Henrique reclama de interferência externa no Fla-Flu: "Até o delegado falou no ouvido do juiz"

Autor do polêmico gol impedido também detonou a arbitragem de Sandro Meira Ricci

Henrique reclama de interferência externa no Fla-Flu: "Até o delegado falou no ouvido do juiz"
(Foto: Rodrigo da Costa/VAVEL)

Nelson Rodrigues dizia que "o Fla-Flu começou 40 minutos antes do nada", mas não imaginava que o clássico válido pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro, renderia tanta polêmica. Autor do gol anulado que gerou toda a confusão devido a uma suposta interferência externa, Henrique concedeu entrevista nesta sexta (14), em Laranjeiras, e comentou sobre o caso.

"Não precisávamos nem falar. O banco inteiro do Flamengo correu para cima do bandeirinha falando que pessoas que tinham acesso a TV e internet que estava impedido. Foram coisas extracampo, pessoas ligadas ao futebol que falaram isso. Tanto que o banco inteiro do Flamengo saiu falando da TV. Até mesmo apareceu o delegado falando isso no ouvido do juíz. São coisas difíceis de engolir. Não vou falar que o errado é o certo, estou falando de situações extracampo que atrapalharam o resultado do jogo", desabafou.

+ Henrique esbraveja contra árbitro Sandro Meira Ricci: "Não precisa atrapalhar"

Pelo lado do Flamengo, provoca-se também sobre a intenção do Fluminense em legalizar um gol irregular. Henrique não caiu na provocação e lembrou do primeiro tento Rubro-Negro, marcado por Leandro Damião, onde Réver teria cometido falta no goleiro Julio César.

"Tão errado quanto a falta no Julio César no primeiro gol onde ninguém voltou atrás e validaram. O Réver estava impedido e encostou no Júlio. O primeiro gol foi a mesma coisa e ninguém voltou atrás. Então se tiver um gol irregular no futebol eu vou esperar o vídeo ou alguém falar que não foi para voltar atrás? É complicado, mas não é pelo fato de estar impedido que estamos reclamando. É pelo fator extracampo.É uma situação lamentável porque também estamos com chance de título"

+ Após polêmica, CBF divulga súmula do Fla-Flu: "Nada houve de anormal"

Fluminense caiu para a sexta colocação do Campeonato Brasileiro após a derrota contra o Flamengo, se mantém com 46 pontos, mas permanece na zona de classificação à Copa Libertadores 2017. O próximo compromisso é contra o São Paulo, na próxima segunda-feira, às 20h, em Edson Passos.

Confira a coletiva na íntegra da coletiva de Henrique:

- Sobre medidas cabíveis quanto ao jogo

"Como para a gente tem coisas que tomam medidas cabíveis para a situação, então temos coisas que precisam ser colocadas. Não foi a primeira vez que isso aconteceu. Foi um jogo onde interferências de fora atrapalharam o resultado do jogo"

- Sobre as consequências do Fla-Flu

"É meio difícil. As vezes tem um jogo onde você joga mal, as coisas não acontecem, mas a equipe lutou, se dedicou dentro de campo, tentamos a vitória e não conseguimos. Então é difícil depois de um jogo como esse você descansar e engolir isso. Sabemos que temos um jogo difícil na segunda-feira, mas vem os flash dos momentos e é lamentável"

- Sobre validar um gol impedido

"Tão errado quanto a falta no Julio César no primeiro gol onde ninguém voltou atrás e validaram. O Réver estava impedido e encostou no Júlio. O primeiro gol foi a mesma coisa e ninguém voltou atrás. Então se tiver um gol irregular no futebol eu vou esperar o vídeo ou alguém falar que não foi para voltar atrás? É complicado, mas não é pelo fato de estar impedido que estamos reclamando. É pelo fator extracampo.É uma situação lamentável porque também estamos com chance de título"

- Sobre a existência de complô

"Queria saber se fosse o contrário ia acontecer o que aconteceu. Se ia ter 13 minutos de tempo parada para você pensar, repensar, ouvir opiniões de fora para você tomar sua decisão. Eu queria saber também isso. Ia acontecer isso se fosse o contrário? Muito difícil"

- Retorno ao Maracanã

"O Maracanã é a casa do Fluminense e sempre foi. Não é arriscar. Voltar é sempre bom e a torcida vai apoiar do mesmo jeito"

- Excesso de gols de bola aérea

"Todo gol preocupa. A gente sabia que a bola parada deles era forte. Nós treinamos bastante semana passada. Foram erros nossos, um gol contra, uma falha individual, foram erros nossos que influenciaram no jogo. São coisas que acontecem. A gente conversa e treina para que cometamos menos erros possíveis"

- Sobre a súmula

"O árbitro está perdido nessa situação toda. Coisas de dentro do campo que ele mudou de opinião. Ele tinha dado o gol e voltou atrás por coisas de fora. Eram três pontos que seriam importantes para nossa briga. Todo mundo é humano, tem direito de errar, se ele pode voltar atrás com algo que viu de fora nós também podemos dar a volta por cima"

Entenda a polêmica do Fla-Flu:

Após a cobrança de falta de Gustavo Scarpa, Henrique, claramente em posição irregular, empurra a bola para as redes. O assistente, no entanto, assinala imediatamente o impedimento do zagueiro tricolor que corre junto aos companheiros para questioná-lo à beira do campo. O juiz da partida, Sandro Meira Ricci também corre em direção ao assistente e em rápida conversa com ele, valida o gol do Fluminense.

Mediante a isso, os jogadores do Flamengo, juntamente com os reservas e a equipe técnica passa a pressionar o bandeira, criando um tumulto no meio do campo. Após uma intensa discussão, Meira Ricci volta atrás de sua decisão, invalidando o gol de empate do Fluminense. A polêmica, no entanto, ficou por conta de uma possível interferência externa, sob a alegação do uso do recurso de vídeo de maneira indireta para decisão da jogada.