Ramón Ábila diz não ter metas de gols na temporada e é elogiado por Mano Menezes

Com nove gols em 11 partidas, argentino tem sido o principal nome na ascensão do Cruzeiro na temporada

Ramón Ábila diz não ter metas de gols na temporada e é elogiado por Mano Menezes
Para Ábila, limites foram feitos para "pessoas inferiores", ao falar sobre metas de gols na temporada (Foto: Pedro Vilela/Light Press)

Há pouco mais de dois meses, Ramón "Wanchope" Ábila era apresentado no Cruzeiro como um goleador nato. Era o que a Raposa precisava, já que sofria com a falta de pontaria no ataque. Após a chegada de outros jogadores, além do técnico Mano Menezes, o clube celeste iniciou a ascensão na temporada e o camisa 50 despontou como destaque da equipe.

Com o gol marcado contra o América-MG, nesta quinta-feira (8), no Estádio Independência, já são nove tentos em 11 partidas. Após o duelo pelo Campeonato Brasileiro, Ábila, quando perguntado se tinha meta exata de gols na temporada, afirmou não ter limites, ressaltando que estará sempre em busca de ampliar os números com a camisa celeste.

"Não tenho metas. Vou fazer o máximo que puder. Não tenho porque colocar limites. Você coloca limites no seu trabalho? Tem que ter mentalidade superior, nunca limites. Limites são para pessoas inferiores", disse, em entrevista ao canal Premiere.

Após a partida, Mano Menezes também deixou sua opinião sobre Ramón Ábila. O treinador celeste exaltou, primeiramente, o setor de criação do time, sobretudo, os meias Alisson e Arrascaeta. O técnico afirmou gostar do faro de oportunismo do centroavante e mandou um recado aos auxiliares de arbitragem quanto aos impedimentos marcados.

"O poder de definição. A gente tinha um plantel com características de jogadores mais leves, com mais movimentação. Mas que não tinha aquela característica do homem de área que, passando a bola ali, você vai ter um jogador para definir. É bom que tenhamos uma outra característica na equipe. Hoje, a jogada se desenhou muito bem. Está certo que ele tem entrado em impedimento várias vezes, mas a primeira ele não estava, e os assistentes têm que ficar atentos, porque esses erros podem definir uma partida. O Arrascaeta foi brilhante na assistência para o Alisson e correu para definir. Mas o Ábila entrou na frente dele e é assim. Não adianta falar que centroavante foi fominha, que vai tocar a bola. Camisa 9 não fica fazendo assistência toda hora, ele fica fazendo gol", colocou Mano.