Gilvan Tavares explica retorno de Mano Menezes ao Cruzeiro: "Risco de rebaixamento era grande"

Presidente destaca que visa um trabalho a longo prazo com o treinador, que volta ao comando da equipe pouco mais de sete meses, quando se transferiu para o futebol chinês

Gilvan Tavares explica retorno de Mano Menezes ao Cruzeiro: "Risco de rebaixamento era grande"
Gilvan aposta no trabalho de Mano Menezes para alavancar temporada do Cruzeiro (Foto: Diego Cota/VAVEL Brasil)

O Cruzeiro apresentou, nesta quarta-feira (27), seu novo técnico, o já conhecido e um dos últimos que comandaram a equipe celeste, Mano Menezes. O presidente Gilvan de Pinho Tavares foi quem fez as honras da casa ao novo treinador. “A gente confia muito no seu trabalho e na sua competência”, exaltou o mandatário celeste. Ele ainda comentou assuntos recentes que ocorreram nos bastidores da Raposa, como o caso envolvendo o atacante Riascos.

Após a série de resultados negativos, o nome de Mano Menezes passou a ser ventilado por grande parte da torcida cruzeirense. Fato destacado pelo presidente durante a apresentação: “Hoje nós estamos aqui com uma pessoa que é da casa. Mano Menezes já está integrado como treinador do Cruzeiro. A tarde ele assume o comando do treinamento. Desejo da torcida do Cruzeiro que deu certo”, apontou.

Na sua passagem pelo Cruzeiro na temporada passada, Mano estreou no comando na 23ª rodada do Campeonato Brasileiro. Na ocasião, a Raposa goleou o Figueirense por 5 a 1, no Mineirão. Muitos apontaram como uma estreia dos sonhos. E o restante da competição seguiu na mesma sintonia. Em três meses, o Cruzeiro obteve oito vitórias, seis empates e duas derrotas.

Entretanto, o mandatário celeste comparou a ocasião vivida no ano passado com a deste ano e, segundo ele, o cenário de hoje é mais tranquilo: “A situação do Cruzeiro nesse ano é um pouco mais favorável em relação ao ano passado, no que diz respeito ao elenco. Tivemos a oportunidade de reforçar o elenco. Nós temos certeza que vamos ter um time tão competitivo quanto o que a gente sonha”, analisou.

Desta vez, Mano encontrará um Cruzeiro onde as peças recém-contratadas não tiveram muitas oportunidades de atuar. Na tarde desta quarta, o treinador acompanhou o primeiro treino junto ao time, sendo um momento para fazer suas avaliações, como destacou o presidente: “De acordo com o treinador anterior, fizemos contratações de atletas de alto nível. O Mano, evidentemente, vai fazer as avaliações dele, embora seja uma pessoa que acompanha muito o Campeonato Brasileiro. Ele não estava dentro do clube para fazer uma avaliação que ele fará agora”, disse.

Mano já é o terceiro técnico da equipe celeste na temporada e mais uma vez chega com a imagem de salvador, uma vez que o time se encontra na vice lanterna com apenas 15 pontos em 16 rodadas, situação semelhante a que encontrou na temporada passada. Sobre essa alternância no cargo, Gilvan comentou sobre o desejo de fazer com que o trabalho seja duradouro, mas o cenário não foi propício.

“No futebol, a gente embora queira fazer um projeto de longo prazo, mas quando o resultado não acontece, não tem como você manter isso. Ficou evidente a rejeição da torcida. A gente não podia deixar o Cruzeiro pagar um preço caro demais e continuar numa posição incômoda na tabela como estávamos, porque o risco era muito grande de rebaixamento se não tomasse a decisão da segunda-feira pela manhã”, disse.

Gilvan ainda comentou sobre a confiança depositada no ex-técnico Paulo Bento, que não rendeu o esperado. “Nós fomos contratar um treinador que foi vitorioso em seu ex-clube. Nós tivemos tudo para acreditar no trabalho dele. Seu contrato foi até dezembro de 2017. No futebol é assim, se o trabalho não surte o efeito desejado, é evidente que mudanças têm de ser feitas”, completou.

Caso Riascos

Após a derrota para o Fluminense, no domingo (17), o atacante Riascos deu uma declaração que desagradou a torcida e o clube, fato que gerou seu afastamento imediato. No dia seguinte, foi noticiado na imprensa que o presidente Gilvan iria rever o caso, porém o afastamento do jogador foi mantido: “Quando terminou a partida, ele se expressou lá dizendo que ele não estava rendendo o futebol que ele esperava. Foi divulgado que ele xingou o Cruzeiro, sendo que ele disse isso sobre o seu futebol”, comentou.

“Riascos dizia para a gente que não estava feliz aqui. Nós emprestamos para o Vasco e lá ele rendeu mais. A torcida o teve quase como um ídolo lá”, revelou o presidente que agora busca negociar o atleta. “Há clubes interessados em levá-lo. Eu não vou fazer isso com uma pessoa que quer continuar jogando. Essa é a figura do presidente. Com a idade que eu tenho, tenho que agir ponderadamente. Ele continua afastado e vai ser emprestado”, revelou.