Novo técnico do Corinthians, Cristóvão tem aproveitamento abaixo de 60% por onde passou

Abaixo dos 60%, treinador traz dúvidas e incógnitas para o futuro do Timão

Novo técnico do Corinthians, Cristóvão tem aproveitamento abaixo de 60% por onde passou
Foto: Getty Images

A Era Tite chegou ao fim oficialmente. Mesmo que o novo treinador ainda não tenha assinado com a Seleção Brasileira, sua ex-equipe, na qual é ídolo já tem um novo técnico: na manhã deste domingo, Cristóvão Borges foi oficializado e causou muito rebuliço nas redes sociais.

Muitos torcedores criticaram a escolha, enquanto outros passaram a apoiar e pegar o lado positivo. Sua conduta, ideia de jogo, são os pontos fortes, ainda que não tenha conseguido levantar títulos. Com passagens por Vasco, Flamengo, Fluminense e Atlético PR, isso só citando os times da Série A, Cristóvão deve na questão de resultados. Tudo bem que a falta de tempo e material humano jogam contra e é nisso que mora a confiança corinthiana.

Ainda assim, dentre todos os seus times, apenas no Vasco da Gama em que o novo treinador conseguiu superar sua média. Com 60,3%, ele quase eliminou o Corinthians na Libertadores de 2012 e foi vice do Brasileiro do ano passado brigando até o fim contra o alvinegro paulista. A sequencia do trabalho bem feito de Ricardo Gomes, que precisou se retirar do futebol por problemas de saúde, se encerrou ainda em 2012, após uma campanha irregular.

Já no Bahia, seu pior trabalho. Apenas 43% em pouco mais de 40 jogos. Demitido, voltou ao futebol passando pela dupla Fla-Flu, mas tendo um número de jogos maior no time tricolor. Seu clube anterior foi onde poderia ter feito um trabalho bom. No Atlético PR, foram 56% em apenas 20 jogos, mas problemas com a diretoria o fez sair do time paranaense.

Confira os números de Cristóvão na carreira

Clubes Jogos Vitórias Empates Derrotas Aproveitamento
Vasco 78 41 18 19 60.3%
Bahia 42 14 13 15 43.7%
Fluminense 58 28 11 19 54.6%
Flamengo 18 8 1 9 46.3%
Atlético PR 20 9 7 4 56%

A sua apresentação será na segunda-feira. A Fiel vive seu momento de desconfiança e a pressão contra Cristóvão será enorme, por substituir o maior treinador da história corinthiana.