Pressionados, Cruzeiro e Sport medem forças no Mineirão em briga direta por fuga do Z-4

Pior mandante do Campeonato Brasileiro, Raposa se despede do Mineirão temporariamente, em função das Olimpíadas; Leão pensa em "jogo a jogo", sobre sequência de partidas contra adversários diretos

Pressionados, Cruzeiro e Sport medem forças no Mineirão em briga direta por fuga do Z-4
Foto: Washington Alves/Light Press
Cruzeiro
Sport
Cruzeiro: Fábio; Lucas, Bruno Rodrigo, Léo e Edimar; Henrique, Ariel Cabral, Gino (Robinho) e Arrascaeta; Ramón Ábila e Rafael Sobis
Sport: Magrão; Samuel Xavier, Matheus Ferraz, Ronaldo Alves e Rodney Wallace; Rithely, Serginho, Diego Souza, Everton Felipe e Rogério; Edmilson
ÁRBITRO: Leandro Pedro Vuaden, auxiliado por Danilo Ricardo Simon Manis e Alex Ang Ribeiro
INCIDENCIAS: Partida válida pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro, a ser disputada neste domingo (24), no Estádio Mineirão, em Belo Horizonte/MG.

A tarde deste domingo (24) será decisiva para Cruzeiro e Sport. As duas equipes, que se enfrentam no Mineirão, às 16h (Brasília), em partida válida pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro, possuem o mesmo número de vitórias, empates e derrotas, e ambos figuram o Z-4 da competição.

Apesar de ter se classificado para às oitavas de final da Copa do Brasil, no meio de semana, vencendo o Vitória, por 2 a 1, no Mineirão, o Cruzeiro segue pressionado pelo seu torcedor quando o assunto é Brasileirão. Isso porque a equipe comandada pelo técnico Paulo Bento ocupa a vice-lanterna da competição, com 15 pontos ganhos, sendo o pior mandante. Falando em mando de campo, a Raposa irá se despedir do Gigante da Pampulha temporariamente, uma vez que o estádio será entregue ao Comitê Olímpico Internacional (COI), em função dos Jogos Olímpicos do Rio 2016.

Ao contrário do Cruzeiro, que perdeu para o Fluminense na rodada anterior, por 2 a 0, o Sport cumpriu seu papel na Ilha do Retiro e venceu o Palmeiras, por 4 a 2, ganhando fôlego na luta para deixar a zona da degola. Ainda assim, o Leão ocupa a 18ª posição na tabela, levando vantagem sobre a Raposa no saldo de gols. É apenas a primeira partida de uma série de três jogos contra adversários diretos dos pernambucanos. Além da Raposa, terão pela frente o América-MG e Figueirense.

Paulo Bento mantém mistério, mas ganha Robinho como opção

Os números do Cruzeiro jogando no Mineirão, neste Campeonato Brasileiro, não são nada animadores, uma vez que a Raposa possui apenas uma vitória atuando em seus domínios. No entanto, a equipe azul e branca aposta na presença maciça do torcedor, na despedida temporária do Gigante da Pampulha, para sair de campo com uma vitória genuína.

Para o duelo desta tarde, o técnico Paulo Bento ganhou boas e más notícias. Começando pelo lado negativo, o português não vai poder contar com o zagueiro Bruno Viana e o volante Bruno Ramires, suspensos pelo terceiro cartão amarelo. Por outro lado, o treinador ganhou a opção de poder contar com o meio-campo Robinho, que se recuperou de entorse no tornozelo. 

Assim, Léo e Manoel são os candidatos para compor a zaga celeste com Bruno Rodrigo, enquanto o uruguaio Gino deverá herdar a vaga de Bruno Ramires. Apesar da recuperação rápida, Robinho deverá começar o jogo no banco de reservas. O volante Ariel Cabral e o meio-campo Arrascaeta, poupados do treino da última sexta-feira (22), participaram das atividades normalmente neste sábado (23) e deverão ser titulares.

É notório que a oscilação do Cruzeiro no Brasileirão vem incomodando a comissão técnica, jogadores, torcedores e a diretoria da Raposa. Prova disso, é a posição do time celeste na tabela de classificação: a vice-lanterna. O técnico Paulo Bento possui a receita para sair do Mineirão com a vitória nesta tarde: trabalhar o psicológico dos atletas.

"A parte psicológica faz parte do trabalho, seja ela a nível tático ou emocional. Isso é importante para nós jogadores desfrutarmos de alguma maneira da classificação na Copa do Brasil. No domingo será difícil, pois estamos numa situação incômoda, onde não queríamos estar. É fato que o Cruzeiro, nos últimos anos, tem conseguido classificações extraordinárias, como os títulos de 2013 e 2014. Mas também teve épocas em que ficou em posições intermediárias ou abaixo", disse.

Visando progresso, Sport aposta no monitoramento por vídeo e conversa ao "pé do ouvido"

Além do confronto direto contra o Cruzeiro pela fuga da incômoda zona de rebaixamento, o Sport terá pela frente mais dois adversários na mesma situação: América-MG e Figueirense. Oportunidades de ouro para o técnico Oswaldo de Oliveira testar a nova tática que está sendo elaborada nos treinamentos de sua equipe: monitoramento por vídeo.

O treinador aposta no recurso audiovisual, para alinhar conceitos com os jogadores e sua comissão técnica, seja no que será feito nos treinamentos, ou até mesmo nos próximos jogos. Com isso, os atletas promovem a boa e velha "resenha" antes das atividades, visando combinar jogadas, explicando possíveis pontos fracos do adversário. Fato este que rende constantes elogios do chefe.

"Além de mostrá-los como será o treinamento ou como nosso próximo adversário joga, esse material audiovisual faz com que os jogadores pensem no trabalho por mais tempo. Com as informações, eles conversam entre si e começam a trabalhar antes mesmo de irem à campo. Outro ponto que julgo ser bastante positivo é o motivacional. Sempre que eles fazem as coisas da maneira certa, procuro mostrar e elogiar. Isso os incentiva", declarou o treinador.

Oswaldo encerrou os preparativos para enfrentar o Cruzeiro ainda neste sábado, quando trabalhou alguns fundamentos com sua equipe. As bolas paradas foram o ponto-chave, em diversas situações: defesa, meio de campo e ataque. Mas a principal novidade do time, estará na lateral esquerda, uma vez que o atacante costa-riquenho Rodney Wallace irá atuar de maneira improvisada no setor, no lugar de Renê. O volante Rithely, recuperado de lesão, também estará na titularidade.

Apesar das próximas partidas decisivas para o Sport, Oswaldo de Oliveira evita planejar pontos aqui, pontos lá. O pensamento do treinador, é disputar uma partida de cada vez, mantendo o foco no adversário da ocasião: "Eu acho muito relativo isso de programar que vou ganhar aqui, empatar ali e perder lá. Sempre trabalhamos para vencer os jogos. Tem jogos difíceis, com adversários mais qualificados e que tem que ter um certo cuidado, mas sempre vamos ter a referência da vitória", destacou.