Geraldo Delamore deixa Cruzeiro após sete meses como assistente técnico

Por meio de nota oficial, Raposa agradeceu pelo “relevante trabalho prestado ao Clube”

Geraldo Delamore deixa Cruzeiro após sete meses como assistente técnico
Foto: Geraldo Bubniak/Light Press/Cruzeiro

O Cruzeiro comunicou nessa quinta-feira (7) o desligamento do assistente técnico Geraldo Delamore. Segundo nota divulgada pela agremiação celeste, a saída do profissional foi motivada pela vontade de se dedicar em projetos pessoais e profissionais. Delamore se tornou notável na Raposa quando comandou interinamente o time em jogos do Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil, no período entre a saída de Deivid e chegada de Paulo Bento.

Delamore chegou à Raposa em dezembro de 2015 para fazer parte da comissão técnica permanente da equipe. Ele acompanhou a era Deivid sob o comando do Cruzeiro. Quando o então treinador foi demitido, após eliminação na semifinal do Campeonato Mineiro, Delamore assumiu interinamente o comando celeste. A novela sobre quem seria o novo treinador durou quase duas semanas até que o português Paulo Bento foi anunciado.

Enquanto não havia definição sobre quem seria o técnico, Delamore comandou a equipe em três jogos. Pela Copa do Brasil, no jogo de volta da primeira fase, diante do Campinense, no Mineirão, que terminou com uma vitória celeste por 3 a 2, e na segunda-fase da competição, quando o Cruzeiro enfrentou a equipe do Londrina, fora de casa, e ganhou por 2 a 0, eliminando o jogo da volta. Ele ainda esteve à beira do campo na estreia do time no Campeonato Brasileiro, na derrota por 1 a 0, fora de casa, para o Coritiba.

Campeão Brasileiro, da Libertadores e Mundial de Clubes pelo Corinthians, Delamore carrega em seu currículo 13 anos trabalhando ao lado do técnico Tite. No início de 2014, ele ocupou o cargo de treinador no Juventude. Pouco mais de um mês depois de sua chegada ao clube gaúcho, contabilizando cinco jogos seguidos sem vitória, ele deixou o comando da equipe. Ele tem passagens ainda por grandes equipes do futebol brasileiro como Grêmio, Atlético-MG e Corinthians, e pelas equipes do Al-Ain e Al-Wahda, dos Emirados Árabes Unidos.