Flamengo 2013: o ano do brocador e o título da Copa do Brasil

Contrariando as expectativas, o Flamengo de 2013 terminou o ano de maneira inesperada. Da eliminação precoce no Campeonato Carioca à conquista da Copa do Brasil e consequentemente uma vaga na Copa Libertadores 2014. Relembre nesta retrospectiva os fatos que marcaram o ano de 2013 no Mais Querido do Brasil que a Equipe VAVEL preparou para você

Flamengo 2013: o ano do brocador e o título da Copa do Brasil
(Arte: Marcello Neves/VAVELcom)

Surpreendente. Assim pode ser definido o ano do Clube de Regatas Flamengo em 2013. O Rubro-negro que em 2012 havia encerrado o Campeonato Brasileiro na modesta décima primeira posição, entrou no novo ano com uma equipe desacreditada tanto pela mídia, quanto pela torcida e o encerrou com a conquista do tricampeonato da Copa do Brasil. Nesta retrospectiva a VAVEL Brasil comenta em detalhes como foi "a gangorra de 2013" para o Rubro-negro da Gávea.

Orçamento curto

Com a eleição da nova diretoria, algumas coisas mudaram dentro do clube. Principalmente sobre o aspecto de que o Flamengo não traria jogadores de peso e nem faria loucuras no mercado para reforçar o elenco para temporada, além de a nova diretoria anunciar que começaria a fazer cortes para enxugar as desordenadas finanças do clube. Entretanto, antes do começo do  Estadual, o Flamengo se mexia como podia no mercado e trouxe o jovem meia Gabriel por 7 milhões de Reais (por apenas 50% de seu passe), destaque do Bahia no último Brasileirão, contratou o zagueiro Wallace, após rescindir contrato com o Corithians e acertou o empréstimo até o fim do ano do volante Elias do Sporting de Portugal além de trazer também por empréstimo de 18 meses do também meio-campista Carlos Eduardo (este já com o campeonato em andamento), que estava encostado no Rubin Kazan da Rússia, mas que chegou para ser a solução dos problemas de armação de jogadas do ataque Rubro-negro.

A "política" de cortes de gastos da nova diretoria começou a afetar o diretamente a equipe no começo do segundo turno do Campeonato Carioca, com a demissão de Dorival Júnior, que havia feito uma boa Taça Guanabara, apesar da derrota na semi-final para o Botafogo. Logo na primeira rodada da Taça Rio, após a derrota por 3 - 2 de virada para o Resende, o treinador foi sacado, mesmo com o diretor executivo Paulo Pelaipe garantindo sua permanência. O motivo era óbvio, o treinador era caro demais para os planos da diretoria, que não estava disposta a pagar os 750 mil mensais de salário ao técnico. E pronto, lá estava o Flamengo em crise... Para o lugar de Dorival, foi contratado Jorginho (ex-lateral direito do Flamengo, Tetra com a Seleção em 94), que ganhava menos que metade do salario de seu antecessor, cerca de 200 mil mensais e cabia "exatamente" nos planos financeiros da diretoria.  Só que a partir daí o Flamengo desandou de vez no Estadual... O rendimento razoável que a equipe tinha antes com Dorival não se repetiu com Jorginho, pelo contrário. O Flamengo passou a jogar um futebol medonho com a derrota para o inexpressivo Audax e empate com o Duque de Caxias, que selaram a não classificação do time para as semi-finais do segundo turno do estadual dando assim ao Flamengo um longo período de férias forçadas, no qual o time ficou 40 dias apenas treinando.

Início da conquista da Copa do Brasil e começo ruim de Brasileirão

Ainda sob o comando de Jorginho, o Mais Querido deu início a saga que culminaria no título da Copa do Brasil, com a vitória magra por 1 a 0 sobre o Remo na primeira partida em Belém do Pará e a vitória por 3 a 0 com direito a hat-trick de Hernane no jogo da volta no Raulino de Oliveira. Após o fim do estadual o Flamengo buscou reforços para a sequência da temporada com o Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil, sem gastar muito o time da Gávea trouxe alguns jogadores, principalmente do interior paulista. O primeiro a desembarcar no Ninho do Urubu foi o atacante Marcelo Moreno, que veio por empréstimo junto ao Grêmio e que teve uma negociação conturbada graças a seu falastrão pai e empresário, que chegou a ofender Flamengo e Palmeiras, só que mais os paulistas ao chamar o clube de "fracassado". Logo depois vieram o ponta Paulinho e o volante Diego Silva por empréstimo do XV de Piracicaba e mais tarde chegando também o atacante Bruninho, com compra dos 50% dos direitos federativos do jogador do Penapolense, além do volante Val que veio de graça do Mogi Mirim, completando assim o "Quarteto Caipira", com ficou conhecido o grupo de jogadores que vieram dos clubes pequenos de São Paulo. 

A chegada de "reforços" não salvou o Flamengo de um péssimo começo no campeonato nacional, sem vitórias nos primeiros quatro jogos fizeram com que o técnico Jorginho não suportasse a pressão e fosse demitido depois da derrota por 1 a 0 para o Náutico. A indignação da torcida era clara e ficou ainda mais explícita quando os muros da Gávea amanheceram pixados com protestos contra nomes alta cúpula rubro negra como o diretor executivo Paulo Pelaipe e o presidente do clube Eduardo Bandeira de Mello, além do ex-técnico Jorginho e do meio-campista Carlos Eduardo, que só fazia se arrastar em campo desde o campeonato carioca.

Chegada de Mano Menezes com reforços

Logo após a demissão de Jorginho, a diretoria percebeu que sem ao menos um nome de peso para comandar a equipe, o time não iria para frente e rapidamente contratou o ex-técnico da Seleção Brasileira Mano Menezes. O treinador encontrou no Flamengo um time com problemas em quase todos os setores e que não inspirava confiança alguma na torcida. 

Mano teve seus primeiros desafios com o time rubro-negro ao enfrentar o então líder do campeonato brasileiro Coritiba no Mané Garrincha logo em sua estréia como técnico do clube, no empate por 2 a 2. E uma semana mais tarde ao derrotar o Vasco por 1 a 0 no clássico que também foi jogado em Brasília. Além de no meio destes dois jogos pelo Brasileirão, classificar o time para a próxima fase da Copa do Brasil, ao eliminar o ASA de Arapiraca em dois jogos pelo placar de 4 a 1 (no agregado).

Mano logo percebeu as fragilidades do elenco e pediu a diretoria a contratação de reforços para continuar a temporada. O pedido foi atendido, com a contratação do lateral-esquerdo André Santos, que pertencia ao Arsenal, mas que estava emprestado ao Grêmio para a disputa da Libertadores. O clube adquiriu 50% do passe do jogador que já havia trabalhado com Mano Menezes anteriormente no Corinthians. No entanto, a chegada de André Santos não inspirou muita confiança devido as más atuações desde os tempos de Arsenal, além do mau condicionamento físico que o jogador apresentou ao chegar na Flamengo. Outro que desembarcou no Ninho do Urubu foi o zagueiro Chicão, após não ter seu contrato renovado com o Corinthians, o jogador ficou livre e veio quase sem custo para o Rubro-negro. O zagueiro também já havia trabalhado com Mano Menezes nos tempos de Timão.

Mas enquanto uns chegavam pela porta da frente, outros iam embora pelos fundos. A política de cortes de gastos da diretoria via na rescisão de alguns contratos uma forma de reduzir valores, assim foram rescindidos os contratos do atacante Liédson, do zagueiro Alex Silva e do meio-campo Renato Abreu. Mas a tentativa de redução de gastos acabou não funcionando em parte, uma vez que Renato entrou na justiça contra o clube pelos 6 meses de salários atrasados, totalizando cerca de R$ 1,5 milhão. Além de mover um outro processo por danos morais contra o Flamengo, que rendeu ao jogador mais uma alta quantia de valor não revelado em dinheiro.

Três meses de Mano e nada de futebol

Mesmo com a chegada de reforços, o time não engrenou no Brasileirão. Apesar da pequena melhora que Mano trouxe ao time, aquilo não era suficiente para acalmar os ânimos da torcida. O Flamengo ainda tinha problemas em quase todos os setores: uma zaga que dava sustos nos torcedores a cada bola na área, uma lateral direita que não existia sem Léo Moura, porque Luiz Antônio não jogava bem improvisado no setor, problemas também na esquerda pela falta de condicionamento de André Santos e falta de qualidade de João Paulo, além de um meio-campo de marcação lenta com Cáceres e de armação em "slow motion" com Carlos Eduardo e um ataque que se virava como podia com Hernane no Maracanã, mas que não funcionava quando Marcelo Moreno estava em campo.

Mas se no Campeonato Brasileiro o time não se encontrava, na Copa do Brasil a equipe se transformava. Após eliminar os fracos Remo, Campinense e ASA de Arapiraca, o Flamengo seria realmente testado no torneio ao enfrentar o Cruzeiro, líder do Brasileirão e posteriormente Campeão Brasileiro. O jogo de ida no Mineirão teve amplo e total domínio do time celeste, que cansou de perder gols. A Raposa abriu o placar com William aos 27' do primeiro tempo e ampliou no começo da segunda etapa aos 11' com Éverton Ribeiro, que chapelou Luiz Antônio e bateu forte de perna esquerda para marcar o gol mais bonito do ano. Mas o jogo que parecia não dar mais esperança alguma ao Mais Querido teve uma "reviravolta", após a falha de Dedé, a bola sobrou para Carlos Eduardo fazer o gol rubro-negro aos 23 minutos e ascender a chama confiança da equipe para o jogo da volta no Maracanã.

No segundo jogo, o que se viu foi um Flamengo totalmente diferente. Uma equipe ofensiva, que partia para cima apoiada por um Maracanã lotado com cerca de 70 mil pessoas empurrando o time. O Cruzeiro acoado, saia bem nos contra-ataques e realmente levava perigo. Mas de nada adiantou, pois aquela noite era mesmo noite de Flamengo. Depois de muito pressionar, aos 43 minutos do segundo tempo, após jogada de Paulinho pela direita, a bola veio para Elias de primeira marcar o gol da classificação e emocionado sair comemorando! O jogador virou símbolo de raça, pois até pouco antes do jogo, ele era dúvida para a partida.

Porém o bom futebol e o conto de fadas que o Flamengo vivia no Copa do Brasil não se repetia no Brasileirão. O que ficou claro, logo na primeira partida depois de eliminar o Cruzeiro. Ao enfrentar o Corinthians no Pacaembu, o Flamengo tomou uma inapelável goleada por 4 x 0, na qual o time nem viu a cor da bola. Após a goleada o time foi duramente criticado pela falta de postura dentro de campo. Mas o que já estava ruim, podia piorar. Cinco rodadas após o jogo contra o Corinthians, o Flamengo enfrentaria o Atlético PR pela 22ª rodada. O Flamengo começo este jogo de modo avassalador nos primeiros 20 minutos, jogando "a la Zico", O Mais Querido abriu 2 x 0 no placar, dando ao torcedor a impressão de que naquela noite viria uma goleada. Mas infelizmente não foi aquilo que aconteceu. O Flamengo recuou e deixou o Atlético do Paraná gostar tanto do jogo, que eles até viraram a partida para 4 x 2. Ali chegava ao fim a paciência de Mano Menezes com o time do Flamengo.

Pegando de surpresa todos dentro e fora do clube, Mano Menezes pediu demissão do cargo técnico do Flamengo, mesmo com alguns jogadores tentando convence-lo a permanecer. E para justificar a sua decisão, o treinador disse em entrevista coletiva que no resumo do jogo sentiu que não conseguiu passar para os jogadores aquilo que ele pensa sobre futebol. 

Jayme de Almeida: Surge uma esperança

Com o pedido de demissão de Mano Menezes, sobrou para interino Jayme de Almeida assumir o time mais uma vez. Ele já havia comandado a equipe anteriormente no mesmo Brasileirão, após a demissão de Jorginho, foi Jayme quem esteve a frente do Flamengo na vitória por 3 x 1 sobre o Criciúma fora de casa. Sua reestreia no comando do time se deu no empate em 0 a 0 contra o Náutico, jogo este em que Elias perdeu um gol inacreditável debaixo do travessão. Ainda como interino, ele comandou o Flamengo no empate em 1 a 1 com o Botafogo no jogo de ida das Quartas-de-final da Copa do Brasil, sendo efetivado até o fim da temporada depois deste jogo, com a negativa de Abel Braga a proposta do Flamengo.

Estando no Flamengo desde a metade de 2012, Jayme conhecia melhor do que qualquer um o elenco. Então ele fez mudanças no time que logo surtiram efeito. Começou firmando a dupla de zaga com Wallace e Chicão, com o jovem Samir como reserva imediato. Pôs Luiz Antônio para jogar no meio-campo pelo lado direito, ajudando Léo Moura tanto na marcação quanto no ataque. Moveu Paulinho do lado direito para o esquerdo, deixando o jogador com mais liberdade para fazer suas jogadas de efeito e ajudar André Santos na marcação quando possível. Colocou o volante Amaral a frente da zaga, dando segurança para a dupla e permitindo a Elias que avançasse com mais liberdade. E por fim, fechou com Hernane no ataque que "brocava" cada jogo no Maracanã.

Foi aí então que veio um dos momentos auge para Jayme de Almeida, a partida de volta contra o Botafogo pela Copa do Brasil. Depois do empate em 1 a 1, a vaga com certeza estava indefinida. Porém em mais uma noite de Maracanã lotado e com a torcida empurrando o time, brilhou a estrela do "Brocador" Hernane, que anotou três gols e sofreu um pênalti convertido pelo aniversariante Léo Moura, fechar a goleada por 4 a 0 que classificou o Flamengo para as semi-finais da Copa do Brasil.

O sonho do título da Copa do Brasil e de uma vaga na Libertadores seguia vivo, o próximo adversário seria o bom time do Goiás, do artilheiro gordinho Walter. Porém o atacante sofreu uma lesão muscular não pôde enfrentar o Flamengo no primeiro jogo no estádio Serra Dourada. O Flamengo derrotou o Goiás por 2 x 1, com gols de Paulinho e Chicão batendo falta, um gol muito parecido com aquele que ele havia marcado contra o mesmo Goiás no mesmo estádio. No segundo jogo, criou-se a expectativa de que o atacante Walter pudesse jogar, muito por causa do vídeo do qual ele disse que iria "Deitar de rolar no Mengão". Só que Walter não jogou e o Flamengo novamente empurrado pela torcida no Maracanã, venceu o Goiás por 2 x 1. Mesmo com Eduardo Sasha abrindo o placar de cabeça, o Flamengo virou com gols de Hernane e Elias.

Conquista da Copa do Brasil

Com partidas as quartas-feiras e aos domingos, o desgaste do time era claro. Então Jayme passou a poupar alguns titulares no Brasileirão, mas com isso o rendimento da equipe caiu, o que ficou claro nos jogos contra São Paulo e Grêmio, que terminaram com duas derrotas. Deixando o time em uma situação de risco no campeonato e para acabar logo com o risco de rebaixamento, Jayme escalou força máxima na partida contra o Corinthians. O Fla venceu por 1 x 0, acabando com a possibilidade de rebaixamento, mas correu o risco de perder jogadores importantes para o time a três dias do segundo jogo da final da Copa do Brasil.

A idéia de Jayme em poupar jogadores contra São Paulo e Grêmio pelo Brasileirão era para tê-los inteiros para o primeiro jogo da final contra o Atlético PR lá na Vila Capanema. O plano do treinador Rubro-negro deu certo, o Flamengo conseguiu um empate em 1 a 1, com gols de Marcelo para o Furacão e Amaral num chutaço de fora da área para O Mais Querido. No jogo da volta no Maracanã, o estádio se transformou num verdadeiro caldeirão, assim como foi contra Cruzeiro e Botafogo. A torcida empurrando o Flamengo que foi melhor durante todo o jogo, mas os gols só sairiam no final do jogo. Aos 42' do segundo tempo, Paulinho faz boa jogada pelo lado esquerdo rola, para Elias mandar para o fundo das redes e explodir o Maracanã! Só que ainda tinha mais, já nos acréscimos aos 49' Luiz Antônio entra em velocidade pela direita e cruza para Hernane "brocar" e fechar o placar! 2 a 0 e Flamengo Campeão da Copa do Brasil 2013.

A conquista do título e da vaga para a Libertadores foi um prêmio enorme para uma equipe que havia começado o ano descreditada, mas que ao longo da temporada dava sinais de melhora. Mostrando que a torcida faz sim uma grande, enorme diferença quando se trata de Flamengo. Coroando também o trabalho de um treinador simples que se inventar muita coisa, mostrou que era possível fazer um time competitivo com as peças que tinha a disposição.

Fim de temporada quase perfeito

Depois que conquistar o 3º título da Copa do Brasil, o Flamengo passou apenas a cumprir tabela no campeonato brasileiro, uma vez que já não havia risco nenhum mais de rebaixamento. Os dois últimos jogos do Brasileirão foram quase que de festa. A derrota por 4 x 2 para o Vitória no estádio Barradão nem foi levada a sério, sendo totalmente ignorada e levada na brincadeira inclusive pelos torcedores. 

A ultima rodada do Campeonato então... Foi só festa. O chamado "jogo de entrega de faixa" entre o Campeão Brasileiro Cruzeiro e o Campeão da Copa do Brasil Flamengo até teve emoção, lances de perigo, mas o resultado era o que menos importava. A partida terminou empatada em 1 a 1, com gols de Hernane e Souza para o Cruzeiro, com destaque para o goleiro Cezar que fez boas defesas em sua estreia como profissional.

A temporada de jogos já havia terminado, o ano fora perfeito dentro das possibilidades para o Flamengo e sua torcida, com a conquista do título da Copa do Brasil e o rebaixamento dos rivais Vasco e Fluminense. Porém devido a possível escalação irregular do jogador André Santos, que fora expulso na final da Copa do Brasil na ultima rodada do Brasileirão, fez com que o Flamengo perdesse 4 pontos. E também a possível escalação irregular do meia Heverton da Portuguesa, fez com que o time paulista também perdesse 4 pontos. Rebaixando dessa forma a Lusa e trazendo de volta a Série A o rebaixado dentro de campo Fluminense. Sendo esta a primeira decisão do STJD, no que ficou conhecida como 39ª Rodada. Porém ainda cabe recorrer desta decisão e haverá outro julgamento no dia 27 de dezembro para sabermos enfim quem serão os rebaixados deste Campeonato Brasileiro de 2013.

Já pensando em 2014

Com a conquista da Copa do Brasil, o Flamengo já deve começar a pensar em reforços para a disputa da Copa Libertadores da América. No entanto ainda não há nenhuma contratação confirmada. Mas existe a especulação sobre o nome do meio-campista argentino Federico Insúa do Velez Sársfield e do atacante brasileiro Lima do Benfica. Existe a preocupação em manter jogadores do atual elenco, como Elias que veio no começo do ano emprestado pelo Sporting. O Flamengo deseja contratá-lo, mas o clube luso não libera o jogador por menos de 12 milhões de reais. Outro que o Flamengo quer manter é o volante Luiz Antônio, mas este não sabe se quer realmente permanecer no Flamengo, já que entrou na justiça contra por conta de alguns vencimentos atrasados desde 2011, como bonificações e férias. O jogador inclusive teria pedido o fim de seu contrato com o Rubro-negro.

Algo que com certeza acontecerá no Flamengo será uma grande barca "dispensas". Quem encabeça a lista é o atacante Marcelo Moreno, que veio emprestado do Grêmio para ser o homem do ataque do Flamengo, mas que amargou o banco em boa parte da temporada para Hernane, provavelmente deve ir pro Cruzeiro. Quem irá embora também é o meia Carlos Eduardo, que chegou para ser o cérebro do Flamengo, mas não rendeu absolutamente nada no ano. Outros que deveram ir embora são os volantes Diego Silva e Val, que eram do chamado "Quarteto Caipira", ambos não foram muito utilizados na temporada e ficaram sem espaço no clube. O jovem Rafinha, que foi muito bem no campeonato carioca deste ano também pode sair do Flamengo, mesmo que temporariamente. O clube tem interesse em emprestar o jogador ao Bahia, que em troca mandaria o volante Feijão também por empréstimo.

A política da diretoria deve ser a mesma desse ano, sem gastos exorbitantes, sem fazer loucuras no mercado e trazendo valores que agreguem ao time de maneira barata. Essa porém é vista com certa desconfiança pelos torcedores, afinal é ano de Libertadores e torcida espera com certeza um time que não dê tantos sustos quanto o da temporada 2013.

Melhor jogo: Flamengo 4 x 0 Botafogo, Copa do Brasil

Estando novamente no papel de "zebra" na decisão por uma vaga, assim como foi contra o Cruzeiro. O Flamengo enfrentava o favorito Botafogo, que brigava na parte de cima da tabela. Após o primeiro jogo terminar empatado em 1 x 1, o Flamengo aplicou uma indiscutível goleada com direito a três gols de Hernane e um presente especial para o lateral-direito e capitão Léo Moura que fechou a goleada marcando de pênalti no dia de seu 35º aniversário. Embora Hernane tenha marcado três vezes, o meu destaque para este jogo foi Paulinho, que fez o que quis, deitou e rolou pelo lado esquerdo e infernizou a vida do lateral-direito Gilberto do Botafogo.

Pior jogo: Corinthians 4 x 0 Flamengo, 17ª Rodada

O Flamengo vinha embalado depois de eliminar o Cruzeiro da Copa do Brasil, porém o futebol que o time jogava numa competição não repetia na outra. E isso ficou muitíssimo claro ao Flamengo ser atropelado pelo Corinthians no Pacaembu. O time rubro-negro estava totalmente perdido em campo, o Timão fazia o que queria, jogava do jeito que bem entendia e assim fez sem grandes dificuldades quatro gols. Destaque para o meio-campo do Flamengo, totalmente nulo, tanto na armação quanto na marcação.

Os melhores de 2013

Chegou em 2012 ao Flamengo, como o vice-artilheiro do campeonato paulista, quando jogava no Mogi Mirim. Fez apenas 7 jogos no ano em que chegou ao clube. Começou o ano de 2013 com muitas desconfianças da torcida, por não ser um atacante de grande qualidae técnica. Mas que foi mostrando o seu valou logo no campeonato carioca ao ser artilheiro com 12 gols e conquistou de vez a torcida com seus 36 gols em toda a temporada, sagrando-se como vice-artilheiro do Brasileirão com 17 gols e artileiro da Copa do Brasil com 7 gols 

Foi a primeira contratação do ano, quando chegou ao Flamengo. O volante Elias que não passava por um bom momento no Sporting de Portugal. Porém no Mais Querido reencontrou seu futebol, fazendo boas partidas no estadual e ganhando destaque no Campeonato Brasileiro por sua regularidade e principalmente na Copa do Brasil onde foi extremamente decisivo, marcando gols importantes contra o Cruzeiro e Atlético PR, além de ter sido peça imprescindível também no setor de marcação de Jayme de Almeida.

"Vai Paulin, vai Paulin", o funk que embalou a torcida toda a vez que o jogador pegava na bola. O ponta Paulinho conquistou a torcida rubro-negra graças a sua velocidade e jogadas de efeito, além de muita raça e disposição. O jogador foi o único do "quarteto-caipira" que realmente deu certo no Flamengo. A principal característica desde jogador não é a de marcar gols, pelo contrário finalização é uma de suas fraqueza, porém se decidir com gols não é a dele, com os passes é outra história. Paulinho foi decisivo várias vezes na temporada dando passes açucarados para os gols rubro-negros. A exemplo disso foram os gols de Elias contra o Cruzeiro e Atlético PR na Copa do Brasil, ambos com passe dele.

Os piores de 2013

Morto. Essa é a palavra que pode definir Carlos Eduardo esse ano. Contratado para ser  a solução dos problemas de armação de jogadas do Flamengo, o jogador decepcionou. Quando chegou ao clube, ele acusou estar se recuperando de lesão no joelho e que por isso precisaria de um pouco de tempo e paciência da torcida para poder pegar ritmo de jogo. Ele se arrastou durante todo o estadual, fazendo partidas ruins. No Brasileirão e Copa do Brasil não foi diferente. O jogador apresentava uma lentidão absurda e toda a jogada que passava pelos seus pés acabava morrendo. Ele só serviu mesmo para fazer o gol no Cruzeiro no jogo de ida, porque de resto nada salva.

Decepcionante, assim pode se dizer que foi o ano de Marcelo Moreno. Chegou ao Flamengo como "solução para os problemas do ataque", já que Hernane não inspirava muita confiança. No começo chegou a barrar o "brocador", mas logo se viu não foi a decisão certa. Marcelo Moreno não funcionava no ataque do Flamengo, o jogador ia até o meio-campo buscar bola e era inoperante dentro da área. Amargou o banco em grande parte da temporada, deve sair no fim do ano.

 

 Não há muito a dizer sobre ele. O volante Val foi contratado do Mogi Mirim, por ter seu contrato encerrado e por ter o mesmo empresário que o atacante Hernane. Val foi poucas vezes utilizado pelo Flamengo, mas nas poucas vezes que entrou em campo mostrou ser um jogador bastante limitado, sem grande qualidade técnica e de passes de qualidade duvidosa também. No mais acabou virando piada entre os torcedores por sua "cara de pedreiro", que acabou lhe rendendo o apelido de pedreiro e várias montagens em que aparece "fazendo" construções "diferentes".

Análise Final

Foi um ano surpreendente para o Flamengo, que começou como um time que não almejaria nada esta temporada e apenas brigaria contra o rebaixamento, coisa que realmente aconteceu, mas que terminou o ano fora de perigo, Campeão da Copa do Brasil, classificado para a Libertadores e ainda viu dois rivais rebaixados para a Série B, sendo que um deles ainda briga nos trbunais para querer voltar a Série A. Pode se dizer que foi perfeito dentro das possibilidades. Com méritos para Jayme de Almeida que soube arrumar o time numa situação dificil e conduzi-lo ao título. A próxima temporada é ano de LIbertadores, o torcedor sabe que o título desta competição com esse time será dificil e portanto quer a chegada de reforços, não apenas para o torneio mais importante do continente, mas também para que o time não passe por tantas dificuldades e riscos como foram neste 2013.