Tapetão? Entenda a briga jurídica envolvendo Inter e Vitória no Brasileirão

Após polêmicas com possível irregularidade do zagueiro Victor Ramos do Vitória, Internacional enviou advogados ao Rio para tratar do caso

Tapetão? Entenda a briga jurídica envolvendo Inter e Vitória no Brasileirão
(Foto: Divulgação / EC Vitória)

Em semana tumultuada, vésperas do penúltimo jogo no Campeonato Brasileiro, o Internacional enviou corpo jurídico ao Rio de Janeiro para tratar dos assuntos que envolve a possível irregularidade de um jogador do Vitória durante a temporada.

O zagueiro Victor Ramos, que atua pelo Vitória, pode estar jogando o Campeonato Brasileiro com suposta irregularidade. O jogador estaria registrado no Transfer Matching System (TMS) da Fifa como jogador de contrato ativo com o Palmeiras. Mas Victor pertence ao Monterrey do México e estaria emprestado ao Palmeiras de acordo com a Fifa.

Pela parte jurídica do Vitória, o jogador estaria regularizado corretamente desde dezembro de 2015, quando terminou o tempo de empréstimo do zagueiro para o Porco, e sendo assim o Leão teria entrado com pedido pelo jogador. Todo esse processo abriu espaço para que a direção e parte jurídica do Internacional recorresse ao STJD (Supremo Tribunal de Justiça Desportiva) para que analisem os fatos.

Se caso o STJD aceitar o pedido do Inter, o Vitória pode perder pontos e abre brecha para o Colorado escapar do rebaixamento. Dessa forma, levanta-se uma polêmica nomeada por muitos como "tapetão". Mas a direção do Inter alega que estão apenas buscando seus direitos e consideram que é o mínimo a se fazer. No momento, há 3 pontos de diferença entre o Vitória e o Internacional, Leão com 42 e Colorado com 39. Inter é o 17° colocado na tabela do Campeonato Brasileiro, abaixo do Vitória que é o 16° colocado. 

Não é a primeira vez que um clube recorre ao STJD para analisar este caso. Durante o Campeonato Baiano, o Flamengo de Guanambi já teria avisado sobre a irregularidade do jogador e queria a eliminação do Leão da competição, mas o texto diz que em casos de transferência internacional, o nome do jogador tem que constar no Boletim Informativo Diário (BID) até o dia 16 de março e o nome do zagueiro Victor teria sido registrado no dia 18.  No entanto, a direção do Vitória garantiu que a negociação foi nacional.

O argumentou usado pelo Leão é de que o certificado de transferência internacional não havia saído no Brasil, com isso se tornaria uma negociação nacional. No entanto, o atleta continua registrado na Fifa como jogador do Palmeiras. Anderson Barros, diretor executivo do Vitória declarou: "O Vitória já comprovou que não há qualquer irregularidade. Não cabe mais nos dias de hoje esse tipo de movimentação, o futebol não merece mais isso. Mas caso eles façam essa movimentação, todas as justificativas legais já foram feitas." disse.

O primeiro parecer da CBF sobre a situação foi em favor do Vitória. Reynaldo Buzzoni, diretor de registros da CBF, comentou: "Consultamos a Fifa, que já deu um parecer favorável à CBF de que essa transferência foi nacional. Não existe irregularidade."

Domingo (27) o Internacional tem como obrigação vencer o Cruzeiro, no estádio Beira-Rio, às 17h. Para escapar do rebaixamento, o Colorado deve vencer seus dois últimos jogos e ainda torcer para que o Vitória seja derrotado ou apenas empate seus confrontos.