenagem e solidariedade à @ChapecoenseReal #ForçaChape"

Em solidariedade, Internacional se ilumina de verde
Em solidariedade, Internacional se ilumina de verde