Em súmula, árbitro do clássico mineiro relata reclamação de Mano: "É tudo contra nós"

Treinador celeste reprova a decisão na expulsão do lateral Lucas; vice-presidente de futebol da Raposa classifica dono do apito como "inexperiente para jogos importantes"

Em súmula, árbitro do clássico mineiro relata reclamação de Mano: "É tudo contra nós"
Foto: Juliana Flister/Light Press/Cruzeiro

Além da busca pelo triunfo dentro de campo, que acabou resultando no empate por 1 a 1, o clássico mineiro entre Cruzeiro e Atlético-MG, realizado neste domingo (18), no Mineirão, proporcionou outro fato de destaque. Aos 44 minutos da etapa complementar, o árbitro Bráulio da Silva Machado, de Santa Catarina, expulsou o lateral-direito Lucas e, em seguida, após reclamação, tirou de campo também o técnico Mano Menezes.

Na explicação que o árbitro Bráulio incluiu na súmula após o jogo, ele classificou a reclamação do treinador celeste como “acintosa e persistente”, além da sugestão, por parte do comandante estrelado, de que a arbitragem estaria atuando de forma injusta contra o Cruzeiro, fatos estes que motivaram a expulsão do mesmo.

“Aos 2'min do acréscimos do 2º tempo, expulsei da área técnica o Sr. Luiz Antônio Venker Menezes, treinador do Cruzeiro, por desrespeitar as decisões da arbitragem gesticulando de maneira acintosa e persistente, abrindo e fechando braços e aplaudindo ironicamente após a expulsão de um atleta de sua equipe, proferindo ainda as seguintes palavras: 'porra, é tudo contra nós'. Cabe relatar que o referido foi retirado pelo quarto árbitro sem maiores problemas”, relatou.

Na coletiva após o jogo, Mano Menezes criticou a postura do árbitro no lance. Segundo o treinador, o dono do apito não exerceu controle sobre o jogo: “A expulsão do Lucas foi absurda. Foi por isso que ele me expulsou. Ficar com um jogador a menos pode levar à derrota. Se ele tivesse o controle do jogo, não faria isso. Ele nem deu falta. Não tem lógica”, reclamou.

Em entrevista concedida à rádio Itatiaia, o Vice-presidente da Raposa, Bruno Vicintin, reprovou a atitude do árbitro e o classificou como pouco experiente para apitar jogos com o grau de importância como o do clássico mineiro: “A gente acha que esse é o grande problema de ter árbitro inexperiente. Ele deu cartão para o Lucas e parecia que não sabia que ele já tinha o amarelo. Atrapalhou o Cruzeiro. A gente lamenta a escalação nesses jogos importantes, não pelos juízes serem mal intencionados, mas por serem inexperientes”, disse.

Mano Menezes e Lucas estão suspensos do próximo jogo do Cruzeiro, pelo Campeonato Brasileiro. No compromisso diante do Flamengo, no domingo (25), às 16h, em Cariacica, Sidnei Lobo deve comandar a equipe que vai a campo. Já na lateral-direita, Ezequiel deve preencher a vaga. Antes disso, a equipe recebe o Botafogo, na quarta-feira (21), às 21h45, no Mineirão, no jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil.

Fato recorrente

Na expressão relatada na súmula pelo árbitro da partida, a frase dita por Mano Menezes deixa a entender a insatisfação do treinador com as constantes decisões da arbitragem contra a equipe celeste. Na rodada realizada no meio da semana, o Cruzeiro foi até a capital paulista enfrentar o São Paulo e saiu derrotado por 1 a 0. No fim do segundo tempo, o zagueiro Manoel foi expulso, com vermelho direto, após agredir o atacante Chávez dentro da área. O árbitro assinalou pênalti, que posteriormente foi defendido pelo goleiro Rafael.

Além disso, na semana passada, no duelo contra o Botafogo, o árbitro Rafael Traci chegou a relatar inconvenientes na súmula, em fatos ocorridos após o término da partida. Na ocasião, o Cruzeiro havia perdido de 2 a 0, em um duelo que houve gol legítimo do atacante Ábila, anulado pelo auxiliar número um, Bruno Boschilla, também alvo de protestos por parte da comissão técnica celeste. No dia seguinte, o clube celeste formalizou reclamação junto à CBF.