Vila Nova busca empate no fim diante do Goiás pela Série B

Esmeraldino vencia até os 48 minutos do segundo tempo; o resultado mantém as duas equipes no meio da tabela

Vila Nova busca empate no fim diante do Goiás pela Série B
Foto: Rosiron Rodrigues/GoiasEC
Vila Nova
1 1
Goiás
Vila Nova: Wagner Bueno; Douglas Assis (Frontini, min. 58), Anderson, Reginaldo, Patrick; Victor Bolt, Magno Silva, Jefferson Feijão (Thiago Brito, min. 51), Roger (Vandinho, min. 70), Jean Carlos; Fabinho. Técnico: Guilherme.
Goiás: Renan; Johnatan, Wesley Matos, Anderson Salles, Jefferson; Wendel, Willian, David, Léo Sena (Wagner, min. 67); Rossi (Carlos Eduardo, min. 75), Rafhael Lucas (Cassiano, min. 58). Técnico: Leo Condé.
Placar: 0-1, min. 57, Rossi. 1-1, min. 93, Vandinho.
ÁRBITRO: Marielson Alves Silva (BA). Auxiliares: Leone Carvalho (GO) e Márcio Soares (GO). Amarelos: Vila Nova - Reginaldo, Victor Bolt. Goiás - David, Wagner.
INCIDENCIAS: Partida válida pela 12ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2016, realizada no estádio Serra Dourada, em Goiânia/GO.

Com direito a gol nos acréscimos, Vila Nova e Goiás empataram por 1 a 1 no Serra Dourada, na tarde deste sábado (25) pela 12ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2016. Os dois gols sairam no segundo tempo. Rossi, aos 12 minutos, abriu o placar para o Verdão do Cerrado e Vandinho, aos 48 minutos, empatou o clássico.

O resultado não alterou as posições das equipes na tabela de classificação. O Vila permanece em 13º lugar, com 14 pontos e o Goiás em 15º, com 13. Os dois times entram em campo novamente na terça-feira (28). O Tigrão vai até Flórianópolis encarar o Avaí, na Ressacada, às 19h15 e o Esmeraldino recebe o Paysandu no Serra Dourada, às 21h30.

Vila Nova toma a iniciativa, mas Goiás também leva perigo

Começando com as rédeas da partida nas mãos, o Tigrão entrou no 4-2-3-1, dominando a posse de bola e tentando achar espaços na defesa do adversário, porém tinha dificuldade de criação. Ou seja, era uma posse improdutiva. Tanto que o primeiro chute a gol foi do Goiás, aos oito minutos. Uma tabelinha que se encerrou nos pés de Johnatan, que chutou cruzado para defesa de Wagner Bueno.

O Vila continuou tocando a bola e, de tanto tocar, começou a cavar espaços e as oportunidades surgiram. Maguinho, na entrada da área, finalizou e Renan espalmou para escanteio. Roger chutou com perigo, mas por sobre o gol. Apenas na segunda metade do primeiro tempo o Goiás resolveu se aventurar no ataque. Fabinho recebeu na entrada da grande área e, de canhota, mandou para fora.

Aos 26 minutos, a melhor chance do Tigrão. Falta para o Vila Nova que Jean Carlos cobrou muito bem, mas Renan se esticou todo e buscou a bola no cantinho esquerdo, mandando para escanteio. Com 34 minutos, a melhor chance esmeraldina. Rossi cruzou em direção a pequena área, a bola passou por todo mundo e Reginaldo deu um bico para frente. Na sobra, Wendel deu um giro em seu marcador e chutou para firme defesa de Wagner Bueno. Rossi seguiu incomodando a defesa vilanovense e foi recompensado. No segundo tempo.

Rossi marca e quando parecia certa a vitória do Goiás, Vandinho empata

Descobrindo que no futebol também existe ataque, o Verdão se lançou mais na partida. Rossi conduzia a equipe, com velocidade  e movimentação. Recebendo passe pela direita de ataque, ele fintou o marcador e cruzou para que Wendel cabeceasse. Wagner Bueno espalmou para longe. A boa atuação do atacante esmeraldino foi premiada com o gol. Após jogada de Léo Sena, com direito a caneta no marcador, o cruzamento passou por baixo do goleiro do Vila e Rossi, de gol aberto, apenas empurrou para o fundo da rede. 12 minutos, 1 a 0 Goiás.

Ao sofrer o gol, o treinador do Vila, Guilherme, resolveu apostar no "tudo ou nada" e colocou logo dois atacantes no jogo, que se somaram aos dois que já estavam em campo. O setor ofensivo do colorado contava a essa altura com Frontini, Vandinho, Jean Carlos e Fabinho na frente. Quatro atacantes, porém nenhum armador. O time atacava, mas de forma desordenada e dando espaços para o contra-ataque esmeraldino.

Patrick achou Frontini na pequena área. O centroavante cabeceou e Renan defendeu no reflexo, mandando para escanteio. A essa altura, era ataque contra defesa. O Goiás só voltou a aparecer no campo ofensivo no fim da partida, após um chute sem perigo de Wagner. A pressão vilanovense surtiu efeito e o empate surgiu aos 48 minutos. Jean Carlos mandou para o gol, a bola desviou no meio do caminho e sobrou para Vandinho, cara a cara com Renan, mandar no alto da rede, dando números finais a partida e evitando o revés.