Figueirense marca nos acréscimos e impede Corinthians de entrar no G-6

Em posição irregular, Rafael Moura balançou as redes nos minutos finais da partida e Figueira segue vivo na luta contra o Z-4; Timão fica de fora do G-6

Figueirense marca nos acréscimos e impede Corinthians de entrar no G-6
Figueirense marca no fim e estraga noite do Corinthians. (Foto: Divulgação/Figueirense FC).
Figueirense
1 1
Corinthians
Figueirense: Gatito Fernández; Ayrton, Werley, Marquinhos e Pará; Josa, Jackson Caucaia (Everton Santos), Ferrugem (Yago) e Elvis (Matheusinho); Lins e Rafael Moura. Técnico: Marquinhos Santos
Corinthians: Walter; Fagner (Léo Príncipe), Léo Santos, Pedro Henrique e Guilherme Arana; Williams, Camacho, Giovanni Augusto, Rodriguinho e Marquinhos Gabriel (Marlone); Lucca (Gustavo). Técnico: Oswaldo de Oliveira
Placar: 0-1 - Camacho (43'min - 1º tempo) 1-1 - Rafael Moura (47'min - 2º tempo)
ÁRBITRO: Anderson Daronco (RS) apitou a partida, auxiliado por Elio Nepomuceno de Andrade Junior (RS) e Jorge Eduardo Bernardi (RS)
INCIDENCIAS: 35ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2016. Partida foi realizada no estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis (SC), e teve início ás 21h45

A noite estava sendo planejada para uma festa dos corintianos no Orlando Scarpelli, mas com um gol do atacante Rafael Moura nos acréscimos da partida, o Figueirense descolou um empate em 1 a 1, respirou na tabela de classificação e deixou o Corinthians de fora do G-6.

Com os dois pontos perdidos, o Corinthians segue na 7ª colocação, agora com 51 pontos. O Figueirense também não andou e permanecem na 18ª colocação com 34 pontos, mas não correm mais perigo de serem rebaixados ja nessa rodada.

A próxima partida do Figueirense será um confronto direto contra o Vitória, no próximo domingo (20), ás 17h, no estádio do Barradão, em Salvador (BA). A equipe do Corinthians receberá o Internacional, na segunda-feira (21), ás 20h, na Arena Corinthians.

Corinthians com mais posse e primeiro gol de Camacho

O Corinthians fez um bom primeiro tempo no Orlando Scarpelli, conseguindo ter uma maior posse de bola e levar mais perigo ao gol de Gatito Fernández. Logo no primeiro lance de jogo, Williams roubou a bola e serviu Rodrguinho para bater de fora da área, mas a bola foi pela linha de fundo.

A equipe da casa tinha que responder, e Lins foi o autor da resposta. Em chute na entrada da área, a bola foi rasteiro e quase complicou o goleiro Walter. A partida foi ficando bem equilibrada, e aos quatorze minutos saiu o primeiro gol do jogo, mas que foi invalidado. Ayrton cruzou para Rafael Moura, que ajeitou de peito para Elvis marcar, mas o meia estava impedido.

A equipe corintiana chegou à ir a loucura quando Lucca recebeu cruzamento de Giovanni Augusto e tinha tudo para marcar, porém, foi derrubado por Ayrton e o árbitro nada marcou. O clima começava a ficar tenso dentro de campo, principalmente quando Rodriguinho e Jackson Caucaia se desentenderam e bateram boca. Minutos depois, foi a vez de Lucca e Marquinhos ofenderem um ao outro, e ambos levaram amarelo.

Parecia que não ia ter lances muito interessantes no primeiro tempo, mas Camacho resolveu brilhar. O volante driblou Ferrugem, passou por dois defensores do Figueirense e bateu de fora da área para abrir o placar no Orlando Scarpelli. Muita festa dos corintianos em Floripa.

Rafael Moura persiste e estraga a noite do Corinthians

Marquinhos Santos resolveu mexer na equipe do Figueirense para tentar dar mais ofensividade à equipe colocando o atacante Everton Santos, mas foi o Corinthians que respondeu com perigo na primeira oportunidade. Giovanni Augusto bateu pela lateral e a bola tocou na trave do goleiro Gatito Fernández, que mal viu o lance. 

O Corinthians seguia no ataque e Marquinhos Gabriel, que aparecia pouco no jogo, resolver finalizar de fora da área, mas jogou a bola pela linha de fundo. Logo depois, ele teve outra grande oportunidade quando foi lancaçado e saiu na cara de Gatito, mas se enrolou e perdeu o tempo do lance.

O jogo foi chegando no fim e o Figueirense começava a querer aparecer mais para tentar um possível empate. A posse de bola passou a pertencer mais à equipe catarinense, enquanto o Corinthians tentava apenas acalmar o jogo e segurar o resultado até o fim.

Aos trinta e nove minutos, Lins teve a primeira oportunidade em chute de fora da área, mas Walter estava atento e fez a defesa. Oswaldo de Oliveira orientava os defensores do Corinthians ao máximo de atenção, enquanto os atacantes do Figueirense pressionavam por todos os lados.

Eis que apareceu a estrela de Rafael Moura. Aos quarenta e três minutos, Ayrton cobrou falta na área e o atacante subiu mais alto que todos para cabecear para o gol, mas o bandeirinha marcou impedimento do atacante, o que o deixou bastante estressado. 

Mas isso durou pouco, pois já nos acréscimos, Yago deu um chutão pra frente e Rafael Moura subiu novamente para cabecear ao gol de Walter. Era o empate que aliviava os catarinenses e frustravam os paulistas. Ainda deu tempo de Giovanni Augusto bater boca com o adversário e ser expulso de campo.